Menu
2019-07-14T19:58:11-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Plano JK das fintechs

50 anos em 5? Nubank anuncia que chegou a todas as cidades do Brasil

Segundo a empresa, são cerca de 6 milhões de usuários em território nacional; iniciativa surfou no crescimento do acesso à internet e na onda das fintechs

11 de abril de 2019
15:54 - atualizado às 19:58
Cartão da fintech Nubank
Nubank: 73% dos clientes são brasileiros com menos de 36 anoImagem: Divulgação

O Nubank afirmou nesta quinta-feira, 11, que chegou a todos os municípios do País em cinco anos de atuação. Para chegar até os rincões do Brasil, o banco digital não precisou instalar agências físicas como os concorrentes tradicionais, mas apenas por meio do aplicativo instalado nos celulares dos mais de 6 milhões de usuários.

Para se ter uma ideia da velocidade da expansão geográfica do Nubank, o Bradesco só alcançou o mesmo feito após 65 anos de existência, com a presença de postos de atendimento em cada município do País. À época, a instituição já tinha 53,5 milhões de usuários, informava reportagem do jornal O Globo.

Agora, com o atalho da revolução digital — hoje, são 116 milhões conectados no Brasil —, o Nubank apresenta uma espécie de plano JK concluído.

É bom ressaltar que os 65 anos em cinco do Nubank não representam diretamente e de imediato uma ameaça aos grandes bancos. É o que dizem os números. Para citar um exemplo, as quatro maiores instituições financeiras ainda detêm 72,69% de todos os ativos bancários, de acordo com dados de dezembro do Banco Central.

Mas não só o Nubank, como uma série de fintechs têm chacoalhado o mercado e vêm fazendo com que muitos serviços das cestas de grandes bancos sejam reconfigurados.

O Nubank destaca um número que vai no sentido contrário a uma possível ameaça aos grandes bancos. Eles estariam oferecendo o serviço justamente para aqueles que são desbancarizados. O Brasil tem 60 milhões nessa situação, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) — quase metade da população do País.

"Ao marcar nossa presença em cada um dos municípios do Brasil, estamos fazendo a inclusão financeira de pessoas em locais onde muitas vezes não há outra opção", diz a empresa, mas informando que 47% dos seus usuários estão em cidades do Sudeste, a região mais populosa do País.

Outros dados interessantes: 73% dos clientes do Nubank são brasileiros com menos de 36 anos, 48% do total são mulheres e a maior proporção de clientes em relação ao estado próprio é no Distrito Federal, onde 6,3% da população utiliza o app da empresa.

O céu é o limite

O Nubank pode se orgulhar de um crescimento incrivelmente rápido. Desde que surgiu — com apenas um cartão de crédito sem anuidade — até hoje, a empresa captou cerca de US$ 420 milhões em sete rodadas de investimento. Hoje conta com outros produtos, entre eles uma conta digital.

A perspectiva é boa também na avaliação de especialistas. Neste ano a revista Fast Company elegeu o Nubank como a empresa mais inovadora da América Latina e a 36ª do mundo no ranking das 50 Most Innovative Companies. Viria mais um plano JK por aí?

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Rapidinhas da semana

BLINK: Magalu ou ViaVarejo? Quem mandou melhor no 1º trimestre?

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Magalu, ViaVarejo e muito mais no Blink

Virando a chavinha

Agibank traça estratégia para abandonar imagem de ‘financeira’

Banco gaúcho quer alcançar marca de 35 milhões de clientes em 6 anos

O melhor do Seu Dinheiro

O dragão à solta, Elon Musk, bitcoin e outras notícias que mexeram com seus investimentos

O temor com o retorno da inflação nos EUA, as falas de Elon Musk sobre o bitcoin, as ações de empresas em recuperação judicial e outros destaques da semana

Como vai ser?

Decisão sobre ICMS vai destravar ações, dizem especialistas

Cobrança continuará até que Receita seja autorizada a alterar sistema

Efeitos da reestruturação

CEO da Cogna afirma que ajustes feitos em 2020 já mostram primeiros resultados

Rodrigo Galindo cita margem Ebitda recorrente e prazo médio de recebimento de alunos pagantes como efeitos positivos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies