Menu
2019-12-18T17:26:40-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Hoje tem recorde?

Ibovespa sobe quase 1,5% e chega aos 114 mil pontos; dólar fecha em leve queda

O Ibovespa segue no campo positivo e, com isso, encaminha-se para mais um dia de recordes, ajudado pelo ambiente de tranquilidade visto nos mercados externos e pelo tom otimista assumido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. O dólar à vista caiu para R$ 4,05

18 de dezembro de 2019
10:36 - atualizado às 17:26
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A bolsa brasileira tem mais um dia de ganhos expressivos e, com isso, volta a atingir novos recordes. O Ibovespa aproveita o tom de maior calmaria visto no exterior e sobe forte — e as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, ajudam a dar ainda mais ânimo aos investidores.

  • Oportunidade: Contrate o Ivan Sant’Anna como seu mentor de investimentos. Saiba mais aqui.

Por volta de 17h15, o Ibovespa operava em alta de 1,44%, aos 114.232,43 pontos, após iniciar o pregão no campo negativo — é a primeira vez que o índice ultrapassa o nível dos 114 mil pontos. No câmbio, por outro lado, o dia é foi poucas emoções: o dólar à vista fechou em leve queda de 0,12%, a R$ 4,0596.

O mercado acionário doméstico vai descolando do exterior: nos Estados Unidos, o Dow Jones sobe 0,09%, o S&P 500 avança 0,07% e o Nasdaq tem ganho de 0,22%; na Europa, as principais praças acionárias fecharam com leve alta.

Todo esse bom-humor se deve às condições mais favoráveis enfrentadas pelos agentes financeiros: no exterior, o alívio na guerra comercial continua trazendo calmaria às operações e, por aqui, as perspectivas de retomada do crescimento econômico seguem animando os investidores.

E, considerando a ausência de fatores negativos, o mercado aproveitou para continuar buscando níveis mais elevados — uma tarefa que foi facilitada pelas declarações mais otimistas de Guedes no meio desta tarde.

Entre outros pontos, o ministro mostrou-se satisfeito com a reforma da Previdência aprovada pelo Congresso, elogiando o trabalho "construtivo da Câmara e do Senado". Guedes ainda destacou o controle mais rígido no front fiscal e ponderou que as PECs que atualmente tramitam no Congresso a respeito da reforma tributária "são complementares.

Por mais que as declarações não tenham trazido grandes novidades ou fornecido pistas mais concretas quanto aos planos da pasta para 2020, fato é que o mercado recebeu bem as falas, ampliando o ritmo de ganhos do Ibovespa — até o meio da tarde, o índice exibia ganhos modestos, permanecendo na faixa dos 113 mil pontos.

Exterior calmo

O único fator de instabilidade no horizonte nesta terça-feira é a votação do processo de impeachment do presidente americano, Donald Trump, pela Câmara dos Deputados do país. Mas é dado como certo que os deputados darão continuidade ao processo, enviando-o ao Senado.

Assim, a votação de hoje não traz maiores turbulências aos mercados, dado o desfecho já aguardado. No Senado, contudo, o cenário deve ser o oposto: a maioria republicana da Casa deve barrar a continuidade das discussões.

Alívio nos juros

As curvas de juros aproveitaram o bom humor dos mercados e a leve quedado do dólar à vista para fechar em baixa, tanto na ponta curta quanto na longa — nos últimos dias, os DIS passaram por ajustes positivos relevantes.

Veja abaixo como ficaram as principais curvas nesta terça-feira:

  • Janeiro/2021: de 4,65% para 4,60%;
  • Janeiro/2023: de 5,99% para 5,92%;
  • Janeiro/2025: de 6,60% para 6,56%;
  • Janeiro/2027: de 6,93% para 6,90%.

Corporativo em foco

Por aqui, o noticiário corporativo aparece em primeiro plano: os papéis ON da Marfrig (MRFG3) caem 4,02% após a conclusão de uma oferta de ações que movimentou R$ 3 bilhões, dos quais mais de R$ 2 bilhões foram vendidos pelo BNDES — o que marcou a saída do banco público da empresa.

Fora isso, os investidores seguem promovendo ajustes de posição: as ações do setor de varejo sobem e se recuperam das perdas de ontem, enquanto bancos e Petrobras também aparecem no campo positivo.

Veja abaixo as cinco ações de melhor desempenho do índice no momento:

  • Fleury ON (FLRY3): +4,23%
  • GPA PN (PCAR4): +4,19%
  • Qualicorp ON (QUAL3): +3,81%
  • JBS ON (JBSS3): +3,76%
  • Bradesco ON (BBDC3): +3,63%

Confira também as maiores quedas do Ibovespa:

  • Marfrig ON (MRFG3): -4,02%
  • Eletrobras PNB (ELET6): -2,84%
  • Cogna ON (COGN3): -2,58%
  • Eletrobras ON (ELET3): -2,25%
  • MRV ON (MRVE3): -1,46%
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As ações das novas petroleiras valem a pena?

Nos recentes movimentos de rotação de carteiras nos mercados, temos nos deparado com a dicotomia Velha Economia (empresas de segmentos tradicionais) e Nova Economia (empresas ligadas à tecnologia e novas formas de consumo). Dentro do que se convencionou chamar de Velha Economia, temos visto o destaque das empresas de commodities, justamente o forte do Brasil. […]

Problemas no paraíso

Cesp, Engie, AES Brasil e mais: seca reduz brilho de ações do setor de geração hídrica

Com menos água, as empresas geram menos em hidrelétricas, mas não ficam livres de cumprir os contratos de fornecimento de energia

Jabuti do bem?

MP da Eletrobras: contratação de térmicas a gás pode diminuir conta de luz, diz estudo da Abegás

A medida vem sendo criticada pela maioria das elétricas, que alegam que ela vai na contramão da modernização e competitividade do setor

Viagem bilionária

Bilhete dourado: comprador misterioso gasta R$ 1,4 bilhão para ir ao espaço com Jeff Bezos

O turista espacial superou cerca de sete mil ofertas em um leilão beneficente realizado para definir o tripulante da espaçonave New Shepard

Fechamento dos mercados

Vacinação no Brasil volta a fazer preço, e Ibovespa sobe 0,59%, deixando para trás cautela com ‘Super Quarta’; dólar recua mais de 1%

Mercado deve operar em compasso de espera até a próxima quarta-feira, quando os BCs do Brasil e dos Estados Unidos divulgarão as suas decisões de política monetária

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies