Menu
2019-10-23T17:07:26-03:00
Estadão Conteúdo
Falando de mercado imobiliário

Preço dos imóveis residenciais no país cresce 0,32% em setembro, diz Abecip

No acumulado dos últimos 12 meses, o preço dos imóveis teve aceleração, chegando a 2,55% em setembro ante 2,33% em agosto

23 de outubro de 2019
17:07
imóveis
Imagem: Shutterstock

O preço nominal médio dos imóveis residenciais cresceu 0,32% em setembro no País, mostrando uma leve desaceleração na comparação com agosto, quando a alta foi de 0,36%.

Já no acumulado dos últimos 12 meses, o preço dos imóveis teve aceleração, chegando a 2,55% em setembro ante 2,33% em agosto.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 23, pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), cuja pesquisa considera os valores de imóveis vendidos por meio de financiamento bancário em dez capitais.

A pesquisa mostrou que nove das dez capitais pesquisadas tiveram alta nos preços médios no mês: Rio de Janeiro (0,09%), Belo Horizonte (0,10%), Recife (0,12%), Curitiba (0,36%), São Paulo (0,37%), Salvador (0,48%), Brasília (0,59%), Porto Alegre (0,73%) e Goiânia (0,87%).

A única baixa no mês ocorreu em Fortaleza (-0,11%).

Em nota, a Abecip relacionou a recuperação dos preços dos imóveis à melhora de alguns indicadores da economia brasileira, como o aumento de financiamentos e a queda nas taxas de juros, além da retomada do nível de emprego.

"O início do processo de recuperação dos preços dos imóveis residenciais em termos nominais vem associado a essa tendência gradual de retomada do nível de atividades", afirmou a associação. "O aumento da intensidade dessa tendência deve ocorrer na proporção pela qual o aumento da confiança de investidores e consumidores se consolide nos próximos meses, o que segue condicionado à aprovação das reformas estruturais necessárias", completou.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Seleção da bolsa

As ações favoritas para o mês de março, segundo 13 corretoras

Com o cenário de incertezas ainda em alta, o mercado opta mais uma vez para papéis que podem atuar como porto seguro. Confira as principais recomendações dos analistaws

Sextou com o Ruy

A rentabilidade do vizinho é maior que a sua? Tome cuidado com os ganhos dos “traders perfeitos”

A inveja é, sem dúvida alguma, uma das piores inimigas de um investidor – isso se não for a pior. E quando estamos em um bull market (mercado em alta) parece que temos que lidar o tempo todo com ela

Vêm proventos por aí

B3 anuncia quase R$ 2 bi em dividendos, além de recompra e desdobramento de ações

Conselho de administração da companhia aprovou pagamento de dividendos do quarto trimestre e dividendos extraordinários referentes a 2020

Cenário pandêmico

B3 lucra R$ 4,2 bilhões em 2020, alta de 53%, com volatilidade dos mercados, ofertas de ações e juros baixos no Brasil

Cenário pandêmico acabou beneficiando os resultados da companhia, resultando em volatilidade e juros baixos que impulsionaram investidores e empresas a recorrerem ao mercado de capitais

O melhor do seu dinheiro

A semana que vem, enfim, chegou

Depois de uma série de adiamentos, a PEC Emergencial enfim foi aprovada em dois turnos pelo Senado. A medida permitirá o retorno do auxílio emergencial, que ficará limitado ao teto de R$ 44 bilhões, que quase foi derrubado, mas acabou ficando. O texto segue agora para a Câmara dos Deputados. O avanço foi comemorado pelo […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies