🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2.000,00 POR DIA – VEJA COMO

Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
PREPARADO PARA A BATALHA

Deflação pressiona FIIs de papel, mas Maxi Renda (MXRF11) garante que vai sustentar os dividendos — saiba como

O fundo, que é o maior da indústria em número de cotistas, aposta em duas estratégias para manter o patamar atual dos proventos

Larissa Vitória
Larissa Vitória
24 de agosto de 2022
14:03 - atualizado às 20:14
Moedas empilhadas ao lado de uma pequena casa amarela representando o investimento em fundos imobiliários | Maxi Renda HCTR11 fii fiis
Imagem: Getty Images

O anúncio de que a inflação medida pelo IPCA-15 — considerado uma prévia do índice oficial brasileiro — recuou 0,73% em agosto embala o mercado acionário brasileiro nesta quarta-feira (24).

A notícia é boa para a bolsa, mas, na outra ponta da renda variável, os fundos imobiliários (FIIs) de papel não reagem tão bem à deflação. Isso porque a categoria investe em títulos de renda fixa ligados ao setor imobiliário cuja rentabilidade está muitas vezes atrelada ao IPCA.

Com isso o IFIX registrava leve recuo de 0,07% por volta das 14h de hoje. Vale relembrar que os recebíveis imobiliários são a categoria de maior peso no índice que reúne os principais FIIs da B3, representando 43% da carteira teórica.

Um fundo de papel, porém, vai na contramão do setor. No mesmo horário, o Maxi Renda (MRXF11) avançava 0,20%, a R$ 10,10.

O FII, que é o maior da indústria em número de cotistas, nada contra a maré ao garantir que seus quase 590 mil investidores não devem temer o efeito da redução do IPCA nos dividendos dos próximos meses.

Em relatório gerencial, o MXRF11 afirma que está em uma “posição confortável para atravessar esse período de deflação sem impacto significativo sobre as distribuições”.

Reserva e reciclagem: os dois “Rs” do Maxi Renda (MXRF11) para garantir os dividendos

A gestão do Maxi Renda já havia se preparado para mitigar o impacto das variações negativas do IPCA nos proventos.

O fundo aproveitou os meses em que a inflação estava em alta para construir um colchão de segurança financeira. De acordo com o relatório, a reserva acumulada com a correção monetária chega a R$ 45,92 milhões, ou R$ 0,203 por cota.

Para o MXRF11, que distribuiu R$ 0,12 por cota em julho, o valor é suficiente para compensar a queda prevista para o resultado financeiro dos próximos meses.

Além disso, o FII aposta na estratégia de reciclagem da carteira para equilibrar os ganhos. Segundo a gestão, “portfólios de mais baixo risco estão melhor posicionados para atravessar o cenário atual e com retorno ao investidor ainda bastante interessante”.

Em julho, por exemplo, o fundo adquiriu fatia de R$ 48,58 milhões em quatro novos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e vendeu R$ 2,7 milhões de outros dois títulos de crédito.

Com o rebalanceamento, a alocação por indexadores da carteira de CRIs do Maxi Renda agora está dividida da seguinte forma:

  • IPCA+: 54%
  • CDI+: 45%
  • IGP-M+, pré-fixados e %CDI: 1%.

Compartilhe

Engordando os proventos

Caixa Seguridade (CXSE3) pode pagar mais R$ 230 milhões em dividendos após venda de subsidiárias, diz BofA

14 de setembro de 2022 - 13:22

Analistas acreditam que recursos advindos do desinvestimento serão destinados aos acionistas; companhia tem pelo menos mais duas vendas de participações à vista

GUERRA NOS TRIBUNAIS

Justiça nega pedido de liminar para barrar dividendos bilionários da Petrobras (PETR4); ação foi movida por Anapetro e parlamentares após estatal anunciar pagamento antecipado

13 de setembro de 2022 - 19:53

Os reclamantes pedem que a distribuição de proventos da companhia fique limitada ao mínimo legal de 25% do lucro líquido

NOITE DE PROVENTOS

Dividendos: Tim (TIMS3) e Carrefour (CRFB3) anunciam R$ 750 milhões em JCP; veja como receber

12 de setembro de 2022 - 19:31

A empresa de telecomunicações é quem pagará a maior soma para quem estiver em sua base acionária na próxima semana

VALOR ATUALIZADO

Eletrobras (ELET3) vai pagar mais de R$ 1,3 bilhão em dividendos na próxima semana e o valor por ação cresceu; veja quem tem direito à bolada

1 de setembro de 2022 - 19:25

A empresa guardou uma surpresa para os acionistas no valor por ação da distribuição, que foi atualizado com base na variação da taxa Selic

A FONTE VOLTOU A JORRAR

Fundo imobiliário de hotéis volta a pagar dividendos após deixar mais de 22 mil cotistas sem proventos por dois anos e meio

1 de setembro de 2022 - 17:17

Apesar da recompensa, porém, quem manteve o FII na carteira nesse período viu as cotas recuarem mais de 25%

Acabou a festa?

O Itaú (ITUB4) não vai aumentar o percentual de dividendos pagos sobre o lucro aos acionistas, e o CEO explica por quê

1 de setembro de 2022 - 15:04

Porcentagem do lucro do Itaú distribuído aos acionistas na forma de dividendos já chegou a 90%, mas hoje está em 25%

DE OLHO NAS REDES

A Petrobras (PETR4) é a maior ‘vaca leiteira’ do mundo: estatal vence Apple e outras gigantes globais ao se tornar a maior pagadora de dividendos do planeta — descubra quais outras empresas estão no ranking

25 de agosto de 2022 - 14:42

Após distribuir quase R$ 50 bilhões em dividendos no segundo trimestre, a Petrobras e é a maior pagadora de proventos do mundo; confira o ranking

Distribuição de lucros

Dividendos: Porto Seguro (PSSA3) anuncia quase R$ 400 milhões em JCP; Kepler Weber (KEPL3) também distribuirá proventos

24 de agosto de 2022 - 19:06

Data de corte é a mesma em ambos os casos; veja quem tem direito a receber os proventos das empresas

ALÔ, ACIONISTAS

A coroa é dela: Petrobras (PETR4) vence Nestlé e se torna a maior pagadora de dividendos do mundo; Vale (VALE3) deixa o top 10

24 de agosto de 2022 - 13:02

Segundo o Índice Global de Dividendos da gestora Janus Henderson, a petroleira superou gigantes como a Microsoft e a Apple

Acionistas felizes

Dividendos: Telefônica (VIVT3) e Marfrig (MRFG3) pagam nova rodada de proventos. Veja as condições para receber

19 de agosto de 2022 - 19:14

A Telefônica não fixou data para o pagamento dos dividendos, mas segundo a companhia, os créditos serão realizados até 31 de julho de 2023

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar