Menu
2019-11-12T15:17:05-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Voltando ao positivo

Volume de serviços sobe 1,2% em setembro, a maior alta mensal em mais de um ano

Resultado ficou acima do teto das estimativas dos analistas, que previam desde uma queda de 0,30% a um avanço de 1,10%

12 de novembro de 2019
10:49 - atualizado às 15:17
Serviços
Imagem: Shutterstock

O volume de serviços prestados subiu 1,2% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, informou nesta terça-feira, 12, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês anterior, o resultado foi revisto de uma queda de 0,2% para recuo de 0,1%.

O resultado ficou acima do teto das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam desde uma queda de 0,30% a um avanço de 1,10%, com mediana positiva de 0,60%.

Na comparação com setembro do ano anterior, houve alta de 1,4% em setembro de 2019, já descontado o efeito da inflação. Nessa comparação, as previsões iam de queda de 0,10% a aumento de 2,70%, com mediana positiva de 0,40%.

A taxa acumulada no ano foi de 0,6%. Em 12 meses, houve elevação de 0,7%.

Desde outubro de 2015, o órgão divulga índices de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o IBGE anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado. Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal subiu 1,0% em setembro ante agosto. Na comparação com setembro de 2018, houve aumento na receita nominal de 4,9%.

Maior alta desde agosto de 2018

A alta de 1,2% no volume de serviços prestados na passagem de agosto para setembro foi a mais acentuada desde agosto de 2018, quando o setor cresceu 1,9%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada nesta terça-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os serviços avançaram 0,8% do terceiro trimestre de 2019 ante o segundo trimestre do ano, a melhor taxa desde o primeiro trimestre de 2014, quando havia crescido 1,3%.

"A alta elimina as perdas do primeiro trimestre (-0,4%) e do segundo trimestre (-0,3%)", ressaltou Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços no IBGE.

Na comparação com o terceiro trimestre do ano anterior, os serviços tiveram expansão de 0,6% no terceiro trimestre deste ano, o quinto resultado trimestral positivo consecutivo.

4 atividades em alta

Quatro das cinco atividades de serviços registraram avanços na passagem de agosto para setembro, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços divulgados nesta terça-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na média global, houve elevação de 1,2%.

O volume de serviços prestados encolheu apenas na atividade de informação e comunicação, com queda de 1,0% em setembro ante agosto. Houve expansão em transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (1,6%), outros serviços (0,5%), serviços prestados às famílias (0,8%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (1,8%).

As maiores contribuições para a alta global em setembro foram dos setores de transportes e de serviços profissionais.

"Dentro de transportes, foi o transporte rodoviário de carga e o aéreo de passageiros. Dentro de serviços profissionais, foi aluguel de máquinas e equipamentos e serviços de engenharia", apontou Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços no IBGE.

O agregado especial de Atividades turísticas registrou alta de 4,8% em setembro ante agosto.

Nada como dias úteis a mais

O bom desempenho do volume de serviços prestados no País em setembro foi ligeiramente beneficiado pelo chamado "efeito calendário". O mês de setembro deste ano teve dois dias úteis a mais que em setembro do ano passado.

"Quando a gente olha para setores que têm maior influência de dias úteis, que são os transportes e serviços profissionais e administrativos, eles têm impacto forte de fechamento de contratos por causa do efeito calendário", lembrou Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE.

Se neutralizados os efeitos dos dias úteis a mais, a alta de serviços profissionais passaria de 2,9% para 1,4%. Ao mesmo tempo, a queda de transportes passaria de -1,7% para -2,3%. "São dois setores claramente influenciados", afirmou Lobo.

O índice de difusão dos serviços, que mostra o porcentual de subsetores investigados com avanços, aumentou de 45,8% em agosto para 48,2% em setembro.

"Houve avanço no total de serviços com aumento no volume em relação ao mês anterior. Há ganho de ritmo, mas ainda insuficiente para superar a metade. Ainda tem mais da metade dos serviços mostrando queda em comparação ao ano anterior", lembrou Lobo.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

AGRONEGÓCIO

Brasil retoma posto de maior produtor de soja do planeta

o Brasil deverá colher um recorde de 247,4 milhões de toneladas de grãos na safra que se encerra neste ano, 2,5% acima de 2019, conforme o IBGE.

CORONACRISE

Pandemia causou impacto em 57% das companhias exportadoras, revela CNI

Em 42% das empresas afetadas, vendas externas caíram a menos da metade

FII do mês

Os melhores fundos imobiliários para investir em julho segundo 7 corretoras

FII queridinho do mês recebeu quatro indicações, mas outros cinco fundos receberam duas indicações cada um

mp 925

Câmara conclui votação de MP da Aviação e texto segue para Senado

A proposta traz ações emergenciais ao setor de aviação civil para mitigar os efeitos da crise gerada pela pandemia

mundo aéreo

Azul vende participação de 6% na TAP para governo português, por R$ 65 milhões

A companhia aérea Azul informou nesta quarta-feira, 8, que vendeu a participação indireta de 6% que detinha na aérea portuguesa TAP, para o governo de Portugal. O valor fechado foi de R$ 65 milhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements