Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-09T12:58:19-03:00
Rafaella Bertolini
Aumento nos preços

IPCA sobe 0,87% em agosto e fica bem acima das projeções do mercado; veja o que mais pesou na inflação

A gasolina foi a grande vilã do mês e subiu 2,80%, tendo o maior impacto individual no indicador

9 de setembro de 2021
9:03 - atualizado às 12:58
Gasolina
Com a alta nos preços e o aumento da conta de luz, inflação piora / Imagem: Shutterstock

Nesta manhã, o IBGE divulgou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em agosto, mostrando uma inflação ainda mais acentuada e bem acima das expectativas do mercado

O principal índice de evolução dos preços no país subiu 0,87% em agosto, ante a mediana estimada por economistas de 0,70%, conforme levantamento do Broadcast. As projeções iam de 0,62% a 0,85%.

Em julho o índice havia marcado 0,96%. No acumulado dos 12 meses a inflação está em 9,68%, acima dos 8,99% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em 2021, o IPCA acumula alta de 5,67%.

De acordo com a divulgação mais recente do Boletim Focus, publicada no último dia (06), a mediana das previsões para o IPCA (Índice de Preço ao Consumidor) neste ano foi 7,58%.

Lembrando que a meta estipulada pelo Banco Central (BC) em 2021 é de 3,75%, com o piso em 2,25% e o teto em 5,25%.

Alta dos preços

Dos nove grupos pesquisados, oito registraram aumento em agosto, afirmou o IBGE. A maior variação (1,46%) e o maior impacto (0,31 ponto percentual) vieram do transporte, influenciado principalmente pelos combustíveis.

Combustíveis e transporte

A gasolina foi a grande vilã do mês e subiu 2,80%, tendo o maior impacto individual. O Etanol (4,50%), gás veicular (2,06%) e óleo diesel (1,79%) também ficaram mais caros em agosto.

Ainda no grupo de transportes, os veículos próprios (1,16%), registraram alta de 1,98% nos automóveis usados, 1,79% nos novos, e 1,01% em motocicletas.

Transportes públicos tiveram queda média de 1,21%, sob influência de uma queda de 10,69% nos preços das passagens aéreas.

Inflação dos alimentos

Os preços dos alimentos continuam pesando sem trégua no bolso dos consumidores. Com alta de 1,39% (mais que o dobro da alta de 0,60% registrada em julho), o grupo de alimentação e bebidas foi o segundo de maior impacto sobre a inflação do mês de agosto.

Maiores aumentos:

  • Batata-inglesa: 19,91%
  • Café moído: 7,51%
  • Frango em pedaços: 4,47¨
  • Frutas: 3,90%
  • Carnes: 0,63%

A alimentação no domicílio saltou de 0,78% para 1,63% em um mês.

Conta de luz

Mesmo vindo mais alta, o aumento na conta de energia foi mais leve no mês de agosto comparado a julho. Foi registrado aumento de 1,10% ante 7,88% no mês anterior.

Além disso, os preços do gás encanado (2,70%) e gás botijão (2,40%) também aumentaram.

Serviços

Entre os principais aumentos de preços no mês para o grupo de serviços estão:

  • Aluguel de veículos (6,61%)
  • Serviços de streaming (6,39%)

O setor apresentou desaceleração no mês de agosto. Segundo André Almeida, analista da pesquisa divulgada pelo IBGE, o abrandamento no preço dos serviços se da sobretudo, a queda das passagens aéreas.

Em julho houve um surpreendente aumento de 35,22% das passagens, este mês a queda foi de 10,69%.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Leão social

Reforma do Imposto de Renda vai bancar Auxílio Brasil? Se depender da Câmara dos Deputados, sim; entenda

Os deputados aprovaram um projeto de lei que autoriza o uso e recursos da reforma no programa desenhado para substituir o Bolsa Família

Mais uma na lista

Corretora de criptomoedas Huobi Global, uma das maiores do mundo, restringe negociações na China

A plataforma também informou que retirará gradualmente as contas existentes no gigante asiático até o fim de 2021

Uma nova gigante tech

Infracommerce (IFCM3) dispara 10% com “aquisição transformacional”; outras techs sentem o baque e caem

A Infracommerce (IFCM3) acertou a compra da Synapcom, ganhando escala no B2B — e pagando um preço relativamente baixo pela rival

NOVO SUSTO

Em crise de liquidez, concorrente da Evergrande esboça pedido de apoio a governo de cidade chinesa

Notícia provocou queda acentuada nas ações da Sunac, que fecharam hoje no nível mais baixo em 4 anos

Crédito disponível

Com juros salgados, Caixa libera empréstimo de até R$ 1.000 no aplicativo Caixa Tem; veja condições

O crédito ficará disponível para assalariados, autônomos, beneficiários de programas sociais e de políticas públicas de distribuição de renda

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies