2019-02-14T12:50:00-02:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Dentro das estimativas

Volume de serviços prestados cai 0,1% em 2018 e acumula quarta queda seguida

Analistas ouvidos pelo “Broadcast”, do Estadão, esperavam desde uma queda de 0,60% a um avanço de 0,90%, com mediana negativa de 0,10%

14 de fevereiro de 2019
10:32 - atualizado às 12:50
Central de Telemarketing da TIM
Central de Telemarketing da TIM - Imagem: J.F.Diorio/Estadão Conteúdo

O volume de serviços prestados cresceu 0,2% em dezembro ante novembro na série com ajuste sazonal, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, informou nesta quinta-feira, 14, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês anterior, o resultado foi de uma estabilidade (0,0%).

O resultado ficou dentro das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam desde uma queda de 0,60% a um avanço de 0,90%, com mediana negativa de 0,10%.

Na comparação com dezembro do ano anterior, houve queda de 0,2% em dezembro de 2018, já descontado o efeito da inflação.

Nessa comparação, as previsões iam de recuo de 1,8% a aumento de 0,4%, com mediana negativa de 0,8%.

A taxa acumulada no ano de 2018 pelo volume de serviços prestados foi de recuo de 0,1%. Nesse tipo de comparação, as projeções variavam desde uma queda de 0,4% a uma alta de 0,1%, com mediana negativa de 0,1%.

A queda de 0,1% registrada em 2018 completa uma sequência de quatro anos consecutivos de taxas negativas no segmento. Neste período, o setor de serviços acumulou uma perda de 11,1%.

Em 2017, o volume de serviços prestados encolheu 2,8%; em 2016, caiu 5,0%; em 2015, recuou 3,6%. O último avanço ocorreu em 2014, quando os serviços cresceram 2,5%.

Trimestre

No trimestre, houve avanço de 0,3% no 4º comparado ao 3º.

Esse movimento de dois trimestres seguidos de crescimento não ocorria desde o início de 2014, completou Lobo.

O avanço no quarto trimestre ocorre após uma elevação de 0,9% registrada no terceiro trimestre de 2018 ante o segundo trimestre. No segundo trimestre, houve estabilidade (0%) ante o primeiro trimestre de 2018.

Metodologia

Desde outubro de 2015, o órgão divulga índices de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o IBGE anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado.

Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal subiu 0,8% em dezembro ante novembro. Na comparação com dezembro de 2017, houve aumento na receita nominal de 3,1%.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

CHAPA CONFIRMADA

Eleições 2022: Veja quantos milhões Lula e Alckmin declararam ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

7 de agosto de 2022 - 12:49

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin confirmaram a chapa ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

NÃO ENTRE NESSA

AMTD Digital (HKD): A ação desconhecida que subiu mais de 32.000% em menos de um mês e agora entra em queda meteórica

7 de agosto de 2022 - 11:18

Recém-chegada a Nova York, as ações da AMTD Digital levaram a companhia a valer mais do que grandes bancos como o Goldman Sachs e BofA

ROTA DO BILHÃO

O Lobo de Cashmere: Como Bernard Arnault, dono da LVMH, fez uma fortuna de US$ 168,6 bilhões a partir de bolsas e joias

7 de agosto de 2022 - 8:15

Formado em engenharia e apelidado como “Exterminador do Futuro”, o francês transformou uma empresa de tecidos falida na maior companhia da Europa

IVAN SANT'ANNA

Sob a névoa da guerra: as chances de Rússia e Ucrânia após seis meses de conflito

7 de agosto de 2022 - 7:29

As coisas não se passaram da maneira que Putin queria, e já é muito remota a chance de a Rússia anexar integralmente o seu vizinho do oeste

Existe esperança

Elon Musk flerta com a possibilidade de seguir em frente com a compra do Twitter — mas antes quer certeza sobre o número de usuários da rede

6 de agosto de 2022 - 15:19

O bilionário Elon Musk, dono da Tesla, voltou a usar o próprio Twitter para pressionar os executivos da rede social

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies