Menu
2019-04-04T13:57:37-03:00
Estadão Conteúdo
Sinal amarelo

Após a derrota no Congresso na última terça-feira, Mourão diz que governo precisa conversar mais com os parlamentares

Vice de Bolsonaro deu uma entrevista à radio Bandeirantes e por lá também afirmou que o governo não tem os votos necessários para aprovar a reforma da Previdência

20 de fevereiro de 2019
13:53 - atualizado às 13:57
Hamilton Mourão
Mourão disse não ter dúvidas de que Bolsonaro tem habilidade para se relacionar bem com os parlamentaresImagem: Marcos Corrêa/Presidência da República

No dia em que o presidente Jair Bolsonaro entregou a proposta de reforma da Previdência ao Congresso, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou em entrevista à radio Bandeirantes que o governo avalia ainda não ter os votos necessários para aprovar o texto, mas afirmou estar otimista.

Sobre a primeira derrota do governo na Câmara, sofrida nesta terça-feira, 19, quando os deputados derrubaram o decreto assinado pelo vice-presidente que ampliava o poder de impor sigilo a documentos públicos, Mourão disse que o decreto apenas mudava a regulamentação da lei e não a alterava. "Minha visão é que Congresso mandou recado para o governo que temos que conversar mais com eles", disse o vice-presidente nesta quarta-feira, 20.

Ao mesmo tempo, Mourão reforçou que Bolsonaro passou quase 30 anos dentro do Congresso e tem habilidade para se relacionar bem com os parlamentares. "Não tenho dúvida disso", disse na entrevista à rádio.

Mourão reafirmou que a reforma da Previdência não é "panaceia" para todos os males do Brasil, mas é o "grande passo para que nós cheguemos a linha de partida em condições ideais". O vice-presidente reafirmou que o governo calcula ter em torno 250 parlamentares a favor da reforma. São necessários 308 votos. "Precisamos garimpar uns 60, 70 votos para estar com segurança", disse ele. "Estou otimista."

Questionado sobre a inclusão dos militares na reforma da Previdência, Mourão declarou que, entre as mudanças, a categoria vai aumentar o tempo de permanência na atividade e as pensionistas, que hoje não contribuem, passarão a contribuir. Alunos de escolas militares, que hoje não contribuem, também vão passar a contribuir, disse ele, destacando que alguns pontos estavam sendo afinados em reunião no final da tarde desta terça, da qual não participou. "Da forma que temos nosso sistema previdenciário hoje, ele não passa de uma pirâmide financeira", disse Mourão.

Bebianno

Mourão disse que o ex-ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Previdência foi "desleal" com o Bolsonaro, mas o episódio "está superado, já foi". "A divulgação dos áudios foi uma deslealdade muito grande com o presidente", disse ele. "O principal problema foram os áudios, isso rompe a intimidade", avaliou o vice.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Perseguição ao bitcoin?

Irã fecha ‘fazendas’ de mineração de bitcoin para conter apagões no país; entenda

Governo culpa centros de processamento de criptomoedas por blackouts devido à ‘sobrecarga energética’ da rede de mineração; ao mesmo tempo, Irã usa o bitcoin para amenizar sanções bancárias dos EUA

Lei Orçamentária Anual

Ainda sem aprovação do Orçamento 2021, governo precisa controlar gastos

Manutenção do auxílio emergencial é dúvidas neste início de ano

Pé no freio

Incertezas políticas e fiscais mantêm estrangeiros cautelosos com o Brasil

Após meses de fuga do capital externo do País, os últimos meses de 2020 mostraram o começo do retorno dos investidores de portfólio, mas o ritmo ainda é insuficiente para reverter a forte saída de dólares do Brasil

Crescimento

Vale (VALE3) prevê investir US$ 2,7 bilhões na região norte até 2024

Companhia pretende ainda investir US$ 5,8 bilhões em 2021, dos quais US$ 1 bilhão serão apenas para expansão

ESTRADA DO FUTURO

Grafeno, urânio e lítio… cuidado com a obsessão de enriquecer com a próxima tecnologia do futuro

O boom de empresas de tecnologia alimenta uma esperança quase ingênua de enriquecer “horrores” descobrindo como esses materiais moldarão o nosso futuro. Vou ser totalmente transparente com você: não gosto da ideia.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies