Menu
2019-04-30T11:57:22-03:00
Estadão Conteúdo
Complicou

Setor público tem déficit primário de R$ 18,629 bilhões em março, revela BC

Resultado primário consolidado de março ficou dentro do intervalo das estimativas de analistas do mercado financeiro, que iam de déficit de R$ 29,550 bilhões a déficit de R$ 17,300 bilhões

30 de abril de 2019
11:57
Dinheiro; notas e moedas de real
Imagem: Shutterstock

O setor público consolidado (Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção de Petrobras e Eletrobras) apresentou déficit primário de R$ 18,629 bilhões em março, informou nesta terça-feira, 30, o Banco Central. O resultado representa o menor déficit para o mês desde março de 2017, quando houve déficit de R$ 11,047 bilhões. Em fevereiro, havia sido registrado déficit de R$ 14,931 bilhões.

O resultado primário consolidado do mês passado ficou dentro do intervalo das estimativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que iam de déficit de R$ 29,550 bilhões a déficit de R$ 17,300 bilhões. A mediana estava negativa em R$ 22 bilhões.

O resultado fiscal de março foi composto por um déficit de R$ 20,400 bilhões do Governo Central (Tesouro, Banco Central e INSS). Já os governos regionais (Estados e municípios) influenciaram o resultado positivamente com R$ 1,531 bilhão no mês. Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 1,517 bilhão, os municípios tiveram resultado positivo de R$ 14 milhões. As empresas estatais registraram superávit primário de R$ 239 milhões.

Trimestre

As contas do setor público acumularam um superávit primário de R$ 13,337 bilhões no primeiro trimestre de 2019, o equivalente a 0,76% do Produto Interno Bruto (PIB), informou o Banco Central. No caso do Governo Central, a meta é um déficit de R$ 139,0 bilhões.

A meta de déficit primário do setor público consolidado considerada pelo governo é de R$ 132,0 bilhões para 2019.

O superávit fiscal no primeiro trimestre ocorreu apesar do déficit de R$ 5,405 bilhões do Governo Central (0,31% do PIB). Os governos regionais apresentaram um superávit de R$ 17,164 bilhões (0,98% do PIB) no período.

Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 15,382 bilhões, os municípios tiveram um saldo positivo de R$ 1,782 bilhão. As empresas estatais registraram um resultado positivo de R$ 1,579 bilhão no período.

12 meses

Segundo o BC, as contas do setor público acumulam um déficit primário de R$ 99,312 bilhões em 12 meses até março, o equivalente a 1,43% do PIB, informou o Banco Central. Este é o menor déficit primário mensal ante o PIB desde outubro do ano passado (1,25%).

O déficit fiscal nos 12 meses encerrados em março pode ser atribuído ao rombo de R$ 113,567 bilhões do Governo Central (1,64% do PIB). Os governos regionais apresentaram um superávit de R$ 7,538 bilhões (0,11% do PIB) em 12 meses até março.

Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 10,063 bilhões, os municípios tiveram um saldo negativo de R$ 2,525 bilhões. As empresas estatais registraram um resultado positivo de R$ 6,717 bilhões no período.

Déficit nominal

O setor público consolidado registrou um déficit nominal de R$ 62,175 bilhões em março. Em fevereiro, o resultado nominal havia sido deficitário em R$ 45,013 bilhões e, em março de 2018, deficitário em R$ 57,631 bilhões.

No mês passado, o Governo Central registrou déficit nominal de R$ 57,707 bilhões. Os governos regionais tiveram saldo negativo de R$ 4,179 bilhões, enquanto as empresas estatais registraram déficit nominal de R$ 289 milhões.

No primeiro trimestre, o déficit nominal somou R$ 81,144 bilhões, o que equivale a 4,64% do PIB. Em 12 meses até março, há déficit nominal de R$ 483,775 bilhões, ou 6,98% do PIB.

Gasto com juros

O setor público consolidado teve gasto de R$ 43,546 bilhões com juros em março, após esta despesa ter atingido R$ 30,082 bilhões em fevereiro, informou o Banco Central.

O Governo Central teve no mês passado despesas na conta de juros de R$ 37,307 bilhões. Os governos regionais registraram gasto de R$ 5,710 bilhões e as empresas estatais, de R$ 528 milhões.

No primeiro trimestre, o gasto com juros somou R$ 94,481 bilhões, o que representa 5,41% do PIB. Em 12 meses até março, as despesas com juros atingiram R$ 384,463 bilhões (5,55% do PIB).

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Novidades na B3?

Multilaser e Invest Tech entram na fila de pedidos de IPO

As duas empresas engrossam a lista de ofertas em análises na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que já conta com 28 pedidos

Ainda falta chão...

Reforma administrativa dá mais um passo na Câmara dos Deputados

O relator leu hoje seu parecer pela constitucionalidade da proposta na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ); votação deve ocorrer a partir do dia 20

Novo momento

Fertilizantes Heringer registra prejuízo líquido de R$ 7,46 milhões no 1º tri

Empresa teve melhor Ebitda da história para um primeiro trimestre, mas resultado foi impactado por despesas financeiras

na b3

GetNinjas estreia em queda na bolsa, após IPO com ação abaixo do previsto

Empresa levantou R$ 550 milhões na oferta inicial de ações, com desconto de quase 20% do valor do papel em relação ao preço mínimo da faixa

Diversificando

BTG Pactual lança fundo de investimento 100% em bitcoin

O lançamento vem em linha com a diversificação de ativos oferecidos pelo banco

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies