Menu
2019-04-04T13:59:25-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Saindo pela tangente

Em meio à especulação de que viraria ministra, Joice Hasselmann diz que é “ministra da Pacificação Nacional”

Coluna noticiou nesta terça-feira que a deputada estaria cotada para assumir a pasta no lugar do ministro Santos Cruz

2 de abril de 2019
16:25 - atualizado às 13:59
Joice Hasselmann, na fila do protocolo da Câmara no primeiro dia para protocolar projetos e pedidos e novas Medidas contra a corrupção e mudança de Lei.
Joice Hasselmann - Imagem: Estadão Conteúdo/Dida Sampaio

A líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), desconversou nesta terça-feira, 2, sobre a possibilidade de assumir a Secretaria de Governo, no lugar do ministro Alberto Santos Cruz. A informação foi ventilada hoje pela manhã na coluna da Sonia Racy, do jornal "O Estado de S. Paulo".

Ao chegar ao Palácio do Planalto, a deputada disse ser a "ministra da Pacificação Nacional". Segundo a coluna, caso Joice assumisse a Secretaria de Governo, Santos Cruz iria para a Secretaria-Geral da Presidência, sucedendo seu colega Floriano Peixoto. Sub do ex-ministro Gustavo Bebianno, Peixoto havia assumido a cadeira, interinamente, depois da queda do advogado.

E por falar em Santos Cruz...

O ministro almoçou hoje com os senadores do DEM, PR e PSC na tentativa de aproximar o Planalto do Congresso. Por lá, Santos Cruz ouviu cobranças dos parlamentares que demandaram uma clareza maior entre o papel da sua pasta e o da Casa Civil, responsáveis pela articulação política. Os parlamentares cobraram também maior aproximação do governo com o Congresso.

De acordo com o senador Wellington Fagundes (PR-MT), líder do bloco partidário que reúne os três partidos, a diferenciação entre as pastas é importante para que "não haja duplicidade de trabalho" e para que haja maior "objetividade na relação do parlamentar com o governo".

Fagundes contou que Santos Cruz admitiu que esta indefinição é uma angústia "que ele mesmo está tendo" e que o ministro se comprometeu a conversar sobre a questão com seus pares e com o presidente Jair Bolsonaro quando ele retornar da viagem a Israel.

"Ele Santos Cruz sente que essa relação é fundamental porque o Parlamento precisa dar a resposta na ponta. Quando a gente chega em uma cidade está a creche inacabada, obra que falta o governo liberar recurso para concluir, isso causa angústia. Com a mudança de governo é natural que haja uma certa 'rearrumação', mas não pode demorar muito", disse Fagundes.

O senador negou que a conversa com o ministro tenha tido um tom de pressão por causa das cobranças. "Foi uma conversa de ajuda mútua. A população não está preocupada com discussões ideológicas, políticas, partidárias. Ela quer saber se tem estrada para levar a produção, se tem escola para levar o filho e, principalmente, se tem saúde e educação", afirmou, pouco depois de ter dito que o governo Bolsonaro tem um viés ideológico claro em que o governo faz questão de colocar a sua posição.

Santos Cruz também se reuniu com o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Relação espontânea

Ao sair do encontro com parlamentares, Santos Cruz afirmou que a reunião foi realizada a convite dos deputados e negou que a agenda tenha sido um "esforço planejado". "O relacionamento não pode ser baseado só em planejamento, tem que ser mais espontâneo, tem que ter a motivação de ambas as partes. Isso tudo é percepção, sentimento, não é planejamento", disse.

Para o ministro, a melhoria do ambiente político é necessária para garantir a aprovação da reforma da Previdência, que começa a tramitar agora na Câmara dos Deputados. "Melhorando o ambiente político, melhora para tudo. A reforma é um item extremamente importante, mas não é só isso", disse.

Além da reforma, o ministro afirmou que tratou com os senadores sobre cerca de 20 outros temas. Ele não detalhou quais seriam eles, mas citou como exemplo a discussão sobre obras inacabadas no País e estradas que precisam de mais atenção.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Tamanho menor

Zara fecha sete lojas no Brasil em plano de reorganização

O plano da empresa foi traçado em 2020 e, no Brasil, começou ainda no ano passado, com o fechamento de lojas nas cidades de Joinville (SC) e São José dos Campos (SP)

Seu Dinheiro no sábado

A única coisa que Bill Gates não pode comprar

Troca de presidente nos Estados Unidos, início da vacinação para covid no Brasil e comunicado do Banco Central com vocabulário novo. A semana que se encerra trouxe novidades importantes. É bem verdade que também teve notícia velha, daquelas que encontramos todos os dias: disputas políticas entre Jair Bolsonaro e João Dória, caos nos hospitais públicos […]

Sem dieta

McDonald’s tem planos de abrir 50 novos restaurantes na América Latina, 80% deles no Brasil

Rede pretende investir até US$ 130 milhões (R$ 690 milhões) na região e também quer reforçar o drive-thru, delivery e o aplicativo

Bilionário imunizado

Adivinha quem já foi vacinado? Bill Gates compartilha foto e diz como se sente após tomar 1ª dose

Fundador da Microsoft compartilhou foto do momento em que era vacinado e enalteceu o trabalho dos cientistas, voluntários e profissionais da saúde que trabalham no combate à pandemia

Início de cobertura

Após queda de 56%, XP revela o que espera das ações da dona da rede de restaurantes Frango Assado e Pizza Hut no Brasil

Os analistas da corretora iniciaram a cobertura das ações da IMC com recomendação neutra e preço-alvo de R$ 4,00, o que indica um potencial de alta de 8%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies