Menu
2019-12-16T09:09:37-03:00
o que o mercado espera

Mercado eleva novamente estimativa para inflação e PIB em 2019

Projeções constam no boletim Focus – pesquisa semanal BC que traz as projeções de instituições para os principais indicadores econômicos

16 de dezembro de 2019
9:04 - atualizado às 9:09
porcentagem
Imagem: Shutterstock

As instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) aumentaram novamente a estimativa para a inflação e crescimento da economia este ano.

A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 3,84% para 3,86%, segundo o boletim Focus - pesquisa semanal do BC que traz as projeções de instituições para os principais indicadores econômicos.

No mês passado, o IPCA ficou em 0,51%, maior taxa para o mês desde 2015 (1,01%), puxada pela alta de 8,09% nos preços da carne. Em 12 meses encerrados em novembro, o IPCA ficou em 3,27%.

Para 2020, a estimativa de inflação permaneceu em 3,60%. A previsão para os anos seguintes também não teve alterações: 3,75% em 2021, e 3,50% em 2022.

PIB

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – subiu de 1,10%, para 1,12% neste ano.

As estimativas das instituições financeiras para 2020 variou de 2,24% para 2,25%. Para 2021 a expectativa se manteve em 2.50%.

Em dezembro, o IBGE informou que o PIB cresceu 0,6% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com o trimestre anterior.

Selic

De acordo com as instituições financeiras, a Selic deve ficar em 4,5% ao ano - mesma projeção da semana passada. Para o fim de 2020, a expectativa é que a taxa básica também esteja em 4,5% ao ano.

Para 2021, as instituições estimam que a Selic encerre o período em 6,13%, ante 6,25% ao ano esperado na semana passada.

Um parênteses: quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Já quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. A manutenção da Selic indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

A projeção para a cotação do dólar permaneceu em R$ 4,15, no final de 2019. A expectativa para o ano seguinte segue em R$ 4,10.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

ranking da forbes

Varejo invade lista de mais ricos do Brasil; saiba mais sobre os bilionários

Luiza Trajano, Ilson Mateus e Luciano Hang chegam entre os 10 mais ricos do país, em um ano marcado por mudanças no setor varejista, alta das ações e IPOs

Seu Mentor de Investimentos

Como proteger seus investimentos diante do risco de sanções comerciais por causa das queimadas

País tornou-se um pária no mundo por conta do que acontece no Pantanal e na Amazônia, diz colunista Ivan Sant’Anna; ele aponta uma série de tipos de ativos que podem estar imunes a uma eventual protesto da comunidade internacional

caso de fevereiro

Guedes ‘excedeu barbaramente’ limites ao comparar servidor a parasita, diz juíza

Cláudia da Costa Tourinho Scarpa, da 4ª Vara Federal Cível da Bahia, afirmou que o ministro da Economia ‘insultou’ os servidores públicos

em recuperação judicial

Justiça dos EUA libera empréstimo de US$ 2,4 bi da Latam

Nova proposta retirou cláusula questionada por minoritários

o melhor do seu dinheiro

Briga de bilionários e a maior besteira da minha vida

Texto mais lido da semana foi sobre uma troca de farpas virtual entre Elon Musk e Bill Gates. O motivo da discórdia? A viabilidade de veículos elétricos para longas distâncias

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements