Menu
2019-12-23T11:48:53-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Boletim semanal

Expectativa para inflação em 2019 tem sétima alta consecutiva no Boletim Focus

Boletim divulgado pelo BC mostra que a mediana para o IPCA este ano foi de alta de 3,86% para 3,98%

23 de dezembro de 2019
9:52 - atualizado às 11:48
análise projeção focus
Imagem: Shutterstock

Os economistas do mercado financeiro alteraram pela sétim vez consecutiva a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) o indicador oficial de preços em 2019.

O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 23, pelo Banco Central, mostra que a mediana para o IPCA este ano foi de alta de 3,86% para 3,98%. Há um mês, estava em 3,46%. A projeção para o índice em 2020 permaneceu em 3,60%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo patamar.

O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2021, que seguiu em 3,75%. No caso de 2022, a expectativa permaneceu em 3,50%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,75% e 3,50%, respectivamente.

A projeção dos economistas para a inflação está abaixo do centro da meta de 2019, de 4,25%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto porcentual (índice de 2,75% a 5,75%). Para 2020, a meta é de 4%, com margem de 1,5 ponto (de 2,50% a 5,50%). No caso de 2021, a meta é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%). Já a meta de 2022 é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (de 2,00% a 5,00%).

No início de dezembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA subiu 0,51% em novembro. No ano, a taxa acumulada é de 3,12% e, em 12 meses até novembro, de 3,27%.

Também em dezembro, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC atualizou suas projeções para a inflação. Considerando o cenário de mercado, a projeção para o IPCA em 2019 está em 4,0%. No caso de 2020, está em 3,5% e, para 2021, em 3,4%.

Top 5 para inflação

No Focus desta segunda-feira, entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2019 foi de 3,95% para 4,13%. Para 2020, a estimativa do Top 5 permaneceu em 3,50%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,50% e 3,55%, nesta ordem.

No caso de 2021, a mediana do IPCA no Top 5 permaneceu em 3,75%, ante 3,70% de um mês atrás. A projeção para 2022 no Top 5 seguiu em 3,63%, ante 3,50% de quatro semanas antes.

Últimos 5 dias

A projeção mediana para o IPCA de 2019 atualizada com base nos últimos 5 dias úteis foi de 3,92% para 4,15%, conforme o Relatório de Mercado Focus. Houve 54 respostas para esta projeção no período. Há um mês, o porcentual calculado estava em 3,50%.

No caso de 2020, a projeção do IPCA dos últimos 5 dias úteis foi de 3,60% para 3,59%. Há um mês, estava em 3,57%. A atualização no Focus foi feita por 53 instituições.

A última do ano

Os economistas do mercado financeiro alteraram a previsão para o IPCA em dezembro de 2019, de alta de 0,72% para 0,84%, conforme o Relatório de Mercado Focus. Um mês antes, o porcentual projetado indicava inflação de 0,41%.

Para janeiro, a projeção no Focus foi de alta de 0,40% para 0,38% e, para fevereiro, foi de alta de 0,43% para 0,42%. Há um mês, os porcentuais de alta eram de 0,39% e 0,42%, respectivamente.

E em 12 meses?

No Focus desta segunda-feira, a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 3,89% para 3,84% de uma semana para outra. Há um mês, estava em 3,68%.

PIB para cima

Ainda no Focus, a expectativa de crescimento da economia em 2019 foi de 1,12% para 1,16%. Há quatro semanas, a estimativa de alta era de 0,99%.

Para 2020, o mercado financeiro alterou a previsão de alta do Produto Interno Bruto (PIB), de 2,25% para 2,28%. Quatro semanas atrás, estava em 2,20%.

Na semana passada, o BC atualizou, por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), sua projeção para o PIB em 2019, de alta de 0,9% para elevação de 1,2%. No caso de 2020, a projeção passou de 1,8% para 2,2%.

No Focus desta segunda-feira, a projeção para a produção industrial de 2019 foi de baixa de 0,71% para recuo de 0,72%. Há um mês, estava em baixa de 0,70%.

No caso de 2020, a estimativa de crescimento da produção industrial seguiu em 2,02%, ante 2,30% de quatro semanas antes.

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2019 permaneceu em 56,10%. Há um mês, estava em 56,70%. Para 2020, a expectativa foi de 58,00% para 57,90%, ante 58,30% de um mês atrás.

Corte no câmbio

O Focus mostrou alteração no cenário para a moeda norte-americana em 2019. A mediana das expectativas para o câmbio no fim deste ano caiu de R$ 4,15 para R$ 4,10, ante R$ 4,10 de um mês atrás.

Para o próximo ano, a projeção para o câmbio permaneceu em R$ 4,10, ante R$ 4,00 de quatro pesquisas atrás.

Selic estável

Os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2020. A mediana das previsões para a Selic no próximo ano seguiu em 4,50% ao ano. Há um mês, estava no mesmo patamar.

Já a projeção para a Selic no fim de 2021 foi de 6,13% para 6,25% ao ano, ante 6,00% de quatro semanas atrás. No caso de 2022, a projeção seguiu em 6,50%, igual a um mês antes.

Há duas semanas, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC cortou a Selic em 0,50 ponto porcentual, de 5,00% para 4,50% ao ano.

Foi o quarto corte consecutivo da taxa básica. No comunicado sobre a decisão, o BC não se comprometeu com novos cortes no início de 2020.

"O Copom entende que o atual estágio do ciclo econômico recomenda cautela na condução da política monetária", registrou o BC no comunicado da decisão.

Top 5 para Selic

No grupo dos analistas que mais acertam as projeções de médio prazo no Focus, a mediana da taxa básica em 2020 seguiu em 4,25% ao ano, ante 4,00% de um mês antes.

No caso de 2021, permaneceu em 6,50% ao ano, igual a quatro semanas atrás. A projeção para o fim de 2022 no Top 5 permaneceu em 6,50%. Há um mês, estava no mesmo patamar.

Preços administrados

O Relatório de Mercado Focus indicou alteração na projeção para os preços administrados em 2019. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador este ano foi de alta de 5,11% para 5,18%.

Para 2020, a mediana passou de alta de 4,00% para 3,94%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 5,05% para os preços administrados em 2019 e elevação de 4,00% em 2020.

As projeções atuais do BC para os preços administrados, no cenário de mercado, indicam elevações de 5,1% em 2019 e 3,6% em 2020. Estes porcentuais foram atualizados na ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom).

Superávit comercial

Os economistas do mercado financeiro alteraram a projeção para a balança comercial em 2019 de superávit comercial de US$ 43,00 bilhões para US$ 43,25 bilhões. Um mês atrás, a previsão era de US$ 44,60 bilhões. Para 2020, a estimativa de superávit foi de US$ 38,45 bilhões para US$ 39,00 bilhões. Há um mês, estava em US$ 41,00 bilhões.

Na estimativa mais recente do BC, o saldo positivo de 2019 ficará em US$ 39,0 bilhões. No caso de 2020, a expectativa é de saldo positivo de US$ 32,0 bilhões. Estas projeções foram atualizadas no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) divulgado na última semana.

No caso da conta corrente, a previsão contida no Focus para 2019 foi de déficit de US$ 47,50 bilhões para US$ 50,00 bilhões, ante US$ 36,75 bilhões de um mês antes. Para 2020, a projeção de rombo foi de US$ 51,00 bilhões para US$ 53,70 bilhões. Um mês atrás, o rombo projetado era de US$ 38,00 bilhões.

O BC projeta déficits em conta de US$ 51,1 bilhões em 2019 e de US$ 57,7 bilhões em 2020.

Para os analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será mais do que suficiente para cobrir o resultado deficitário nos próximos anos. A mediana das previsões para o IDP em 2019 foi de US$ 75,55 bilhões para US$ 76,10 bilhões. Há um mês, estava em US$ 77,00 bilhões. Para 2020, a expectativa seguiu em US$ 80,00 bilhões, igual a um mês antes.

O BC projeta IDP de US$ 80,0 bilhões em 2019 e também em 2020.

IGP-M

O Relatório de Mercado Focus mostrou que a mediana das projeções do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de 2019 passou de 6,03% para 6,58%. Há um mês, estava em 5,41%.

No caso de 2020, o IGP-M projetado foi de alta de 4,17% para 4,18%, ante 4,08% de quatro semanas antes.

Calculados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), os Índices Gerais de Preços (IGPs) são bastante afetados pelo desempenho do câmbio e pelos produtos de atacado, em especial os agrícolas.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

mercado de ações

A B3 vai ter concorrência, mas não hoje: os riscos e oportunidades dos desafiantes ao monopólio da bolsa brasileira

Autorização para a empresa Mark2Market operar como central depositária de títulos volta a esquentar debate sobre atuação da B3, mas mercado vê quebra de monopólio improvável no curto prazo

Triste marca

Brasil registra mais de 500 mil mortos por covid-19

Em 24 horas foram 2.301 óbitos e 82.288 novos casos. Em nota, Conass ressalta que o Brasil tem 2,7% da população mundial, e é responsável por 12,8% das mortes

Here comes the sun

Energia solar ruma para liderança no País até 2050

O sol será responsável por 32% da geração, ao mesmo tempo em que a participação das hidrelétricas deve cair para cerca de 30%

ESTRADA DO FUTURO

Os três setores mais lucrativos em tecnologia, e por que você deve investir neles

Integração entre softwares e Inteligência Artificial são dois dos segmentos que devem fazer parte de qualquer portfólio de investimentos vencedor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies