Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-11-13T11:52:31-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Câmbio

Dólar: todos de olho no R$ 4,20

Operadores se perguntam se Banco Central (BC) poderia intervir com dólar voltando a flertar com máximas históricas

13 de novembro de 2019
10:36 - atualizado às 11:52
dólar
Imagem: Shutterstock

O dólar comercial opera em alta nesta quarta-feira (13), e as conversas nas mesas de operação giram em torno da possibilidade de alguma intervenção do Banco Central (BC), já que a moeda se aproxima dos R$ 4,20, que marca a máxima histórica nominal. Por volta das 10h30, o dólar subia 0,24%, a R$ 4,1767, depois de fazer máxima a R$ 4,1857 (veja nossa cobertura de mercados).

Em 27 de agosto, o BC entrou vendendo dólares das reservas pela primeira vez desde fevereiro de 2009, quando a moeda flertou, justamente, com os R$ 4,20. Mas como já dissemos, as atuações do BC não buscam defender uma linha específica de preço ou mudar a tendência do mercado, mas sim suavizar eventuais movimentos de estresse. Tal estratégia é conhecida como “leaning against the wind” ou “inclinar-se contra o vento” em tradução literal.

Nos últimos dias, não só o real, mas outras moedas da América Latina estão sob pressão pela instabilidade política no Chile, onde o peso testa mínimas históricas contra o dólar, e Bolívia. Além disso, há um contexto de renovadas dúvidas com o acordo comercial entre China e Estados Unidos e apreensão, também, com as manifestações em Hong Kong.

No lado doméstico, os vetores também são desfavoráveis a um real mais forte. A baixa participação de estrangeiros nos leilões do pré-sal obrigou parte do mercado a rever apostas com relação à entrada de dólares no mercado.

Fora isso, os meses de novembro e dezembro são sazonalmente negativos em termos de fluxo, pois empresas e investidores fecham balanços e aumentam as remessas de moeda para fora do país.

Nos últimos anos, o BC fez leilões de linha com compromisso de recompra para atender à demanda pontual de fim de ano. Mas como sua estratégia de atuação no cambial mudou, com troca de derivativos (swaps) por operações à vista, é possível que vejamos maiores volumes de vendas à vista até o fim de 2019.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies