Menu
2019-11-28T07:24:12-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Câmbio

BC mandou avisar: Tem venda de dólar nesta quinta-feira

Oferta no mercado à vista será de até US$ 1 bilhão e marca nova estratégia depois de dois dias de ofertas surpresa

27 de novembro de 2019
19:47 - atualizado às 7:24
pá-de-dolares
Imagem: Shutterstock

Depois de dois pregões com venda surpresa de dólar no mercado à vista, o Banco Central (BC) mudou a estratégia. Já anunciou, que vai vender até US$ 1 bilhão de dólares na quinta-feira pela manhã.

Vale lembrar que a atuação não se limita apenas a essa oferta. Como o presidente, Roberto Campos Neto, e o diretor Bruno Serra Fernandes, já disseram, o BC atuará sempre que entender que o mercado está disfuncional, descolado dos fundamentos ou com problemas de liquidez.

Ao pré-anunciar sua atuação, o BC perde o elemento surpresa, mas consegue afastar as suspeitas de parte do mercado de que pretende defender uma linha de preço. Tanto ontem, como hoje, os leilões aconteceram com o dólar à vista testando a linha de R$ 4,27. E tanto ontem, como hoje, o dólar manteve a trajetória de alta após as atuações, fechando em máxima histórica nominal de R$ 4,2586, alta de 0,44% - veja nossa cobertura de mercados.

Discutimos as diferentes percepções do mercado sobre as recentes atuais do BC neste texto. Agora vale aguardar qual será a reação do mercado à nova modalidade de atuação. O pregão de amanhã pode ser de liquidez reduzida em função do feriado nos EUA.

Surpresa ou ração?

Já dissemos que a atuação surpresa, seja à vista, com swaps ou linhas, é a arma mais poderosa que o BC tem para atuar no mercado de câmbio.

Alguns estudos acadêmicos já fizeram a comparação entre atuações anunciadas previamente e as repentinas e o modelo sem aviso e com volumes elevados foi o que se mostrou o mais eficiente em “convencer” o mercado a seguir na mesma direção da intervenção. O que o BC não consegue é reduzir a volatilidade da taxa (working paper 413 “Efeitos das Intervenções Cambiais sobre a Taxa de Câmbio Futura no Brasil” link aqui).

O que o BC faz ao atuar sem aviso prévio é tirar o comprado, aquele que ganha com a alta do dólar, da zona de conforto. Antes de abrir nova posição esse cara vai se questionar, tentar estimar ou montar alguma regra para escapar ou antecipar a atuação do BC (vale para o vendido também em momentos de baixa, ou seja, quando o BC compra).

Um dos riscos da ação previamente anunciada é o mercado entender que terá uma “ração diária”, o que acomoda a atuação de comprados e vendidos. O BC já usou a tal “ração diária” em outras ocasiões, a mais recente foi em junho 2014, com a venda de swaps cambiais, programa que passou de US$ 100 bilhões ofertados ao mercado e que foi alvo de críticas nos anos posteriores.

Também já discutimos detidamente a questão dos fundamentos de mercado nesse texto aqui, mas basicamente temos uma mudança de política econômica. A redução do gasto do governo abriu espaço para o corte da taxa de juros e o real deixou de ser moeda de arbitragem. Deixamos de “exportar taxa de juro” e o dólar deixou de ser "âncora" para o BC manter a inflação na meta.

Além disso, tivemos expressivo volume de empresas trocando dívida externas por interna, também reflexo da queda de juro por aqui. Algo salutar, mas que ampliou a demanda por dólar à vista ao longo do ano.

Mais recentemente, tivemos frustração com leilão do pré-sal, aumento das tensões políticas na América Latina e um período sazonal ruim, pois novembro e dezembro concentram remessas de lucros e dividendos. Ainda nesta semana, o próprio BC surpreendeu o mercado mostrando um rombo maior nas contas externas ao reclassificar a conta de lucros e dividendos.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

AS DICAS DO GURU

Coronavírus é ‘assustador’, mas não é hora de vender ações, para Warren Buffett

“Compramos ações para ficar por 20, 30 anos e achamos que o cenário para 20, 30 anos não mudou pelo coronavírus.”

AÇÕES

ADRs do Brasil fecham em forte queda em NY; Vale cai 7,5% e Petrobras recua 6,7%

Os grandes bancos também amargaram perdas importantes em Nova York, embora menores que Petrobras e Vale

OLHO NO VÍRUS

Brasil amplia lista de países para definir suspeitos de coronavírus

Com a nova atualização, a lista agora inclui, além da Itália, Alemanha, França, Austrália, Filipinas, Malásia, Irã e Emirados Árabes

CORONAVÍRUS

Impacto do coronavírus na economia ficará mais claro em 3 a 4 semanas, diz Mnuchin

“Não acho que as pessoas deveriam estar entrando em pânico mas, por outro lado, é preocupante”, disse o secretário

CAÇADOR DE ASSIMETRIAS

Quarteirão, Quarter Pounder ou Royale, não importa… temos que comprar ouro

Uma curiosidade: alguns lanches mudam de nome a depender do país em que estamos. Sabe por quê? Devido ao sistema métrico de cada território. Por exemplo, um Quarteirão com Queijo aqui no Brasil leva o nome de Quarter Pounder with Cheese nos EUA e Royale with Cheese na França.  Quem me ensinou isso foi Pulp […]

Check up dos investimentos

O que considerar na hora de avaliar o desempenho da sua carteira – e quais ferramentas podem te ajudar

Montei um guia para você saber tudo que precisa levar em consideração na hora de avaliar o desempenho da sua carteira de investimentos, principalmente se você investe por meio de diversas instituições financeiras. Também listei algumas ferramentas que podem te ajudar na empreitada.

DE OLHO NO NUBANK

Número de contas do Nubank cresce 485%, mas prejuízo também acelera e chega a R$ 312,7 milhões

Mas nem tudo foi ruim. De acordo com o documento apresentado pela fintech, o Nubank fechou o ano passado com 16 milhões de contas, sendo que 45 mil foram apenas contas voltadas para pessoas jurídicas (PJs)

AVERSÃO AO RISCO

‘Índice do medo’ dispara mais de 46% em meio a movimento de aversão ao risco no mundo

Seguindo na mesma direção, o ouro também apresentou alta na tarde desta segunda-feira por conta do movimento de busca por proteção

ECONOMIA

Carnaval 2020 deve movimentar R$ 8 bilhões na economia, diz CNC

Segundo a CNC, “a recuperação gradual da atividade econômica, combinada à inflação baixa” tendem a refletir na recuperação moderada dos serviços turísticos

AVIAÇÃO

Empresa americana ExpressJet Airlines compra 36 aviões da Embraer

A companhia anunciou também que vai diminuir gradualmente a sua frota de aeronaves E175 para acelerar o crescimento e se tornar uma companhia mais eficiente

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements