Menu
2019-08-29T19:11:13-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Facilitando a vida

Corretoras poderão emprestar ativos próprios para uso como garantia

Medida foi anunciada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e alinha regras locais às existentes nos demais mercados

29 de agosto de 2019
19:11
Imagem mostra pontos que formam saco de dinheiro
Imagem: Shutterstock

Quando você quer montar uma posição vendida ou operar derivativos e contratos futuros, a corretora te exige garantia, normal. Você vai lá, compra títulos do Tesouro ou deposita margem. Agora, corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários poderão emprestar ativos próprios a seus clientes para uso como garantia.

A nova regulamentação foi feita pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e atende à necessidade de clientes que possuem ativos de boa qualidade, mas que não são aceitos como garantia pelas câmaras ou prestadores de serviço de compensação e liquidação. Exemplo, cotas de um fundo que invista nos mesmos títulos do Tesouro.

De acordo com chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro, João André Pereira, essa demanda era muito forte por parte das corretoras que atuam com commodities.

Ainda de acordo com Pereira, corretoras e clientes acertarão entre si a necessidade ou não de contragarantia. A corretora te empresta os títulos e retém suas cotas de fundo, por exemplo.

Em nota, o Banco Central (BC) explica que a mudança aproxima a regulação do Sistema Financeiro Nacional (SFN) com as melhores práticas dos mercados internacionais, nos quais as sociedades intermediadoras já têm por prática apresentar garantias em nome dos clientes, utilizando ativos de suas carteiras próprias.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Exclusivo SD Premium

Por que a nova “febre do ouro” ainda está longe do fim

Acredito que o mercado vai agora acumular ao redor de US$ 2.000, antes de retomar a subida. Embora estejamos falando de ouro virtual, não é nenhum exagero dizer que estamos em nova corrida do ouro, com todas as suas alegrias e decepções

Otimismo cauteloso

Lucro da Movida tomba 94% no segundo trimestre, mas CFO espera recuperação: ‘Carro sai mais forte’

Companhia está “cautelosamente otimista”, diz Edmar Lopes Neto, que prevê crescimento da frota e atesta recuperação da demanda

listagem no novo mercado

Caixa Seguridade protocola retomada de IPO na CVM e listagem na B3

Caixa Seguridade informou que a controladora protocolou perante ao órgão e à B3 o pedido de retomada do registro de IPO de ações ON

números da pandemia

Covid-19: Brasil tem 104 mil mortes e 3,16 milhões de casos acumulados

Ontem o painel trazia 103.026. Ainda há 3.454 óbitos em investigação

seu dinheiro na sua noite

O Ibovespa entre o Céu e o Inferno

Desde que ultrapassou novamente os 100 mil pontos, em meados de julho, o Ibovespa tem ficado meio… de lado. Essa é a expressão usada no mercado quando um índice ou ativo fica nesse “chove não molha”: sobe um pouquinho, cai um pouquinho, mas sempre rondando o mesmo patamar. E não é que o noticiário esteja […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements