Menu
2019-07-14T19:57:06-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
azedou?

Avaliação de que relação da Câmara com o Planalto é ruim ou péssima dá um salto: de 12% para 55%

Resultados da pesquisa da XP Investimentos surgem num momento em que o executivo começa a articular com siglas partidárias pela reforma da Previdência, após passar as primeiras semanas negando a “velha política”

9 de abril de 2019
11:30 - atualizado às 19:57
Bolsonaro Congresso
Cerimônia de posse do presidente da República, Jair Bolsonaro - Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O clima na Câmara dos Deputados azedou. Pelo menos é o que parece sentir mais da metade dos recém-empossados (55%). Eles afirmaram que a relação entre a Casa e o Planalto é ruim ou péssima, em pesquisa da XP Investimentos.

Os resultados da pesquisa surgem num momento em que o executivo começa a articular com siglas partidárias pela reforma da Previdência, após passar as primeiras semanas negando a "velha política". A estratégia adotada num primeiro momento tem custado caro para a popularidade do Planalto na Câmara.

Para se ter uma ideia, em fevereiro, esse número, de deputados que achavam a relação com o Planalto boa ou ruim, era de 12%. Movimento inverso teve a avaliação de bom ou ótimo: hoje 16% têm essa opinião, era 57% nas primeiras semanas do ano legislativo.

Previdência segue vista como necessária

Segundo a XP, a mudança na percepção dos deputados sobre o governo não alterou a relação dos legisladores com a reforma da Previdência: 76% dos consultados dizem ser necessário reformar o sistema de aposentadorias – eram 77% em fevereiro.

Pela primeira vez, os deputados foram consultados sobre os efeitos da reforma: 68% dizem que sua aprovação melhora a perspectiva de crescimento do país.

Mas o próprio Congresso tem reclamado que a Previdência é a única pauta do governo e isso estaria gerando um desgaste dos congressistas com suas bases. Para acalmar os ânimos, presidente Jair Bolsonaro anunciou que iria ao Nordeste divulgar o 13.º do Bolsa Família e demostrar preocupação com outras frentes, mais populares.

Sem oposição, avaliação melhora

Quando a pesquisa da XP considerou apenas deputados que não podem ser classificados como de oposição, o relacionamento foi avaliado como ruim ou péssimo por 44%. Avaliação positiva é de 23%.

Individualmente, avaliação também melhor: 34% dizem que o contato pessoal com o Planalto é ótimo ou bom, enquanto 30% avaliam essa relação direta como ruim ou péssima.

Ainda assim, os números são piores que os de fevereiro, quando 47% tinham avaliação positiva e 19%, negativa.

Entre os consultados, 37% dizem que as demandas encaminhadas ao governo são mal ou muito mal atendidas, contra 23% que se veem bem ou muito bem atendidos pelos órgãos do Executivo. Sem levar em conta os deputados de oposição, os números são 30% (bem ou muito bem) e 33% (mal ou muito mal).

A pesquisa ouviu 201 deputados, entre os dias 26 de março e 4 de abril.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Mudanças

BB confirma Ieda Cagni para presidência do Conselho de Administração

Nesta quarta-feira, foi realizada a primeira reunião do novo Conselho do Banco do Brasil. Na ocasião, os membros eleitos na assembleia definiram os ocupantes dos cargos de presidente e vice-presidente do colegiado.

Seu Dinheiro na sua noite

A receita do dr. Copom: +0,75 ponto de Selic na veia

O Copom cumpriu as expectativas e aumentou a Selic ao nível de 3,5%. No entanto, o comunicado trouxe algumas surpresas

Ficou para 31 de maio

Bolsonaro veta novo adiamento de prazo para entrega do Imposto de Renda

O presidente aceitou a recomendação feita pelo Ministério da Economia, que previa um impacto negativo na arrecadação da União e estados com uma nova data

Mudança nos juros

COMPARATIVO: Veja o que mudou no novo comunicado do Copom

Veja o que ficou igual e o que mudou na decisão do Copom a respeito da taxa Selic, elevada ao patamar de 3,5% ao ano

CRYPTO NEWS

O mercado está cheio de bitcoin, mas as prateleiras estão vazias

O fluxo de saída da criptomoeda mais famosa das exchanges é algo inédito deste ciclo e pode representar a falta do ativo nas exchanges de cripto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies