Menu
2019-06-07T18:42:09-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Enfim, passou!

Câmara conclui votação da MP dos ministérios e medida segue para análise do Senado

Senado tem até a próxima semana para votar a medida, antes que ela perca sua validade, em 3 de junho

23 de maio de 2019
15:23 - atualizado às 18:42
Plenário da Câmara dos Deputados
Plenário da Câmara dos Deputados - Imagem: Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados concluiu nesta quinta-feira, 23, a votação da Medida Provisória 870, editada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, para reestruturar os ministérios.

Agora, a MP será encaminhada para o Senado, que tem a próxima semana para votar a medida, antes que ela perca sua validade, em 3 de junho.

A conclusão da votação foi viabilizada após um acordo entre o Centrão e alguns partidos da oposição, PT e PCdoB principalmente, que aceitaram retirar do relatório da medida um trecho que limitava a atuação dos auditores fiscais da Receita Federal com o compromisso de que as atribuições destes profissionais seja revista em um projeto de lei a ser construído e votado nas próximas semanas.

A questão dos auditores foi incluída no projeto de conversão da MP pelo relator e líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), ainda na comissão mista da MP, e teve a anuência do presidente Jair Bolsonaro.

O PSL e outros partidos alinhados ao governo, no entanto, endossaram na quarta a aprovação de uma emenda que retomava o texto original da medida, o que irritou o Centrão e levou ao encerramento da sessão de quarta-feira antes da conclusão da MP. A emenda foi aprovada nesta quinta simbolicamente.

Os deputados também aprovaram um último destaque e excluíram do texto o ponto que atribuiu ao Ministério da Ciência e Tecnologia a gestão do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). O fundo continuará sob a gestão da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). A votação desse ponto também foi simbólica.

Dentre os vários pontos do texto final aprovado na Câmara, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) foi devolvido ao Ministério da Economia. A MP inicial de Bolsonaro havia transferido o órgão para o Ministério da Justiça e Segurança Pública, de Sergio Moro.

Os deputados também rejeitaram recriar o Ministério do Trabalho e aprovaram um destaque, apresentado pelo Cidadania, para manter o Ministério do Desenvolvimento Regional, o que evitou a recriação dos ministérios das Cidades e Integração Nacional.

No Senado, a coisa muda?

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), disse que os senadores vão manter a Receita Federal com autorização para investigar crimes não tributários. "Fica do jeito que a Câmara votou", declarou.

Segundo Bezerra, a MP 870 deverá ser votada na próxima terça-feira, 28. "Vai ser terça (a votação), nenhuma (chance de caducar). A MP vai ser aprovada".

A limitação que proibia auditores fiscais de investigarem crimes não tributários havia sido incluída no relatório de Bezerra quando a medida provisória passou pela comissão mista de deputados e senadores.

O senador afirmou que o governo vai continuar defendendo o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) com o Ministério da Justiça apesar de a Câmara ter deliberado a volta do órgão ao Ministério da Economia.

As maiores bancadas do Senado, porém, devem manter o texto aprovado pelos deputados. "Nós vamos defender o Coaf como o ministro Moro, mas isso depende de uma decisão do plenário do Senado", declarou o líder do governo.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Oferta na Nasdaq

Cogna pode “destravar valor” com com IPO da Vasta e ação sobe forte

Metade do dinheiro captado no IPO vai para o caixa da Cogna, que detém 100% da Vasta e é credora de R$ 1,6 bilhão em debêntures emitidas pela empresa de sistemas de ensino para educação básica

demandas da pandemia

Ação da Uber sobe mais de 6% após compra de serviço de delivery Postmates

Aquisição deve aprimorar o Uber Eats; segundo a empresa, a Postmates é ‘altamente complementar’: tem focos geográficos diferentes e relacionamento mais forte com restaurantes pequenos

acordo

Smiles vai comprar R$ 1,2 bilhão de créditos de passagens antecipadas da Gol

No primeiro pregão após o anúncio, ações da Smiles recuam e os papéis da Gol avançam; estimativa é de geração de valor econômico de cerca de R$ 85 milhões

Ideias do Paletta

Seis riscos que vão te perseguir o resto do ano

Por melhor que você seja em modelagem financeira, e por maior que seja o seu controle emocional, é impossível conter os equívocos. Eles vão acontecer.

RETOMADA DA PRODUÇÃO

Produção de veículos sobe 129,1% em junho ante maio, diz Anfavea

“Era um crescimento esperado, porque mais montadoras voltaram a produzir em junho”, disse o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, em coletiva online.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements