2019-07-12T09:56:32-03:00
Protagonismo?

Apenas 16% da população acha que o Congresso faz um bom trabalho

Em abril, percentual era de 22%, melhor resultado já captado por pesquisa Datafolha

12 de julho de 2019
9:56
Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ); presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). - Imagem: Pedro França/Agência Senado

O Congresso Nacional, na figura de seus líderes Rodrigo Maia, na Câmara, e Davi Alcolumbre, no Senado, tenta mostrar maior protagonismo e responsabilidade diante das pautas de interesse nacional, como a reforma da Previdência e e a já acenada reforma tributária. Mas isso não se reflete na opinião da população.

Segundo pesquisa do Datafolha, apenas 16% da população considera o Congresso ótimo ou bom, uma queda sensível com relação aos 22% que tinham essa avaliação em abril e que tinha marcado a melhor leitura para início de legislatura em comparação com sondagens semelhantes feitas em 2007 e 2015.

O que subiu, em mesma proporção, foi o percentual daqueles que consideram o Congresso ruim ou péssimo. De 32% em abril para 38% agora em julho. A avaliação regular se manteve em 41%.

Os números captados pelo Datafolha são semelhantes aos obtidos pela XP Ipespe, que mostra 12% de ótimo e bom, 43% de regular e 45% de ruim ou péssimo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

O dado que chama atenção na pesquisa é o cruzamento dessa avaliação com a percepção sobre o governo Jair Bolsonaro. Quem considera o governo ótimo ou bom tem visão mais positiva sobre o Congresso, apesar do certo distanciamento que Bolsonaro tenta manter da política e dos políticos.

A pesquisa mostra que 26% dos que aprovam Bolsonaro consideram o Congresso ótimo ou bom. Entre os que desaprovam o presidente, apenas 10% têm essa avaliação positiva com relação a deputados e senadores.

Em outra pesquisa, o Datafolha mostrou que 33% da população classifica o presidente como ótimo ou bom, outro terço dá nota regular e o terço final diz que ele é ruim um péssimo.

Quanto maior a escolaridade, maior a insatisfação. Dos entrevistados com ensino fundamental, 32% dá nota ruim/péssimo, percentual que sobe a 47% entre aqueles com nível superior.

A confiança no Congresso só não é menor que nos partidos políticos. Apenas 7% dizem confiar muito no Congresso e 4% (quase margem de erro) nos partidos.

Foram entrevistadas 2.086 pessoas entre os dias 4 e 5 de julho em 130 municípios. A margem de erro de 2 pontos percentuais.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas tentam se recuperar da queda após decisão do Fed e Ibovespa busca manter ritmo de alta mesmo com risco fiscal no radar

Depois de tocar os 112 mil pontos ontem (26), a bolsa brasileira precisa enfrentar o ajuste de carteiras ao novo cenário de juros altos

Exclusivo

Na “caça aos unicórnios”, Itaú lança fundo para aplicar em gestores de investimentos alternativos

O banco acaba de abrir para captação o Polaris, fundo com objetivo de retorno de até 25% ao ano e foco em investimentos que vão bem além do “combo” tradicional de bolsa, dólar e juros

CONSTRUTORAS COM DESCONTO

Vendas de imóveis em alta, ações em baixa. A queda das incorporadoras abriu uma oportunidade de compra na bolsa?

Os resultados do quarto trimestre mostram que as empresas do setor entregaram desempenhos sólidos, mas as ações caminham na direção contrária

COMPRA PROGRAMADA

‘Vale Gás’: Ultragaz cria cartão que permite ‘congelar’ o preço e parcelar a compra do gás de cozinha

O GLP é um dos derivados de petróleo afetado pela alta do dólar frente ao real e pela valorização da commodity no mercado internacional

SALTO COM FINANÇAS

Itaú (ITUB4) escala 53 posições em ranking e se torna único brasileiro entre 500 marcas globais mais valiosas; veja lista completa

Além de figurar entre as marcas mais valiosas, o Itaú conquistou uma posição na lista dos 250 principais CEOs ou “guardiões de marca”