Menu
2019-11-26T14:03:12-03:00
de olho nas cifras

Compras com cartões aumentam 18% em um ano e atingem R$ 461 bilhões no terceiro trimestre

Compras com cartões de crédito, débito e pré-pagos no ano até o fim de setembro tiveram valor transacionado de R$ 1,31 trilhão

26 de novembro de 2019
14:02 - atualizado às 14:03
Point Pro, maquininha de cartões do Mercado Pago
Point Pro, maquininha de cartões do Mercado Pago - Imagem: Sergio Zacchi/Divulgação

A compras com cartões no terceiro trimestre deste ano somaram R$ 461 bilhões, aumento de 18% na relação anual, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), que representa o setor de meios eletrônicos de pagamento.

As compras com cartões de crédito, débito e pré-pagos no ano até o fim de setembro tiveram valor transacionado de R$ 1,31 trilhão, expansão também de 18% na relação anual. Com isso, a entidade prevê que no ano o valor ficará acima de R$ 1,8 trilhão, conforme o previsto para 2019.

O presidente da entidade, Pedro Coutinho, destaca que para 2019 ainda é previsto que a participação dos pagamentos digitais no consumo das famílias deverá fechar em 43,5%. Já a representatividade do setor de cartões no Produto Interno Bruto (PIB) deverá ficar em 28%, segundo a Abecs.

"Mantemos nossa posição otimista quanto ao setor. A dinâmica da inovação, dos desafios e concorrência tem ocorrido diariamente. Todas as empresas estão se movimentando", afirmou Coutinho.

O executivo disse que a associação ainda não tem uma projeção do setor para 2020, mas a expectativa é de crescimento robusto, dadas as estimativas para a economia do País no ano que vem.

Considerando o período entre julho e setembro, o crédito movimentou R$ 291,6 bilhões, alta de 19,3%; em débito alcançou R$ 162,9 bilhões, aumento de 14%; e em pré-pago, que chegou a R$ 5,4 bilhões, alta de mais de 85%.

Em quantidade de transações no acumulado todas as modalidades de cartão juntas registraram 15,9 bilhões, crescimento de 17,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

A Abecs destacou que, em pesquisa realizada junto com o Instituto Datafolha, mostra que 48% dos usuários de cartão fazem compras pela internet, e o cartão de crédito responde por 82% dos pagamentos no e-commerce. Segundo o levantamento, o celular é o canal mais usado para as compras online.

A preferência pelo smartphone cresceu de 53% para 72%, entre 2017 e 2019, e continua muito acima dos demais canais, como o laptop (30%), o desktop (28%) e o tablet (4%).

Em volume financeiro, os pagamentos realizados pela internet, ao lado de outras compras não presenciais, já representam 21,5% dos pagamentos com cartões de crédito. Foram R$ 62,2 bilhões transacionados em canais remotos no terceiro trimestre, com crescimento de 26,6% em comparação com o mesmo período de 2018.

A mesma pesquisa aponta que 10% dos usuários de cartão já tiveram alguma experiência de pagamento por aproximação, com uso da tecnologia de aproximação, a NFC (Near Field Communication).

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

IR 2020

Caiu na malha fina? Veja como regularizar a situação

Saiba como regularizar a sua situação junto a Receita Federal caso a sua declaração apresente informações inconsistentes e caia na malha fina do imposto de renda

Flexibilização

Prefeitura de São Paulo assina protocolo para reabrir bares e salões de beleza

A cidade está na terceira etapa do plano de flexibilização da quarentena do governo estadual, chamada de fase amarela. Com os termos firmados, os estabelecimentos poderão voltar a funcionar na segunda-feira

Recuperação

Fundos imobiliários de tijolo subiram 6% em junho; FII de shoppings ainda caem 21% no ano

Fundos imobiliários de papel, por sua vez, valorizaram, em média, só 3% no mês passado, segundo indicadores calculados pelo Banco Inter

BNDES prorroga linha de crédito para pequena e média empresa, com mais R$ 5 bilhões

Linha para capital de giro será prorrogada até 31 de dezembro, com orçamento ampliado

Crise

Risco para investir volta a nível de 2016

Estrangeiro olha com desconfiança para o Brasil, por conta da crise do coronavírus e também pela taxa de juros nas mínimas históricas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements