Menu
2019-10-20T10:15:08-03:00
Estadão Conteúdo
Varejo

Compras pela internet devem crescer 18% na Black Friday deste ano

Expectativa para a Black Friday de 2019 no e-commerce é de faturamento acima de R$ 3 bilhões. O dia de promoções no varejo neste ano será em 29 de novembro

20 de outubro de 2019
10:15
Internet
Imagem: Shutterstock

De acordo com levantamentos realizados pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) e pela consultoria Ebit/Nielsen, a expectativa para a Black Friday de 2019 no e-commerce é de faturamento acima de R$ 3 bilhões, com aumento de 18% em relação ao ano passado.

Para fazer o cálculo, a Ebit considera as vendas de quinta e sexta-feira, enquanto a ABComm leva em conta o período de quinta a segunda-feira pós Black Friday. O dia de promoções no varejo neste ano será em 29 de novembro.

Segundo a líder comercial da Ebit, Ana Szasz, o consumidor brasileiro tem migrado do universo offline, as lojas físicas, para as compras online. Por isso, a data vem se consolidando nos últimos anos no varejo brasileiro.

"O consumidor passou a acreditar que há promoções reais e se prepara para elas. Quer aproveitar a promoção. Está acostumado com a data e tem passado a confiar um pouco mais nas promoções divulgadas pelos varejistas", diz. Para a consultoria, o ticket médio de compra este ano deve ficar em R$ 626.

O presidente da ABComm, Maurício Salvador, diz que, além de os clientes terem uma percepção de que as promoções estão mais confiáveis, eles têm a ideia de que os produtos comprados na internet, geralmente, são mais baratos. "Isso colabora em tempos de crise, porque cada um quer economizar até o último centavo." A associação estima um ticket médio de R$ 340 nesta Black Friday.

Levantamento feito pelo Google, sob encomenda da consultoria em marketing Provokers, com 1,5 mil pessoas de todo o Brasil, e também com dados de uma pesquisa online por meio da ferramenta Google Survey, com mil pessoas, indica que a intenção de compra está 58% maior neste ano na comparação com 2018.

O líder de varejo para eletro e esportes do Google, José Melchert, explica que há dois fatores que explicam os números positivos para a expectativa da data. O primeiro deles diz respeito ao maior otimismo com a economia de modo geral e o segundo tem a ver com a quantidade de produtos que é oferecida na Black Friday com descontos.

"Quando a Black Friday começou no Brasil, entre 2010 e 2012, os artigos oferecidos eram mais restritos a eletrônicos, celulares, moda e beleza. Hoje, temos até lojas de veículos aderindo às promoções, educação, setor financeiro, imóveis, alimentos, viagens", afirma.

Primeira compra

Os especialistas destacam que Black Friday é a ocasião em muitos consumidores fazem a primeira compra em lojas virtuais. "No universo de brasileiros que têm acesso à internet, apenas um terço já fez compras online. Temos, em média, 4 milhões de novos clientes no e-commerce por ano", diz Maurício Salvador, da ABComm.

Segundo Melchert, no levantamento do Google, 99% das pessoas entrevistadas responderam que sabem da data Black Friday. Quando o questionamento é sobre quem já comprou na ocasião, apenas 70% responderam positivamente.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

FECHAMENTO DA SEMANA

Ufa! Ibovespa avança quase 5% em semana de alta volatilidade, mas dólar vai a R$ 5,68

A PEC emergencial e a disparada dos títulos públicos norte-americanos monopolizaram o noticiário, pressionando o câmbio e a bolsa

Regime especial

STF forma maioria para manter sigilo das informações do programa de repatriação

A análise tem origem em uma ação proposta pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) em 2017.

Piorou?

Guedes vê perda estrutural em PEC do auxílio

O plenário do Senado manteve o texto da PEC emergencial com o limite de R$ 44 bilhões para a despesa com o pagamento da nova rodada do auxílio para os mais vulneráveis.

DIÁRIO DE BORDO

À procura de um porto seguro para seu dinheiro em tempos turbulentos no Brasil? Veja onde investir

Se “mar calmo nunca fez bom marinheiro”, o que aprendi nesses meus 25 anos de mercado financeiro é que em momentos de ruídos e turbulências precisamos ser ainda mais persistentes e consistentes em nossos investimentos.

Suspeita de crime

CVM confirma processo para investigar suposto ‘insider trading’ na Petrobras

A suspeita de que alguém pode ter lucrado R$ 18 milhões com o vazamento de informações sobre o que ocorreria na estatal vieram à tona no início da semana e mexeram com os ânimos do mercado.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies