Menu
2019-09-03T16:17:01-03:00
Estadão Conteúdo
Esfriou

Black Friday 2019 deve ter menos promoções e vendas ‘mornas’, diz pesquisa

Faturamento da data comercial deve crescer 4% na comparação com o ano passado, alcançando no máximo R$ 13,5 bilhões

3 de setembro de 2019
16:17
black-friday
Black Friday - Imagem: Shutterstock

A dois meses da Black Friday, principal data do varejo para as vendas de eletroeletrônicos no Brasil, uma pesquisa divulgada nesta terça-feira, 3, aponta para uma edição "morna" de vendas na edição deste ano. A projeção da consultoria GFK estima que, em 2019, o faturamento da Black Friday deve crescer 4%, alcançando no máximo R$ 13,5 bilhões, na comparação com 2018, quando o período de compra registrou crescimento de 9%.

O levantamento leva em consideração apenas as vendas de produtos elétricos e eletrônicos, como linha branca (geladeira, fogão, máquinas de lavar), linha marrom (liquidificadores, forno de micro-ondas), smartphones e produtos de informática.

Em volume, pelo segundo ano consecutivo, a pesquisa não contempla crescimento em volume de vendas. Após retração de 4% em número de produtos comercializados no ano passado, segundo dados da própria GFK, a expectativa é de mais um ano de queda similar ou crescimento zero para a próxima edição.

"Apesar de alguma melhora na economia, com um crescimento de 0,4% do PIB, um pouco acima do esperado para o segundo trimestre, o emprego e renda, que são decisivos para o consumo, ainda demoram a melhorar. Então, por isso, a gente trabalha com um ano mais morno mesmo, com crescimento bem abaixo das edições do passado", conta Felipe Mendes, diretor geral da GFK.

Promoções concentradas

De acordo com as projeções da GFK, os varejistas devem ampliar a concentração de promoções nos produtos com maior valor agregado, estratégia que vem evoluindo nos últimos anos. Os destaques serão, mais uma vez os televisores e smartphones recentemente lançados. Em 2018, 46% do celulares de última geração registraram durante a promoção descontos superiores a 15%. Apenas 16% dos mais antigos ficaram nessa faixa de redução de preço.

"O que está acontecendo é que a Black Friday vai se consolidando como uma data de descontos em produtos premiuns, mais novos e caros. As pessoas guardam dinheiro o ano inteiro para comprar a novidade na semana de descontos no varejo", afirma Mendes.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Fim de papo

Bolsonaro se irrita com questão de frete e termina conversa na saída do Alvorada

Antes, ao ser cobrado quais as propostas para atender a categoria, Bolsonaro repetiu que o “maior problema de vocês (caminhoneiros)” é o preço dos combustíveis e os tributos

Nova realidade?

UBS prevê queda nos preços de minério de ferro e rebaixa Rio Tinto

Para os analistas, problemas com oferta no Brasil, intensificados pela pandemia, e atuação do governo chinês devem pressionar cotação do insumo

Muito além do pix

Bancos Centrais da Suíça e França testam transações com moedas digitais entre países

O experimento visa investir no mercado de empréstimos de “atacado” entre bancos, ao invés de transações públicas diárias, mas será o primeiro teste com as CBDC

COLUNA DO JOJO

Carteira Universa faz dois anos com 30 mil cotistas e ‘goleando’ o CDI; conheça

Ele é um fundo que atinge, na veia, a ideia do Felipe Miranda, que também é a minha: é possível que o varejo invista de forma praticamente idêntica à major league. O público geral não precisa ficar preso às armadilhas dos investimentos ruins.

Empresa de cashback

Méliuz avalia nova oferta de ações apenas para grandes investidores

Empresa pode fazer uma nova oferta de esforços restritos, mas sua efetiva realização, bem como as condições, ainda não foram definidas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies