Menu
2019-08-30T12:50:29-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Roupa nova

Banco Inter dará início às negociações com units na bolsa na sexta-feira

Os certificados de ações terão o código BIDI11 e representam duas ações preferenciais (PN) e uma ordinária (ON) do Banco Inter, que também vai aderir ao Nível 2 de governança da bolsa e estuda captar R$ 1 bilhão em uma oferta de ações

17 de julho de 2019
22:00 - atualizado às 12:50
Cartão do Banco Inter
Cartão do Banco Inter - Imagem: Julia Wiltgen/Seu Dinheiro

Anote o código "BIDI11". A partir desta sexta-feira, dia 19, as negociações com o Banco Inter na bolsa deverão se concentrar nas units – certificados que representam duas ações preferenciais (PN) e uma ordinária (ON) da instituição.

A mudança na forma como o Banco Inter é negociado na B3 faz parte de uma série de mudanças anunciadas pela instituição, que encerrou o semestre com mais de 2,5 milhões de clientes de sua conta digital.

O programa de units foi anunciado no começo deste mês. O período de conversão das ações ocorreu entre 8 e 15 de julho e contou com a adesão de 85% das ações PN e 31,3% das ações ON, o equivalente a aproximadamente 58,2% do capital total do banco.

Junto com as units, o Banco Inter vai aderir ao Nível 2 de governança corporativa, o segundo mais rigoroso da B3, atrás apenas do Novo Mercado.

Se você possui ações do Inter e não aderiu ao programa de units, o banco informou que estuda abrir um novo período de conversão de ações a partir da segunda quinzena de agosto.

Lá vem oferta de ações

Desde o anúncio da adesão ao Nível 2 e o programa de units, as ações PN do Banco Inter (BIDI4) dispararam 26%. No pregão de hoje, os papéis fecharam em queda de 2,16%, a R$ 13,59.

Apesar da melhora na governança ser positiva, a alta surpreendeu porque a instituição anunciou também que estuda fazer uma oferta de ações, que pode chegar a R$ 1 bilhão.

Se for concretizada, a oferta será primária, com a emissão de novas units para reforçar o capital do banco. Ou seja, os controladores não pretendem vender seus papéis na operação, o que poderia ser interpretado como um sinal de que os donos do banco veem os preços atuais na bolsa como bons para venda. De todo modo, a emissão de novas ações levará a uma diluição dos atuais acionistas.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

ALTA VELOCIDADE

Anatel prevê leilão do 5G no final do primeiro semestre de 2021

Presidente da autarquia diz que certame não terá objetivo arrecadatório, mas exigirá das empresas maiores compromissos de investimento

NÚMEROS DA PANDEMIA

Brasil passa de 170 mil mortes por covid-19 desde o início da pandemia

Nas últimas 24 horas foram registrados 630 óbitos e 31.100 novos diagnósticos positivos, segundo Ministério da Saúde

Ano morno

Black Friday das corretoras e bancos: as ofertas que valem a pena em 2020

Black Friday nas corretoras e bancos está desanimada neste ano. Selecionei as ofertas mais interessantes relacionadas a investimentos, como já virou tradição

relações com os eua

Não acho que sucessão nos EUA mude disputa com China por 5G, diz Mourão

Mais uma vez questionado sobre a possibilidade de o governo brasileiro reconhecer a vitória do democrata Joe Biden na eleição americana, Mourão repetiu o discurso de que, “no momento certo, será feito o que tiver de ser feito”

em expansão

Notre Dame Intermédica compra Grupo Hospitalar de Londrina por R$ 170 milhões

Plano de integração com a empresa comprada prevê sinergias operacionais e administrativas com as operações da Clinipam no Estado do Paraná

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies