2019-12-13T08:01:40-03:00
Estadão Conteúdo
Entrevista

‘Sinais sugerem trajetória de crescimento’, diz ex-diretor do BC

Alexandre Schwartsman diz acreditar que o Banco Central ainda tem espaço para novos cortes dos juros básico, hoje em 4,5% ao ano

13 de dezembro de 2019
8:01
Alexandre Schwartsman, consultor e ex-diretor do Banco Central
Alexandre Schwartsman, consultor e ex-diretor do Banco Central - Imagem: Reprodução Youtube

Para o ex-diretor do Banco Central, Alexandre Schwartsman, os dados mais recentes de serviços, pelo peso que têm na economia, ajudam a confirmar a perspectiva de que o ano que vem será de um crescimento maior do que este ano. Ele também diz acreditar que o Banco Central ainda tem espaço para novos cortes dos juros básico, hoje em 4,5% ao ano. A seguir, trechos da entrevista.

O ano de 2019 começou com muito otimismo, depois houve uma correção de expectativas para baixo. Podemos mesmo esperar um 2020 melhor?
Este ano não tem muito o que mudar, dentro do universo de resultados prováveis para o Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre. Mas o crescimento de 0,8% do volume de serviços prestados em outubro, segundo o IBGE, sugere que a economia está em uma trajetória de crescimento para o ano que vem. Eu espero até 2,5% de crescimento.

Os juros básicos agora foram para 4,5% Ainda há espaço para novos cortes?
Sim. Não acho que estejamos no fim da trajetória de cortes de juros. Se a gente olha as projeções, se fala em 3,5% de inflação para 2020, 3,4% para 2021. Em ambos os casos, abaixo da meta (de 4% e 3,75%, respectivamente). Ainda tem algum espaço para redução dos juros e não é pouca coisa. Um pedaço desse reflexo de inflação vem do câmbio, que deve ficar na casa dos R$ 4,20 ano que vem. Os preços da carne bovina estão fazendo a inflação subir. Em novembro isso já aconteceu e agora, em dezembro, deve se repetir. Mas a hipótese mais forte é que isso seja um fenômeno temporário e que os preços continuem comportados em 2020.

Os juros mais baixos serão suficientes para que o consumo das famílias continue crescendo?
A gente nunca sabe se tudo é uma questão de melhorar o crédito para animar o consumo das famílias. A liberação dos recursos do FGTS ajuda, a massa salarial também ajuda. Mas muito do que eu vejo como aceleração de venda é uma reação ao juro mais baixo.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

BITCOIN (BTC) HOJE

Bitcoin (BTC) cai hoje, mas projeções para mercado de criptomoedas permanecem otimistas, segundo analistas; Cardano (ADA) dispara mais de 8%

Qualquer gatilho neste momento pode desencadear uma alta de preços e um novo bull market das criptomoedas

EXILE ON WALL STREET

Você quer ser reconhecido ou quer ganhar dinheiro? Entenda por que estar na moda nem sempre significa lucrar

O objetivo do investidor não deveria ser estar na moda nem ser reconhecido em conversas pseudointeligentes, uma vez que os ciclos não necessariamente se repetem à frente

Insights para lucrar

VOTAÇÃO: Qual o investimento mais atrativo para o seu patrimônio em 2022?

Seu Dinheiro abre espaço de diálogo entre investidores para cada um saber o que o outro pensa sobre bolsa, criptomoedas, renda fixa e muito mais; vote

BRASILEIRO NÃO DESISTE NUNCA

Longe do fim: Aliansce Sonae (ALSO3) avisa que vai insistir na fusão com a brMalls (BRML3)

Negócio bilionário entre as gigantes rivais daria origem à maior administradora de shoppings da América Latina

TRÉGUA CLIMÁTICA

Depois da Usiminas, Vale anuncia retomada gradual das atividades após chuvas devastadoras em MG

Retorno parcial das operações coincide com trégua nos temporais que deixaram dezenas de mortos e milhares de desabrigados no Estado