Menu
2019-04-25T17:30:17-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
campeões de insatisfação

Santander, Bradesco e Caixa lideram ranking de reclamações contra bancos no 1º trimestre de 2019, diz BC

Lista é composta por bancos e financeiras com mais de 4 milhões de clientes; há ainda menções ao Itaú, Banco do Brasil, entre outros

16 de abril de 2019
13:12 - atualizado às 17:30
Montagem com as fachadas dos bancos Bradesco, Santander e Caixa
Santander: banco registrou um índice de 25,93Imagem: Montagem Andrei Morais/Estadão Conteúdo/Shutterstock

Santander, Bradesco e Caixa lideram o ranking de reclamações contra bancos e instituições financeiras referentes ao primeiro trimestre de 2019, informa o Banco Central.

O ranking é composto por um índice de reclamações, calculado com base no número de queixas consideradas precedentes, dividido pelo número de clientes da instituição, multiplicado por 1.000.000. Na prática, quanto maior o índice, pior a classificação da instituição.

Santander, que lidera a lista, registrou um índice de 25,93. Em segundo lugar, aparece o Bradesco (23,35) e, em terceiro, a Caixa Econômica Federal (23,25). O ranking leva em conta apenas bancos e as financeiras com mais de 4 milhões de clientes.

Há ainda menções ao Itaú, em quarto lugar, com índice de 21,29, e Banco do Brasil (20,77). Seguido por Votorantim (13,12), Banrisul (12,80), Omni (12,38), Banco CSF (10,13), Midway (4,73%), Banco do Nordeste (0,43) e NuBank (0,00%).


Em lista dos menores, Facta Financeira, Modal e Novo Banco Continental lideram 

Bancos e financeiras com menos de 4 milhões de clientes formam um ranking a parte. Nessa lista, a liderança é da Facta Financeira, com índice de reclamações de 1.066,41 no primeiro trimestre de 2019.

Em seguida aparecem Modal (833,65), Novo Banco Continental (559,42), Safra (217,18), PAN (194,71), Inter (139,03), Agibank (118,44), Portocred (94,39) e Original (90,93%), entre outros. A lista completa tem 23 instituições.

Entre as reclamações mais frequentes estão irregularidades relativas à oferta ou prestação de informação sobre produtos e serviços de forma inadequada e irregularidades ligadas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços relacionados a cartões de crédito.

*Com Estadão Conteúdo 
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

na agenda

Questões sobre MP da privatização da Eletrobras serão decididas nesta quarta, diz Pacheco

Senado deve discutir inclusive os requerimentos de impugnação de jabutis – como são chamados as emendas com temas estranhos à proposta original

seu dinheiro na sua noite

De carona no trem das commodities

Quando falamos em ações que se beneficiam da reabertura da economia pós-covid, logo se destacam os papéis de empresas ligadas à produção de commodities. Quem vem apostando nesses ativos neste ano está se dando bem. Mas é bem verdade que a “tese da reabertura” já está em andamento. Para quem perdeu esse trem, ainda dá […]

aquisição via controlada

Ambipar compra 100% da Ecológica Nordeste

Negócio está em linha com seu plano estratégico de crescimento, com captura de sinergias e potencial maximização das margens e retorno, diz a empresa

denúncia da fup

Médicos da Petrobras receitam remédio sem eficácia a funcionários com covid-19

A estatal segue o comportamento do governo federal, que liderado pelo presidente Jair Bolsonaro, defende o tratamento precoce do covid-19 via medicamentos não aceitos pela OMS

fique de olho

Tesouro divulga cronograma dos leilões de títulos do 3º trimestre

No caso das Notas do Tesouro Nacional – Série F (NTN-F), a instituição deixará de ofertar o papel com prazo de referência de oito anos (1/1/2029)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies