Menu
2019-04-25T17:30:17-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
campeões de insatisfação

Santander, Bradesco e Caixa lideram ranking de reclamações contra bancos no 1º trimestre de 2019, diz BC

Lista é composta por bancos e financeiras com mais de 4 milhões de clientes; há ainda menções ao Itaú, Banco do Brasil, entre outros

16 de abril de 2019
13:12 - atualizado às 17:30
Montagem com as fachadas dos bancos Bradesco, Santander e Caixa
Santander: banco registrou um índice de 25,93Imagem: Montagem Andrei Morais/Estadão Conteúdo/Shutterstock

Santander, Bradesco e Caixa lideram o ranking de reclamações contra bancos e instituições financeiras referentes ao primeiro trimestre de 2019, informa o Banco Central.

O ranking é composto por um índice de reclamações, calculado com base no número de queixas consideradas precedentes, dividido pelo número de clientes da instituição, multiplicado por 1.000.000. Na prática, quanto maior o índice, pior a classificação da instituição.

Santander, que lidera a lista, registrou um índice de 25,93. Em segundo lugar, aparece o Bradesco (23,35) e, em terceiro, a Caixa Econômica Federal (23,25). O ranking leva em conta apenas bancos e as financeiras com mais de 4 milhões de clientes.

Há ainda menções ao Itaú, em quarto lugar, com índice de 21,29, e Banco do Brasil (20,77). Seguido por Votorantim (13,12), Banrisul (12,80), Omni (12,38), Banco CSF (10,13), Midway (4,73%), Banco do Nordeste (0,43) e NuBank (0,00%).


Em lista dos menores, Facta Financeira, Modal e Novo Banco Continental lideram 

Bancos e financeiras com menos de 4 milhões de clientes formam um ranking a parte. Nessa lista, a liderança é da Facta Financeira, com índice de reclamações de 1.066,41 no primeiro trimestre de 2019.

Em seguida aparecem Modal (833,65), Novo Banco Continental (559,42), Safra (217,18), PAN (194,71), Inter (139,03), Agibank (118,44), Portocred (94,39) e Original (90,93%), entre outros. A lista completa tem 23 instituições.

Entre as reclamações mais frequentes estão irregularidades relativas à oferta ou prestação de informação sobre produtos e serviços de forma inadequada e irregularidades ligadas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços relacionados a cartões de crédito.

*Com Estadão Conteúdo 
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Desde 2015

CVM faz comunicação recorde de indícios de crimes ao Ministério Público

De janeiro a setembro deste ano, a CVM enviou 260 comunicados de indícios de crimes financeiros ao Ministério Público.

setor em transformação

Dezembro vai ser bom para o varejo, mas 2021 é imprevisível, diz Luiza Trajano

Presidente do conselho do Magazine Luiza voltou a pregar união, falou de responsabilidade social do empresariado e pediu para que não se transforme a busca pela vacina em “jogo político”

O maior evento do ano

Reunião anual da Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, será novamente virtual em 2021

A Berkshire Hathaway afirmou que a reunião, que acontece em maio, será semelhante à que ocorreu em 2020.

perspectivas para o setor

E-commerce não vai desacelerar porque ainda tem baixa penetração, diz CEO da Locaweb

Fernando Cirne lembrou que apenas 12% das transações do varejo no país são digitais; empresa abriu capital na bolsa em fevereiro e bombou com pandemia

Maior que a do Eike

CVM aplica R$ 926,1 mi em multa até setembro, 18% mais ante mesmo período de 2019

A cifra total até setembro foi impulsionada pelo resultado de um único processo.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies