Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T13:39:23-03:00
Estadão Conteúdo
Informação divulgada pelo BC

Regulação bancária brasileira recebe nota máxima do Comitê de Basileia

Avaliação a qual o Banco Central foi submetido focou em dois temas: o indicador de liquidez de longo prazo e os limites de exposição por cliente

7 de março de 2019
16:08 - atualizado às 13:39
Edifício-sede do Banco Central, em Brasília
Imagem: Rodrigo Oliveira/Caixa Econômica Federal - Flickr/BCB

O Banco Central informou nesta quinta-feira, 7, por meio de nota, que o Brasil recebeu nota máxima em avaliação sobre regulação do Comitê de Basileia para Supervisão Bancária (BCBS, na sigla em inglês). De acordo com o BC, a avaliação do arcabouço regulatório brasileiro, denominada Regulatory Consistency Assessment Program (RCAP), foi focada em dois temas: o indicador de liquidez de longo prazo e os limites de exposição por cliente.

"O resultado obtido indica o alto grau de alinhamento das regras prudenciais do Brasil aos padrões recomendados pelo Comitê", registrou o BC na nota. A instituição afirmou ainda que a nota máxima (compliant) "sinaliza para investidores, agências de rating e demais agentes de mercado o alto grau de segurança do sistema financeiro nacional decorrente da adoção pelo País das melhores práticas internacionais de regulação prudencial do sistema financeiro".

Um dos relatórios do BCBS detalha a implementação, no Brasil, do Indicador de Liquidez de Longo Prazo (NSFR). Este indicador é um limite complementar aos limites de capital e de alavancagem, estabelecido para garantir que a instituição financeira possua fontes estáveis de captação durante o período de um ano, compatíveis com as expectativas de saída de caixa no mesmo período.

Outro relatório do comitê tratou das regras relativas aos limites máximos de exposição de instituição financeira por cliente. Conforme o BC, "a limitação à exposição a um mesmo cliente é um estímulo à diversificação das operações de crédito e visa a reduzir as perdas das instituições em casos de inadimplência".

"O Brasil integra o BCBS desde 2009 e, assim como os demais membros, possui o compromisso de alinhar a regulação prudencial de seu sistema financeiro às recomendações do Comitê, de cuja elaboração participa ativamente, fazendo parte dos diversos comitês e grupos técnicos que as elaboram", informou o BC na nota. "Representantes do Brasil também participam como avaliadores no RCAP de outras jurisdições integrantes do BCBS."

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

RUMO AO MILHÃO

O primeiro e mais importante investimento para quem atingir o primeiro milhão (ou ir além)

Por mais que você busque o conforto e a segurança de uma promessa de retorno garantido, digo, com convicção, que o único investimento com retorno garantido em longo prazo é aquele feito em educação

Ventos contrários

Renova Energia não consegue “proteção” contra minoritários da própria empresa

Empresa perdeu ação no TJ-SP que tentata impedir os acionistas de produzirem provas contra a empresa, relativas à investigação sobre desvio de recursos

Preocupação

Vidas secas? Bolsonaro admite que Brasil vive “enorme crise hidrológica”

Presidente citou a falta de chuvas como um dos grandes problemas econômicos do país, juntamente com os efeitos causados pela pandemia

MESA QUADRADA

“Não me arrependo de nada. Só não posso dar conselhos financeiros para ninguém”, diz Bob Wolfenson, o fotógrafo das celebridades entrevistado no 7º episódio do Mesa Quadrada

Em em conversa para o podcast Mesa Quadrada, Dan Stulbach, Teco Medina e Caio Mesquita, conversam sobre dinheiro e carreira com Bob Wolfenson, ícone da fotografia brasileira

Situação preocupante

Cuidado com as luzes acesas! Aneel mantém taxa adicional mais alta na contas de agosto

Tarifa cobrada na bandeira vermelha nível 2 é de R$ 9,49 por 100 quilowatts-hora (kWh), e agência continua avaliando se vai elevar o valor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies