Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-12-30T18:47:22-03:00
Estadão Conteúdo
Dados do BC

Estoque de crédito sobe 1,1% em novembro para R$ 3,410 trilhões

Em novembro ante outubro, houve elevação de 0,9% no estoque para pessoas físicas e alta de 1,4% para pessoas jurídicas

27 de dezembro de 2019
11:16 - atualizado às 18:47
Dinheiro, cédula de real
Nota de real - Imagem: Shutterstock

O estoque total de operações de crédito do sistema financeiro subiu 1,1% em novembro ante outubro, para R$ 3,410 trilhões, informou nesta sexta-feira, 27, o Banco Central. Em 12 meses, houve alta de 6,3%.

Em novembro ante outubro, houve elevação de 0,9% no estoque para pessoas físicas e alta de 1,4% para pessoas jurídicas.

De acordo com o BC, o estoque de crédito livre avançou 1,8% em novembro, enquanto o de crédito direcionado apresentou alta de 0,3%.

No crédito livre, houve alta de 1,1% no saldo para pessoas físicas no mês passado. Para as empresas, o estoque avançou 2,6% no período.

O BC informou ainda que o total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) foi de 46,9% para 47,3% na passagem de outubro para novembro.

As projeções do BC, atualizadas no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de dezembro, indicam expansão de 6,9% para o crédito total em 2019 e de 8,1% para 2020.

A projeção para o crédito livre em 2019 é de alta de 13,9% e em 2020 de 12,9%. Já expectativa para o crédito direcionado é de retração de 1,3% neste ano e alta de 1,6% no próximo ano.

Habitação

O estoque das operações de crédito direcionado para habitação no segmento pessoa física cresceu 0,5% em novembro ante outubro, totalizando R$ 630,815 bilhões, informou o Banco Central.

Em 12 meses até novembro, o crédito para habitação no segmento pessoa física subiu 5,8%.

Veículos

Já o estoque de operações de crédito livre para compra de veículos por pessoa física avançou 0,6% em novembro ante outubro, para R$ 197,210 bilhões. Em 12 meses, houve alta de 17,7%.

Setores

O saldo de crédito para as empresas do setor de agropecuária subiu 1,7% em novembro, para R$ 25,230 bilhões, informou o Banco Central.

Já o saldo para a indústria cedeu 0,2%, para R$ 599,733 bilhões. O montante para o setor de serviços teve alta de 2,4%, para R$ 793,470 bilhões.

No caso do crédito para pessoa jurídica com sede no exterior e créditos não classificados (outros), o saldo subiu 11,7%, aos R$ 21,080 bilhões.

BNDES

O saldo de financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para empresas recuou 0,5% em novembro ante outubro, somando R$ 394,347 bilhões, informou o Banco Central. Em 12 meses, a queda acumulada é de 10,9%.

Em novembro, houve avanço de 0,6% nas linhas de financiamento agroindustrial, baixa de 0,5% no financiamento de investimentos e queda de 4,9% no saldo de capital de giro.

Setor financeiro

O saldo do crédito ampliado ao setor não financeiro subiu 2,2% em novembro ante outubro, para R$ 10,213 trilhões. O montante equivale a 141,6% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, conforme o Banco Central.

O crédito ampliado inclui, entre outras, as operações de empréstimos feitas no âmbito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e as operações com títulos públicos e privados. A medida permite uma visão mais ampla sobre como empresas, famílias e o governo geral estão se financiando, ao abarcar não apenas os empréstimos bancários.

No caso específico de famílias e empresas, o saldo do crédito ampliado avançou 2,2% em novembro ante outubro, para R$ 5,710 trilhões. O montante equivale a 79,1% do PIB.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Analistas respondem

Após 100 dias à frente da Petrobras, Silva e Luna ganhou a confiança do mercado?

Confira a avaliação do BTG Pactual sobre o primeiro encontro do general com os analistas de mercado

Será que sai?

Governo dos EUA está ‘confiante’ com o acordo bipartidário para pacote trilionário de infraestrutura

As discussões, porém, ainda enfrentam impasse em meio a discordâncias quanto aos montantes de recursos destinados para cada área

Líder do setor

Grupo FSB compra Giusti Comunicação e amplia seu portfólio de agências

Com a chegada da nova empresa, a FSB integra as contas de Aegea, Ame, Alpargatas, EDP, Grupo SBF, Centauro, SBT, Estadão, Protege, Centro Paula Souza e mais em sua lista de clientes

Reforma ministerial

Ciro Nogueira aceita convite de Bolsonaro para chefiar Casa Civil

No último dia 22, Bolsonaro confirmou o convite a Nogueira e a recriação do Ministério do Trabalho e Previdência que antes fazia parte da pasta de Paulo Guedes

Mais novidade

Unifique (FIQE3) estreia na bolsa em queda de 1%

Mesmo com o IPO saindo próximo do piso, a Unifique tem uma estreia no vermelho, em dia negativo para a bolsa brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies