Menu
2019-09-19T10:39:12-03:00
Giro dos BCs

Banco da Inglaterra decide manter taxa básica de juros em 0,75% ao ano

Inflação medida pelo índice de preços ao consumidor (CPI), que desacelerou para 1,7% anual em agosto, deve permanecer ligeiramente abaixo da meta de 2% no curto prazo, espera o BoE

19 de setembro de 2019
10:39
Inglaterra
Imagem: Shutterstock

O Banco da Inglaterra (BoE) decidiu por unanimidade, ou seja, nove votos a zero, manter a sua taxa básica de juros inalterada em 0,75% ao ano. Pelo mesmo placar, o comitê de política monetária da instituição aprovou a manutenção do estoque de compras de bônus corporativos não financeiros em 10 bilhões de libras e o de bônus do governo, os Gilts, em 435 bilhões de libras.

"Desdobramentos relacionados ao Brexit estão deixando dados econômicos do Reino Unido mais voláteis, com o PIB (Produto Interno Bruto) caindo 0,2% no segundo trimestre de 2019 (em relação ao trimestre anterior), e agora esperamos que cresça 0,2% no terceiro trimestre", afirma o BoE.

Para o comitê, o crescimento subjacente da economia britânica desacelerou, mas permanece "ligeiramente positivo". "Um grau de excesso de oferta parece ter se aberto dentro de empresas", acrescenta o comunicado. "O governo anunciou um aumento significativo em gastos departamentais para o período de 2020 a 2021, que poderia elevar o PIB em torno de 0,4% ao longo do período de projeção do comitê, todo o mais sendo constante."

A inflação medida pelo índice de preços ao consumidor (CPI), que desacelerou para 1,7% anual em agosto, deve permanecer ligeiramente abaixo da meta de 2% no curto prazo, espera o BoE.

O BC britânico ressalta ser possível que "eventos políticos levem a um período adicional de incerteza arraigada sobre a natureza de e a transição para a eventual futura relação de comércio do Reino Unido com a União Europeia". "Quando mais tempo persistirem essas incertezas, particularmente em um ambiente de crescimento global mais fraco, mais provável é que o crescimento da demanda permaneça abaixo do potencial."

No cenário de um Brexit sem acordo, reafirma a autoridade monetária, a libra provavelmente cairia, a inflação aumentaria e o crescimento do PIB desaceleraria. "As decisões de taxa de juros o comitê teriam de equilibrar a pressão de alta sobre a inflação, da provável queda da libra, e qualquer redução na capacidade de oferta, com a pressão de baixa de qualquer redução na demanda. Nessa eventualidade, a resposta de política monetária não seria automática e poderia se dar em qualquer direção."

Já na hipótese de haver mais clareza de que a economia está rumando para um Brexit "suave", e presumindo alguma recuperação do crescimento global, "é provável que se forme uma margem significativa de excesso de demanda no médio prazo". "Se isso viesse a ocorrer, o comitê julga que aumentos das taxas de juros, a um ritmo gradual e até um ponto limitado, seriam apropriados para levar a inflação sustentavelmente de volta à meta de 2%."

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Banco Central monta centro para acelerar a criação de fintechs

Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (LIFT) apoia startups financeiras a desenvolverem projetos ao lado de técnicos que elaboram as normas regulatórias do mercado brasileiro.

Funcionários da Petrobras

FNP diz que todas as plataformas do litoral paulista aderiram à greve dos petroleiros

Petrobras diz que não está havendo redução da produção por conta do movimento, mas coordenador da Federação Nacional dos Petroleiros diz que estatal “mente”.

Sucessão

Herdeiros do agronegócio aliam tradição a avanço tecnológico

Nova geração de empresários do campo estão assumindo os negócios da família e ganhando influência no meio do agronegócio; conheça algumas histórias

Entrevista

Para Deutsche Bank, política ambiental de Bolsonaro prejudica investimento estrangeiro no país

Para Deepak Puri, diretor da área de Wealth Management nas Américas do Deutsche Bank, mesmo assim Brasil deve registrar uma recuperação mais forte neste ano.

Ganhando terreno

Carrefour anuncia aquisição de 30 lojas do Makro por R$ 1,95 bilhão

O plano da varejista é converter as bandeiras das unidades para Atacadão dentro de até um ano após fechar a transação

AS LIÇÕES 'FIRE' DO BILIONÁRIO

O que você perguntaria a Warren Buffett?

Aos 89, o mago de Omaha tem muito a ensinar a quem procura dar um gás nos seus investimentos em busca da sua aposentadoria precoce

Risco de lascas de vidro

Heineken anuncia recall voluntário de lotes de long neck com problemas na garrafa

A empresa identificou alteração na embalagem que pode levar lasca de vidro a ser aberta

Após imbróglio com os russos

Fertilizantes Heringer homologa plano de recuperação judicial

Segundo Fato Relevante divulgado ontem pela companhia, o plano foi homologado pelo juízo da 2ª Vara Cível da Comarca de Paulínia

Impostos

Decreto para zerar tributo em querosene de aviação sai neste ano, diz Secretário

O governo vai editar um decreto para zerar, a partir de 2021, a incidência de PIS/Cofins sobre o combustível utilizado em aeronaves.

Entrevista

‘A grande vacina é a continuidade das reformas’, diz Ana Paula Vescovi, economista do Santander

Banco revisou para baixo previsão de crescimento para 2020, após indicadores fracos.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements