Menu
2019-08-08T11:04:42-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
voltando a decolar

Azul sai do prejuízo e registra lucro de R$ 345,5 milhões no 2º trimestre

Resultado mexe positivamente com o mercado. Por volta das 10h50 os papeis PN (AZUL4) da companhia era negociados a R$ 54,40, numa alta de 2,41%

8 de agosto de 2019
10:52 - atualizado às 11:04
Azul
Imagem: Divulgação

A Azul saiu de prejuízo para lucro no segundo trimestre de 2019, segundo balanço divulgado nesta quinta-fera, 8. A companhia aérea encerrou o período de abril a junho com lucro líquido de R$ 345 milhões.

No mesmo período do ano passado, a empresa havia registrado um prejuízo de R$ 791,4 milhões. Os trimestres anteriores foram ajustados para refletir a adoção das novas normas contábeis do IFRS 16.

O resultado mexe positivamente com o mercado. Por volta das 10h50 os papeis PN (AZUL4) da companhia - que desde maio fazem parte da carteira do Ibovespa - eram negociados a R$ 54,40, numa alta de 2,41%. Acompanhe nossa cobertura de mercados desta quinta-feira.

A companhia ainda informou que os passageiros transportados (RPKs) aumentaram em 21,3% frente a um crescimento de 15,5% na capacidade, resultando em uma taxa de ocupação de 84,1%, 4,0 pontos percentuais maior que o apresentado no 2T18.

A Azul também registrou um aumento no custo operacional por assento-quilômetro voado (CASK) de 0,9%. "No final do 2T19, nossa liquidez total foi de R$4,2 bilhões, um aumento de R$371,1 milhões, representando 42% da receita dos últimos doze meses", diz a companhia.

A frota operacional da Azul totalizou 130 aeronaves, incluindo 29 aeronaves de nova geração, que representaram 39% da capacidade total.

Outros números

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em R$ 733,2 milhões, alta de 40,4% sobre os R$ 522,2 milhões do segundo trimestre de 2018.

O Ebit, resultado operacional da Azul, somou R$ 339,9 milhões, 69,9% superior aos R$ 200,1 milhões no mesmo período do ano passado,com margem de 13,0%, ante 10,0%.

A receita líquida cresceu 31% para R$ 2,617 bilhões, de R$ 1,994 bilhão antes. O resultado financeiro líquido foi uma despesa 96,1% menor, para R$ 42,4 milhões.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

NÚMEROS DA PANDEMIA

Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes por covid-19

País registrou 13.493 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo Ministério da Saúde

Entrevista exclusiva

Líder no Nordeste, Moura Dubeux quer manter foco na região e na rentabilidade

Em entrevista exclusiva, o CEO da incorporadora de Recife fala sobre a vida da empresa antes e depois do IPO, diz que por ora não vê sentido em sair do Nordeste e que prioriza rentabilidade a crescimento

PRÉVIA DOS BALANÇOS

Os grandões vêm aí: Petrobras e Vale divulgam os resultados; veja o que esperar

Semana será marcada pela apresentação dos resultados de algumas das principais companhias da B3

agenda lotada

Os segredos da bolsa: balanços de pesos-pesados podem manter Ibovespa em alta em semana de Copom

Lá fora, resultados do terceiro trimestre de Amazon, Apple, Facebook, Google e Microsoft são destaques, além de decisões de bancos centrais

O GRANDE DRAGÃO VERMELHO

Pandemia deve reforçar poder chinês na economia

Movimento aponta para a continuidade das tensões com Estados Unidos e manutenção da alta demanda por matérias-primas produzidas pelo Brasil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies