Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2018-10-18T18:18:57-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Banco Central

Mercados pioram após notícia sugerir que Ilan não ficaria no BC do novo governo

Nota da agência “Bloomberg” diz que presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, fica no cargo até dezembro deste ano

18 de outubro de 2018
18:02 - atualizado às 18:18
Ilan Goldfajn, presidente do Banco CentralIlan Goldfajn, presidente do Banco CentralIlan Goldfajn, presidente do Banco CentralIlan Goldfajn, presidente do Banco CentralIlan Goldfajn, presidente do Banco CentralIlan Goldfajn, presidente do Banco Central
Ilan Goldfajn, presidente do Banco Central - Imagem: Flickr Banco Central do Brasil

O dia já não estava bom para os mercados brasileiros em função de mais uma ressaca externa e o quadro piorou no fim do dia com a notícia da agência “Bloomberg” de que o presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, se prepara para deixar a instituição. Dólar e juros futuros apontaram para cima no "after market".

A nota da “Bloomberg” cita “duas fontes” que conversaram com o presidente do BC sobre o assunto e aponta que Ilan fica no cargo até o fim do mandato do presidente Michel Temer. A nota lembra, no entanto, que até o momento não houve convite formal para sua permanência em eventual governo de Jair Bolsonaro. O que a nota não diz e ninguém ainda sabe é se convidado, Ilan ficaria.

O presidenciável e outros membros de sua equipe de campanha, como Paulo Guedes, já tinham acenado que gostariam que Ilan ficasse no comando da instituição. Outro sinal nesse mesmo sentido foi a defesa de autonomia formal para o BC, um projeto que Ilan tenta levar adiante desde que chegou ao comando da instituição em meados de 2016.

Procurado, o BC afirmou, via sua assessoria de imprensa, que não comenta o assunto.

A última vez que Ilan falou sobre possíveis convites foi na coletiva para divulgação do Relatório de Inflação em 27 de setembro. Questionado sobre a possibilidade de ficar no comando do BC em eventual governo de Jair Bolsonaro, Ilan disse que todos sabem que sua posição tem sido de neutralidade, que o BC é apartidário e se encara como uma instituição de Estado. Por isso, não comentaria questões relacionadas à política.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

PROVENTO EM DÓLAR

Aura Minerals (AURA33) anuncia dividendos e programa de recompra de BDRs — veja o que muda para os acionistas

O pagamento chegará bem a tempo para o Natal dos investidores nacionais, mas para ter direito é preciso possuir os ativos em 9 de dezembro

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa perto de perder os 100 mil pontos, Petrobras na mira de Paulo Guedes e outros destaques do dia

A dinâmica dos mercados globais nos últimos dias lembra muito os primeiros momentos de incerteza que marcaram o início da pandemia do coronavírus, no início de 2020. A covid-19 não é mais uma doença desconhecida e as vacinas já estão disponíveis no mercado, mas a desigualdade na distribuição de imunizantes e a recusa de muitos […]

FECHAMENTO DO DIA

Racha no Senado e chegada de ômicron aos Estados Unidos levam o Ibovespa a renovar as mínimas do ano (mais uma vez); dólar sobe

Embora o dia tenha começado positivo para o Ibovespa e as demais bolsas globais, a variante ômicron e a dificuldade de aprovar a PEC dos precatórios azedaram os negócios

CRYPTO NEWS

Aprenda com o bitcoin: não perca o timing com a próxima promessa cripto

O mercado de criptomoedas tem colocado alguns sorrisos nos rostos de quem vem investindo nessa classe de ativos

RECEITAS EM ALTA

Acredite se quiser! Governo pode ter primeiro superávit primário desde 2013 ainda neste ano

A notícia surpreende num momento em que um dos maiores temores do mercado financeiro é justamente o descontrole das contas públicas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies