Menu
2019-04-04T14:12:38-03:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Puxado pela oscilação do dólar

IGP-M desacelera alta em outubro

Índice avançou 10,79% no acumulado de 12 meses e tem alta de 9,25% até outubro deste ano; oscilação do dólar e cotações de produtos primários são principais fatores

30 de outubro de 2018
9:27 - atualizado às 14:12

O Índice Geral de Preços-Mercado desacelerou a alta de 1,52% em setembro para 0,89% em outubro, divulgou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira, 30.

Com isso, o indicador avançou 10,79% no acumulado de 12 meses e acumula alta de 9,25% no ano. No mesmo período do ano passado, o índice havia subido 0,20% e acumulava queda de 1,41% em 12 meses.

O resultado deste mês ficou dentro do intervalo das 31 estimativas de pesquisa realizada pelo Broadcast, do Estadão, de 0,79% a 1,05%, mas menor que a mediana de 0,91%.

O IGP-M é utilizado como referência  para correção de valores de contratos, como o de aluguel de imóveis. O avanço do índice tem influência da oscilações do dólar e das cotações internacionais de produtos primários, como commodities e metais.

Entre os três indicadores que compõem o IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M) desacelerou de 2,19% em setembro para 1,11% em outubro. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) acelerou de 0,28% para 0,51% e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M) avançou de 0,17% para 0,33% no período.

No caso do IPC-M, o aumento foi puxado pelo conjunto de preços de alimentação, cuja a taxa atingiu 0,70% em outubro ante 0,01% no mês anterior. O grupo de transportes vem em seguida, com avanço de 1,06% ante 0,59%. A FGV ressalta que, nesse segmento, deve-se considerar a elevação de 3,49% dos preços da gasolina em outubro ante 1,71% em setembro.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

após relatório da inflação

Retomada indica que País está acima da média de emergentes, diz Campos Neto

Presidente do BC disse que a autoridade monetária tem posição de “absoluta tranquilidade” em relação à inflação e afirmou não acreditar que a alta nos preços de alimentos neste ano possa impactar a inflação em 2021

De olho no e-commerce

Vinci Partners assina joint venture com Fulwood para desenvolver até R$ 1 bilhão em galpões logísticos

Recursos serão captados por fundo imobiliário inicialmente não negociado em bolsa; motivação é o desenvolvimento do e-commerce na pandemia

saída da crise

Analistas e BC têm se surpreendido com números melhores da atividade, diz Kanczuk

Banco Central atualizou nesta quinta no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020. A expectativa para a economia este ano passou de queda de 6,4% para retração de 5,0%

MERCADO DE TRABALHO

Nos EUA, pedidos de auxílio-desemprego sobem 4 mil na semana, a 870 mil

Resultado ficou acima da expectativa dos analistas, que previam 850 mil solicitações na última semana

retomada econômica

Sem Petrobras e Vale, lucro das empresas deve crescer 14% em 2021

Análise foi feita pelo BTG e compara as perspectivas sobre os resultados de 2019; expectativa melhorou em relação ao relatório anterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements