Menu
2018-12-21T18:54:32-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
câmbio

Banco Central dobra leilão e ofertará R$ 2 bilhões no dia 26

Autoridade monetária anunciou nova operação de linha com compromisso de recompra. Fluxo cambial estava negativo em US$ 7,9 bilhões até o dia 19

21 de dezembro de 2018
18:54
dólar leilão
Imagem: Shutterstock

O Banco Central (BC) voltará a atuar no mercado à vista de câmbio na quarta-feira, dia 26, e dobrou o volume de atuação. Serão US$ 2 bilhões em leilões de linha com compromisso de recompra. Assim, investidores passarão o feriado mais tranquilos (ou não). Nesta sexta-feira, a cotação do dólar terminou em R$ 3,8982, alta de 1,09%.

Essas operações, que são um empréstimo dos dólares das reservas internacionais, têm sido usuais desde o fim de novembro e são comuns nos períodos de fim de ano em função do aumento na demanda por moeda à vista pelas empresas que fecham balanços e remetem os recursos para fora do país. O presidente do BC, Ilan Goldfajn, falou sobre o assunto em entrevista na quinta-feira.

Nesta sexta-feira, o BC atualizou os dados sobre o fluxo cambial. Em dezembro até o dia 19, a saída líquida estava em US$ 7,911 bilhões, reflexo de uma retirada de US$ 9,177 bilhões via conta financeira e de ingresso de US$ 1,266 bilhão. Até o dia 14, a saída líquida era de US$ 3,5 bilhões.

O estoque de linhas ofertado ao mercado está em US$ 4,7 bilhões vincendos em 4 de fevereiro de 2019 e US$ 4,55 bilhões vincendos em 6 de março de 2019. Do total de US$ 9,25 bilhões, US$ 8 bilhões são “linhas novas” colocadas no mercado e US$ 1,25 bilhão é referente à rolagem de operação feita em agosto e que venceria no começo de dezembro.

No mercado futuro, nesta sexta-feira, o BC encerrou a rolagem dos contratos de swap cambial que venceriam em janeiro e somavam US$ 10,4 bilhões. Fica a expectativa se ao longo de janeiro o BC fará a rolagem dos US$ 13,4 bilhões que vencem em fevereiro de 2019.

Quando o BC promove a rolagem integral dos contratos de swaps ele se mantém “neutro” no mercado, sem alterar o atual estoque de US$ 68,9 bilhões. Se a opção fosse por não realizar a rolagem ou mesmo pela rolagem parcial, o efeito líquido no mercado seria de compra de dólares no mercado futuro.

O swap é um derivativo que relaciona a variação cambial com a taxa de juros em determinado período de tempo. Ele é engenhoso pois é capaz de prover proteção cambial aos agentes de mercado com toda sua liquidação acontecendo em reais. Não se gasta um centavo das reservas.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

match com o mercado?

Concorrente do Tinder, Bumble pode levantar US$ 100 milhões em IPO

Ações da empresa estreiam em fevereiro na Nasdaq; companhia, que é dona do Badoo, não deu lucro no ano passado

pandemia

Itamaraty confirma que Índia atrasará entrega de vacinas

Chanceler indiano atribuiu o atraso na liberação a “problemas logísticos” decorrentes das dificuldades de conciliar o início da campanha de vacinação no país de mais de 1,3 bilhão de habitantes

DESTAQUES DA BOLSA

Localiza e Unidas caem com temores sobre Cade; JHSF é destaque após prévia do 4º trimestre

Coronavírus, Cade e dólar alto… Confira as razões por trás dos melhores (e piores) desempenhos do dia

fique de olho

BC promove alterações na coleta e na divulgação de dados do Focus

Mudanças começam a partir da próxima terça-feira, dia 19, e estarão disponíveis para cerca de 140 instituições que abastecem a pesquisa

pessimismo com os papéis

Ação da ExxonMobil cai mais de 4% após notícia sobre investigação nos EUA

Gigante do setor energético supervalorizou um ativo-chave da bacia permiana, segundo denúncia; dia é de queda nos mercados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies