Menu
2018-12-21T18:54:32-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
câmbio

Banco Central dobra leilão e ofertará R$ 2 bilhões no dia 26

Autoridade monetária anunciou nova operação de linha com compromisso de recompra. Fluxo cambial estava negativo em US$ 7,9 bilhões até o dia 19

21 de dezembro de 2018
18:54
dólar leilão
Imagem: Shutterstock

O Banco Central (BC) voltará a atuar no mercado à vista de câmbio na quarta-feira, dia 26, e dobrou o volume de atuação. Serão US$ 2 bilhões em leilões de linha com compromisso de recompra. Assim, investidores passarão o feriado mais tranquilos (ou não). Nesta sexta-feira, a cotação do dólar terminou em R$ 3,8982, alta de 1,09%.

Essas operações, que são um empréstimo dos dólares das reservas internacionais, têm sido usuais desde o fim de novembro e são comuns nos períodos de fim de ano em função do aumento na demanda por moeda à vista pelas empresas que fecham balanços e remetem os recursos para fora do país. O presidente do BC, Ilan Goldfajn, falou sobre o assunto em entrevista na quinta-feira.

Nesta sexta-feira, o BC atualizou os dados sobre o fluxo cambial. Em dezembro até o dia 19, a saída líquida estava em US$ 7,911 bilhões, reflexo de uma retirada de US$ 9,177 bilhões via conta financeira e de ingresso de US$ 1,266 bilhão. Até o dia 14, a saída líquida era de US$ 3,5 bilhões.

O estoque de linhas ofertado ao mercado está em US$ 4,7 bilhões vincendos em 4 de fevereiro de 2019 e US$ 4,55 bilhões vincendos em 6 de março de 2019. Do total de US$ 9,25 bilhões, US$ 8 bilhões são “linhas novas” colocadas no mercado e US$ 1,25 bilhão é referente à rolagem de operação feita em agosto e que venceria no começo de dezembro.

No mercado futuro, nesta sexta-feira, o BC encerrou a rolagem dos contratos de swap cambial que venceriam em janeiro e somavam US$ 10,4 bilhões. Fica a expectativa se ao longo de janeiro o BC fará a rolagem dos US$ 13,4 bilhões que vencem em fevereiro de 2019.

Quando o BC promove a rolagem integral dos contratos de swaps ele se mantém “neutro” no mercado, sem alterar o atual estoque de US$ 68,9 bilhões. Se a opção fosse por não realizar a rolagem ou mesmo pela rolagem parcial, o efeito líquido no mercado seria de compra de dólares no mercado futuro.

O swap é um derivativo que relaciona a variação cambial com a taxa de juros em determinado período de tempo. Ele é engenhoso pois é capaz de prover proteção cambial aos agentes de mercado com toda sua liquidação acontecendo em reais. Não se gasta um centavo das reservas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

seu dinheiro na sua noite

B3 Fashion Week

A semana de moda da bolsa brasileira está pegando fogo! Flashes por todos os lados, comentários entusiasmados, queixos caídos a cada novo desfile. As grandes marcas não pouparam esforços para a coleção outono/inverno — e, como era de se esperar, um intenso burburinho toma conta dos bastidores. Essa sexta-feira foi particularmente animada, com a Renner […]

Moradia classe A

Pandemia, juros baixos e dólar caro: combo impulsiona o mercado de imóveis de luxo

Uma combinação que prejudicou boa parte das empresas brasileiras acabou beneficiando o segmento imobiliário de alto padrão

fechamento da semana

Brasília impede Ibovespa de decolar, mas saldo da semana ainda é positivo; dólar vai a R$ 5,58

No Brasil, o que garantiu um bom desempenho do Ibovespa foi a alta das commodities e a recuperação econômica de Estados Unidos e China.

em encontro com investidores

Arthur Lira sinaliza que Orçamento será resolvido ‘sem rupturas’

Presidente da Câmara mencionou ainda o posterior encaminhamento da reforma administrativa e ainda o início das discussões sobre a privatização da Eletrobras

Conheça as novatas

A hora da biotecnologia: empresas do setor disparam até 78% após IPOs na Nasdaq

Três estreantes do segmento atraíram a atenção dos investidores e chegaram com tudo à bolsa norte-americana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies