Menu
2018-12-21T18:54:32-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
câmbio

Banco Central dobra leilão e ofertará R$ 2 bilhões no dia 26

Autoridade monetária anunciou nova operação de linha com compromisso de recompra. Fluxo cambial estava negativo em US$ 7,9 bilhões até o dia 19

21 de dezembro de 2018
18:54
dólar leilão
Imagem: Shutterstock

O Banco Central (BC) voltará a atuar no mercado à vista de câmbio na quarta-feira, dia 26, e dobrou o volume de atuação. Serão US$ 2 bilhões em leilões de linha com compromisso de recompra. Assim, investidores passarão o feriado mais tranquilos (ou não). Nesta sexta-feira, a cotação do dólar terminou em R$ 3,8982, alta de 1,09%.

Essas operações, que são um empréstimo dos dólares das reservas internacionais, têm sido usuais desde o fim de novembro e são comuns nos períodos de fim de ano em função do aumento na demanda por moeda à vista pelas empresas que fecham balanços e remetem os recursos para fora do país. O presidente do BC, Ilan Goldfajn, falou sobre o assunto em entrevista na quinta-feira.

Nesta sexta-feira, o BC atualizou os dados sobre o fluxo cambial. Em dezembro até o dia 19, a saída líquida estava em US$ 7,911 bilhões, reflexo de uma retirada de US$ 9,177 bilhões via conta financeira e de ingresso de US$ 1,266 bilhão. Até o dia 14, a saída líquida era de US$ 3,5 bilhões.

O estoque de linhas ofertado ao mercado está em US$ 4,7 bilhões vincendos em 4 de fevereiro de 2019 e US$ 4,55 bilhões vincendos em 6 de março de 2019. Do total de US$ 9,25 bilhões, US$ 8 bilhões são “linhas novas” colocadas no mercado e US$ 1,25 bilhão é referente à rolagem de operação feita em agosto e que venceria no começo de dezembro.

No mercado futuro, nesta sexta-feira, o BC encerrou a rolagem dos contratos de swap cambial que venceriam em janeiro e somavam US$ 10,4 bilhões. Fica a expectativa se ao longo de janeiro o BC fará a rolagem dos US$ 13,4 bilhões que vencem em fevereiro de 2019.

Quando o BC promove a rolagem integral dos contratos de swaps ele se mantém “neutro” no mercado, sem alterar o atual estoque de US$ 68,9 bilhões. Se a opção fosse por não realizar a rolagem ou mesmo pela rolagem parcial, o efeito líquido no mercado seria de compra de dólares no mercado futuro.

O swap é um derivativo que relaciona a variação cambial com a taxa de juros em determinado período de tempo. Ele é engenhoso pois é capaz de prover proteção cambial aos agentes de mercado com toda sua liquidação acontecendo em reais. Não se gasta um centavo das reservas.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Na contramão

Bolsa cai e dólar dispara depois de governo revelar como pretende financiar Renda Cidadã

Ibovespa abriu em alta, mas virou em meio à frustração dos investidores com o financiamento do programa que sucederá o Bolsa Família

em anúncio do renda cidadã

Guedes: Política dá o timing e desoneração está sendo estudada

No anúncio do novo programa social do presidente Jair Bolsonaro, o Renda Cidadã, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a proposta do governo foi feita com a busca da “verdade orçamentária”

oferta adiada

Cosan cancela IPO da subsidiária Compass com piores condições de mercado

Tempo fechado para IPO: Cosan cita deterioração de cenário para suspender oferta, que havia entrado em análise pela CVM em julho

novo programa

Governo anuncia proposta para Renda Cidadã, substituto do Bolsa Família

Proposta é usar os recursos de pagamento de precatórios e parte do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb)

NOVATA NA BOLSA

Subsidiária da Even, Melnick estreia na B3 com queda de mais de 1%

IPO movimentou R$ 713,6 milhões, com as ações sendo precificadas no piso da faixa indicativa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements