Menu
2018-11-07T16:24:51-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Bancos

Tem um projeto mais urgente que autonomia do BC na mesa de Rodrigo Maia

Lei que trata de bloqueio de bens de suspeitos de terrorismo deve ter prioridade entre as votações. Risco é de atrapalhar operação de bancos estrangeiros no país

7 de novembro de 2018
16:24

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, esteve com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para tratar de projetos de interesse do BC. A autonomia da instituição esteve entre as pautas, mas outro tema mostrou maior urgência.

O projeto de lei 10431 de 2018 dispõe sobre as sanções impostas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, como indisponibilidade de bens e ativos de pessoas físicas e jurídicas investigadas ou acusadas de terrorismo, financiamento ao terrorismo ou atos relacionados.

Parece um tema de menor importância, mas como o Brasil é signatário de diversos tratados relacionados ao tema, tanto da ONU quanto do Grupo de Ação Financeira contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (GAFI/FATF), a não aderência às regras pode resultar em sanções no campo político, diplomático e financeiro.

No caso atual, a não conformidade de leis e instrumentos para barrar eventual financiamento a terrorismo no Brasil pode trazer consequências no âmbito financeiro. Em caso extremo isso pode resultar no impedimento da atuação de bancos estrangeiros no país.

O projeto, que agora deve tramitar em regime de urgência, trata da previsão legal para que as determinações do Conselho de Segurança da ONU e demais autoridades estrangeiras sejam cumpridas em território nacional de forma mais célere.

Outros temas em pauta

Na reunião com Maia e outros líderes partidários, Ilan voltou a explicar a importância da autonomia formal do Banco Central e também pediu para que sejam apreciados os destaques do projeto que modifica o cadastro positivo de crédito no país. A matéria já foi votada pelo Plenário, mas ficaram faltando essas propostas avulsas que propõem modificações ao texto principal.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

O GRANDE DRAGÃO VERMELHO

Pandemia deve reforçar poder chinês na economia

Movimento aponta para a continuidade das tensões com Estados Unidos e manutenção da alta demanda por matérias-primas produzidas pelo Brasil

PANOS QUENTES

‘Apresentei desculpas e colocamos ponto final’, diz Salles sobre atrito com Ramos

Salles e Ramos protagonizaram o mais recente atrito dentro do governo, tornado público após chefe do Meio Ambiente se referir ao general como “Maria Fofoca”

ALÍVIO

Mortes por covid-19 chegam ao menor nível desde maio, diz Fiocruz

Média móvel de novos casos ficou em 22.483 no sábado, alta de 11% em relação aos casos da semana anterior

LUTO

Morre presidente da Samsung, aos 78 anos

Lee Kun-hee foi responsável por transformar a companhia em um dos maiores conglomerados do mundo

INFLAÇÃO

Custo alto deve se manter até 2021 no material de construção

Superaquecimento de itens é reflexo de distorção entre oferta e demanda, diz pesquisadora da FGV

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies