Menu
2018-09-28T14:42:10-03:00
Banco Central

O tamanho do rombo nas contas públicas em agosto

Em julho, rombo foi de R$ 29,162 bilhões; no mesmo mês do ano passado, o valor chegou a R$ 45,541 bilhões

28 de setembro de 2018
14:31 - atualizado às 14:42
Fachada do Banco Central do Brasil (BC)
Em julho, rombo chegou a R$ 29,162 bilhõesImagem: Arnaldo Jr./Shutterstock

O Banco Central divulgou nesta sexta-feira, 28, um déficit nominal de R$ 76,928 bilhões no setor público em agosto.

Em julho, o resultado do rombo foi de R$ 29,162 bilhões. Já no mesmo mês do ano passado, o déficit foi de R$ 45,541 bilhões.

Em agosto, o Governo Central (Tesouro, Banco Central e INSS) registrou déficit nominal de R$ 70,077 bilhões. Os governos regionais tiveram saldo negativo de R$ 6,847 bilhões, enquanto as empresas estatais registraram déficit nominal de R$ 4 milhões.

No acumulado do ano, há déficit nominal correspondente a 7,15% do PIB, com saldo de R$ 323,490 bilhões.

Nos últimos 12 meses, contabilizados até agosto, o valor corresponde a 7,45% do PIB do mesmo período, com saldo negativo de R$ 502,970 bilhões.

Gasto com juros

O setor público consolidado teve gasto de R$ 60,052 bilhões com juros em agosto, após esta despesa ter atingido R$ 25,762 bilhões em julho, informou o Banco Central.

O Governo Central teve no mês passado despesas na conta de juros de R$ 49,226 bilhões. Já os governos regionais registraram gasto de R$ 10,230 bilhões e as empresas estatais, de R$ 596 milhões.

No ano até agosto, as despesas com juros somaram R$ 288,789 bilhões (6,38% do PIB do período).

Em 12 meses, as despesas com juros atingiram R$ 418,537 bilhões até agosto (6,20% do PIB do período).

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

otimismo apesar de covid-19

Vamos arrebentar na venda de aeroportos, vamos conseguir vender todos, diz ministro

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, demonstrou nesta segunda-feira, 25, otimismo com os próximos leilões de aeroportos, mesmo diante da pandemia, que afeta bruscamente a aviação civil

Dados de hoje

Déficit da balança brasileira na 3ª semana de maio foi de US$ 701 milhões

A balança comercial brasileira registrou déficit comercial de US$ 701 milhões na terceira semana de maio (de 18 a 24), de acordo com dados divulgados hoje

Bom cenário para a commodity

XP eleva preços-alvo de Suzano e Klabin com boa perspectiva para celulose

Preços-alvo de Suzano e Klabin foram elevados de R$ 43 para R$ 47 e de R$ 18,50 para R$ 22, respectivamente; XP espera valorização de preço da celulose

repercussão internacional

Bolsonaro está levando Brasil ao desastre, diz artigo no Financial Times

Texto compara Bolsonaro ao presidente dos Estados Unidos, mas diz que o mandatário brasileiro é “muito mais estúpido”

DATA MARCADA

Assinatura de renovação de Malha Paulista será no dia 27, diz ministro

De acordo com o ministro, o assunto será deliberado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) nesta terça-feira, 26.

NÃO SE CONCRETIZOU

Promessa feita por Bolsonaro de cortar 30% dos cargos fica no papel

O enxugamento da máquina foi prometido por Bolsonaro várias vezes, ao longo da disputa de 2018.

decisão pós-ataque

Aneel abre tomada de subsídios sobre possível regulação em segurança cibernética

Estudo elaborado em 2018 pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) já apontava que um potencial ataque cibernético no setor elétrico do País poderia gerar um impacto econômico de até R$ 303,8 milhões

pegou mal

Postura frente à pandemia piora imagem do país no exterior e afasta investidores

Se o Brasil já foi reconhecido como um líder em matéria de saúde pública global e um defensor do desenvolvimento sustentável nos principais fóruns mundiais, a forma como o País é retratado na imprensa tem exaltado pouco dessas qualidades

o ajuste final

Presidente do BC repete que Copom considera último ajuste da Selic em junho

No início de maio, o BC cortou a Selic em 0,75 ponto porcentual, de 3,75% para 3,00% ao ano. O próximo encontro do Copom está marcado para junho

efeito covid

Com crise, mercado financeiro projeta rombo fiscal recorde este ano

No pior resultado registrado até hoje, em 2016, o setor público consolidado registrou um déficit primário equivalente a 2,48% do PIB

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements