Menu
2019-04-12T12:30:20+00:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco) e “Abandonado” (Geração).
Nova corretora

Com plataforma Pi, Santander vai levar gestores de fortunas ao pequeno investidor

O plano é conquistar pelo menos 1 milhão de clientes em um prazo de três a quatro anos com a plataforma, que vai devolver ao cliente os recursos que seriam destinados para remunerar o agente autônomo

14 de março de 2019
14:53 - atualizado às 12:30
Pi Investimentos, do Santander
Pi, plataforma de investimentos do Santander - Imagem: Montagem Andrei Morais

Hoje é dia 14/3. Ou 3/14, na forma adotada nos Estados Unidos. Não por acaso, é também o dia do número matemático Pi, que equivale a (aproximadamente) 3,14. E menos acaso ainda foi a escolha da data para o lançamento da Pi, a plataforma de investimentos do Santander.

Eu estive nesta quinta-feira na entrevista coletiva que marcou o lançamento oficial da Pi, que está disponível nas lojas de aplicativos de celular e no site www.vemprapi.com.br.

O Santander chega com certo atraso em um mercado que enfrenta uma concorrência entre as plataformas independentes e as grandes instituições financeiras, onde ainda estão concentrados os recursos da maior parte dos investidores. O plano é conquistar pelo menos 1 milhão de clientes em um prazo de três a quatro anos.

Para chegar lá, a Pi aposta em dois diferenciais em relação às plataformas existentes no mercado. Além de ter uma prateleira de produtos com fundos e aplicações como CDBs, LCI, LCA e outros, a Pi vai oferecer também o serviço de gestão de carteiras de gestores que hoje atuam apenas para clientes multimilionários, do segmento private dos bancos e dos chamados "family offices".

"O conceito de democratização parece batido, mas hoje o investidor não consegue montar uma carteira de excelência", disse Felipe Bottino, CEO da Pi.

As carteiras da corretora serão montadas com base em objetivos, como aposentadoria, montar um negócio ou a educação dos filhos. Um exemplo disponível hoje no site é o "F*#da-se idade mínima", uma referência à proposta de reforma da Previdência e criada para o investidor com foco no longo prazo. A carteira tem uma meta de retorno de 140% do CDI e uma volatilidade média de 5%.

A corretora fechou com quatro gestoras para fazer a administração das carteiras: Tag Investimentos, Vitreo e CA Indosuez, além da própria equipe do private do Santander. Outros quatro gestores devem ser incluídos futuramente.

As taxas de administração das carteiras também serão competitivas e variam de 0,7% a 1% ao ano, em alguns casos com taxa de performance sobre o que exceder o CDI. A expectativa é que a escala da plataforma remunere o trabalho desses gestores, mais caros que a média do mercado, segundo Bottino.

No lugar do agente autônomo, pontos

Assim como outras plataformas de investimento, a Pi não trabalha com a figura do agente autônomo, como fazem concorrentes como a XP Investimentos e o BTG Pactual Digital.

A diferença é que a Pi decidiu devolver para o cliente uma parcela da remuneração dos produtos de investimento que seria destinada ao agente autônomo.

Para isso, a plataforma do Santander criou um sistema de acúmulo de pontos, parecido com os programas de milhagem de cartões de crédito e empresas aéreas, e que são revertidos em dinheiro na conta.

Por exemplo: o investimento de R$ 5 mil em um CDB com vencimento em 2024 daria ao cliente 2 mil pontos, o equivalente a R$ 20.

Em fases

A Pi nasceu com uma oferta bem limitada de produtos. Hoje estão disponíveis apenas as aplicações de títulos bancários. A prateleira de fundos e as carteiras só devem entrar no sistema em abril.

O investimento no Tesouro Direto, previdência privada e ações também ficou mais para frente. Mas a ideia é ter toda a gama de produtos de investimentos disponível até o fim do ano, segundo Bottino, que veio da Icatu Seguros para comandar o projeto.

Embora o Santander tenha 100% do capital, a Pi opera de forma independente e funciona em um "coworking" que fica a aproximadamente três quilômetros da sede do banco em São Paulo.

O Santander não revelou os investimentos na Pi, mas sabe-se que se trata de um projeto estratégico para o banco. A equipe conta hoje com 70 pessoas de várias especialidades, inclusive uma especialista em games que veio da Nintendo. A plataforma começou a operar em fase de testes há algumas semanas, quando atraiu os 2 mil primeiros clientes.

Se você é um dos clientes que testou a plataforma, conte nos comentários logo abaixo ou no meu Twitter como foi a sua experiência.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Risco de rompimento

Vale realiza obras para conter lama da barragem de Cocais

Deslizamento na mina de Gongo Soco pode provocar abalo sísmico suficiente para provocar o rompimento da barragem

Negociações

Samuel Moreira quer apresentar relatório sobre reforma da Previdência em 15 dias

Rodrigo Maia sinalizou ao governo que vai encampar a proposta final do relator

Não é só na Educação...

Bloqueio de verba foi superior a 40% em 300 projetos

O governo federal congelou todo o Orçamento previsto neste ano para políticas em áreas sensíveis; cerca de 140 projetos estão com 100% dos recursos bloqueados, a maioria na área de infraestrutura

Seu Dinheiro no Domingo

A semana do tsunami

Semana foi pródiga em eventos com elevado poder de destruição e terminou com uma enigmática mensagem distribuída por Bolsonaro

Relações exteriores

Governo vê pouca chance de entrada do Brasil na OCDE

No encontro da OCDE de maio, os representantes dos EUA informaram que não “tinham instrução” sobre a chegada de novos membros

Dois anos de Joesley Day

Os bastidores da relação dos donos da JBS com o poder

No livro “Why not”, a jornalista Raquel Landim fala sobre a trajetória da gigante das carnes

Caso Queiroz

Justiça determina acesso a notas fiscais de Flávio Bolsonaro

Medida consiste em ampliação de quebra de sigilo bancário; Receita terá que encaminhar ao MP do Rio as notas de bens e serviços adquiridos pelo senador entre 2007 e 2008

Para além da lagosta e do vinho

Em cenário de cortes, STF prevê mais gastos

Entre os gastos previstos, estimados em R$ 29,5 milhões, estão a compra de veículos blindados, a troca de aparelho de telefone fixo, a reforma no gabinete da presidência do tribunal, além de refeições com lagosta e vinho

Congresso

‘Não haverá nova proposta da Previdência’, diz líder do governo na Câmara

Após conversa com o relator da reforma na Comissão Especial, Samuel Moreira, Major Vitor Hugo disse não acreditar que os deputados enviem uma proposta própria, mas sim um substitutivo para facilitar mudanças no texto atual

QUE BOLSA É ESSA?

O gigante Itaú, definitivamente, não está adormecido

O retorno sobre patrimônio líquido anualizado (ROE, da sigla em inglês) ficou em 23,6% – nada mau para um gigante que vem sendo atacado por todos os lados… Mas boa parte das fintechs moderninhas ainda não gera resultado, quanto mais caixa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu