Menu
2018-11-12T21:51:16+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Investimentos

O que a cessão onerosa significa para você, acionista da Petrobras

Revisão de contrato entre a União e a estatal pode impulsionar valorização das ações e ainda melhorar o caixa do governo

13 de novembro de 2018
6:01 - atualizado às 21:51
Prédio da Petrobras no Rio de Janeiro
Petrobras - Imagem: Shutterstock

O Senado Federal aprovou regime de urgência e pode votar, em breve, o projeto de lei que vai permitir uma revisão do contrato de cessão onerosa firmado entre a Petrobras e o governo e autoriza a empresa a transferir até 70% dos direitos de exploração na área do pré-sal. Mas o que isso significa para os milhares de investidores pessoa física da estatal?

Direto ao ponto, pode significar movimento de alta nas ações, segundo gestores. O que está em aberto é quão positivo isso pode ser e, até o momento, ninguém tem essa resposta. “No preço de tela de hoje da Petrobras tem pouca coisa ou quase nada refletindo cessão onerosa”, diz um gestor que prefere não se identificar.

O assunto é um tanto complexo, mas para traçar uma linha de acontecimentos, antes de entrar nos detalhes, o projeto que está em discussão seria o primeiro passo que vai permitir um leilão de venda de barris de petróleo do pré-sal. Isso é importante, pois Petrobras e União estão revendo os termos de um contrato firmado em 2010, e a Petrobras tem dinheiro ou barris de petróleo a receber da União.

E é justamente esse acerto de contas entre Petrobras e governo que vai ditar o quão potencialmente positivo a questão será para a empresa. Ainda de acordo com esse gestor, é muito difícil que todo esse complexo processo de negociação tenha um resultado negativo para a estatal.

“A pergunta de um milhão é o resultado dessas negociações entre a Petrobras e  a União. Pode ser algo apenas positivo ou uma pancada”, diz o especialista.

De acordo com outro gestor, que tem ações da empresa em seu portfólio, as estimativas que circulam pelo mercado dão conta de que esse “ajuste de contas” entre Petrobras e União fique na casa dos R$ 40 bilhões. “É algo bem relevante”, diz ele, lembrando que o valor de mercado da Petrobras está na casa dos R$ 350 bilhões.

Para o gestor, é difícil dizer se isso já estaria no preço atual da ação, de cerca de R$ 25 para o papel preferencial (PETR4). O mais importante no momento seria a definição do novo presidente da companhia.

Uma avaliação possível é que Petrobras e União já tenham chegado a um acordo, mas estão esperando a votação da lei para divulgar os termos finais.

A cessão onerosa

O contrato original de cessão onerosa é de 2010. A União, que é dona do petróleo, cedeu à Petrobras o direito de explorar um volume máximo de 5 bilhões de barris de petróleo equivalente (óleo e gás) das áreas do pré-sal, ao custo de R$ 74,8 bilhões. O governo utilizou esse recurso para participar do aumento de capital da estatal, que ficou em R$ 120 bilhões na época, e manter sua participação na empresa. Foi uma engenharia financeira buscando dar capital para empresa explorar o pré-sal. Esse é um dos modelos de exploração e produção de petróleo, existem também o modelo de partilha e a concessão.

Uma revisão deste contrato, para acertar ganhos e perdas entre a estatal e o governo, já estava previsto e deveria ter ocorrido em 2016. Dentro dessa revisão, a Petrobras quer ser ressarcida em função da queda do preço do petróleo desde que o contrato foi firmado. Após longa negociação ficou estabelecido que a estatal tem créditos a receber, mas o governo ainda não fechou o valor desse ressarcimento que poderá ser feito em dinheiro ou barris equivalentes.

Tudo indica que a opção será por barris equivalentes. A Petrobras pode escolher ficar com os barris a explorar ou entrar como vendedora junto com o governo em um leilão que está sendo programado para acontecer assim que todos esses trâmites legais se encerrarem. Outra opção é o governo fazer o leilão e entregar o dinheiro diretamente à estatal.

A expectativa é que a empresa opte por vender os barris que têm a receber e coloque dinheiro no caixa, o que ajuda no processo de redução de dívida que a Petrobras tem feito nos últimos anos. É essa quantidade de recursos que vai ditar o quão positivo o processo será para a empresa.

Depois de fechado esse contrato envolvendo os 5 bilhões de barris, foi descoberto que o volume de petróleo do pré-sal pode ser bastante superior a isso. Esse é outro ponto que passa pela aprovação do projeto.

Em 2014 foi fechado um acordo para a contratação direta da Petrobras para a exploração dos  chamados excedentes do pré-sal, prevendo pagamento pela estatal e participação do governo. O Tribunal de Contas da União (TCU), no entanto, barrou a medida, pois entendeu que ela não poderia ser tomada antes da renegociação do contrato original.

O projeto em discussão no Senado versa que o volume que exceder 5 bilhões de barris deverá ser licitado pelo modelo de partilha, no qual custos são descontados do valor total e o chamado excedente em óleo é partilhado entre a União e o consórcio que vai explorar a área leiloada.

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) contratou uma empresa independente, a Gaffney, Cline & Associates, que realizou estudos e estimou que o volume excedente de óleo oscila entre 6 bilhões e 15 bilhões de barris, no fim de 2017. Outras estimativas chegam a mais de 17 bilhões de barris.

O projeto também permite que a Petrobras transfira para empresas privadas até 70% de seus direitos de exploração na área do pré-sal. Assim a empresa ganha parceiros para a exploração se assim desejar. O projeto original previa a empresa como operadora única. Agora se pretende que a empresa divida riscos e investimentos com outros atores do setor.

A definição do novo contrato de cessão onerosa e o projeto de lei abrem caminho para que aconteça esse leilão das áreas excedentes do pré-sal. Os valores movimentados por esse leilão são estimados em mais de R$ 100 bilhões, recursos que entrariam para o caixa do governo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

expectativa

Consumidores esperam inflação de 5,4% em 12 meses a partir de maio, diz FGV

Fundação diz que, considerando-se o diferencial histórico entre as previsões dos consumidores e da inflação medida pelo IPCA, por exemplo, os números ainda compatíveis com uma inflação oficial na meta

vai aliviar

China anuncia corte de impostos para fabricantes de microchips

Medida visa ajudar setor em um momento de pressão dos Estados Unidos nas negociações comerciais

Botando os pontos nos is

Governo Bolsonaro altera Decreto de Armas após polêmica com fuzis

Decisão veio após a fabricante de armas Taurus divulgar que o decreto assinado pelo presidente dava margem para que pessoas comuns adquirissem o fuzil T4

vem modernização por aí

Scania fará novo aporte de R$ 1,4 bi na fábrica do ABC

Maior parte do novo montante será aplicada na modernização da fábrica – que no ano passado já foi totalmente remodelada – e na produção de veículos movidos a combustíveis alternativos

A agenda segue

Câmara desiste de esperar governo e avança com reforma tributária própria

Felipe Francischini convocou a votação para as 14h e espera liquidar o assunto ainda esta semana para deixar o caminho livre para o próximo estágio

Paciência zero

Maia diz que não aceitará ataques do executivo contra legislativo

Maia teve acesso a um material compartilhado pelo líder do governo na Câmara, major Vitor Hugo, em um grupo do Whatsapp. A charge compartilhada associava a negociação do governo com o Congresso a sacos de dinheiro

tá (quase) liberado

Câmara aprova MP que autoriza investimento até 100% estrangeiro em aéreas

Medida volta com a franquia mínima de bagagem que pode ser despachada gratuitamente; texto deve ser analisado pelo Senado e votada nesta quarta-feira, 22

deu ruim

Maia rompe com líder do governo na Câmara após mensagem por WhatsApp

O presidente da Câmara criticou abertamente o líder do governo na Casa, Major Vitor Hugo no final de uma reunião do colégio de líderes de partidos nesta terça-feira, 21.

dilema

Pode ser preciso cortar juros para cumprir meta de inflação, diz dirigente do Fed

James Bullard disse que a instituição pode considerar formas de recentralizar a inflação e as expectativas de inflação na meta de 2%

A Bula do Mercado

Mercado aposta em agenda positiva

Votação de medidas na Câmara cria um sentimento positivo em torno do andamento da reforma da Previdência

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements