Menu
2019-11-08T22:03:54+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Após alvará de soltura

Lula deixa a prisão da Polícia Federal em Curitiba e faz discurso enfático a militantes

Ex-presidente estava preso desde 7 de abril do ano passado pela condenação no caso do triplex do Guarujá

8 de novembro de 2019
17:57 - atualizado às 22:03
Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República
Imagem: Shutterstock

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou há pouco a carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba após a decisão da Justiça Federal que autorizou sua soltura.

Lula estava preso desde 7 de abril do ano passado pela condenação no caso do triplex do Guarujá (SP), um dos processos da Operação Lava Jato.

O ex-presidente deixou a sede da PF pela porta da frente, acompanhado por parlamentares do PT e seus advogados. Ele caminhou em direção aos apoiadores que o esperavam em um palco, onde deve fazer um pronunciamento aos militantes.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A liberdade do ex-presidente foi proferida pelo juiz Danilo Pereira Júnior, após a defesa pedir a libertação do ex-presidente com base na decisão proferida ontem (7) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou a validade da execução provisória de condenações criminais, conhecida como prisão após a segunda instância.

Discurso forte

Logo após sair da prisão, o ex-presidente fez um discurso a militantes que o aguardavam do lado de fora da sede da PF. Em sua fala, ele afirmou que não pensou que poderia estar fora do cárcere hoje.

"Não tenho dimensão do significado de eu estar aqui junto de vocês. A vida inteira estive conversando com o povo brasileiro, eu não pensei que no dia de hoje, eu poderia estar aqui conversando com homens e mulheres que durante 580 dias ficaram aqui", afirmou Lula a manifestantes que se aglomeraram na sede da Polícia Federal. "Todo santo dia, vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir".

O ex-presidente também disse que a sua prisão foi resultado de um "lado podre" do Estado brasileiro, "da Justiça, do Ministério Público, da Polícia Federal e da Receita Federal", que, segundo o presidente, "trabalhou para tentar criminalizar a esquerda, o PT e o Lula". "O lado mentiroso da PF que fez inquérito contra mim, o lado canalha do MP e da força-tarefa."

"Se pegar o (Deltan) Dallagnol (chefe da força-tarefa do Ministério Público Federal em Curitiba), o (Sergio) Moro (ex-juiz da Lava Jato) e alguns delegados, enfia e bate num liquidificador. O que sobrar não é dez por cento da honestidade que eu represento nesse País. Eles têm que saber que caráter e dignidade não é uma coisa que a gente compra em shopping center, em feira ou no bar", discursou o presidente.

"O Moro tem que saber uma coisa: não prenderam um homem. Tentaram matar uma ideia, mas uma ideia não desaparece", disse Lula, retomando as ideias da sua fala no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC logo antes de ser preso em abril de 2018.

O presidente também fez críticas a veículos de imprensa. "Eu quero lutar para provar que se existe uma quadrilha e um bando de mafioso é essa maracutaia, liderada pela Rede Globo." Lula ainda afirmou que "não tem mágoas" nem dos policiais federais, nem dos carcereiros.

Lula fez ainda agradecimentos aos seus seguidores. "Não importa que estivesse chovendo, estivesse 40ºC ou 0ºC. Todo santo dia vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir". "Eu não pensei que poderia estar aqui, conversando com homens e mulheres, que durante 580 dias gritaram: 'Bom dia, Lula', 'boa tarde, Lula' e 'boa noite, Lula'.

Entre os agradecimentos, teve destaque o ex-prefeito de São Paulo e candidato do PT às eleições de 2018, Fernando Haddad. Segundo Lula, Haddad teria ganho a Presidência da República "se não tivesse sido roubado". Lula também homenageou a atuação de Haddad como ministro da Educação entre 2005 e 2012. "Para quem teve um ministro da Educação da qualidade do Haddad, colocaram um ministro que quer destruir a nossa universidade", disse em referência ao atual mandatário da cadeira, Abraham Weintraub.

Lula também "apresentou" a sua namorada, a socióloga Rosangela da Silva. Aos gritos de "beija! beija!" de quem acompanhava a soltura do ex-presidente, Lula disse: "Eu consegui a proeza de, mesmo preso, arrumar uma namorada, me apaixonar e ela aceitar casar comigo". "Saio daqui aos 74 anos e meu coração só tem espaço para o amor porque o amor vai vencer nesse País."

No palco montado, acompanharam a fala a presidente nacional do partido, a deputada Gleisi Hoffmann, o ex-senador Lindbergh Farias e o ex-deputado e advogado Wadih Damous. Lula também agradeceu e elogiou a atuação de seus advogados, em especial, Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins.

"Muita vontade de lutar"

Horas após ser solto, Lula disse em transmissão ao vivo pelo Twitter que sai "com muita vontade de voltar a lutar". "É muito triste que depois de 580 dias que eu estou preso, depois de eleger um presidente com base na fake news e na mentira, os dados do IBGE mostram que o povo brasileiro está mais desempregado, está ganhando menos e está vivendo pior. É muito triste."

Lula, acompanhado da namorada, a socióloga Rosangela "Janja" da Silva, ainda disse: "Eu não quero ficar falando mal de presidente, eu não quero ficar falando mal de ministro. Eu quero falar bem do povo brasileiro e falar das coisas que são possíveis de serem construídas nesse País". "Eu tenho uma convicção de que o povo brasileiro - e o povo pobre sobretudo - é a única fonte que pode ajudar a gente a recuperar esse País, na hora em que a gente incluí-lo no orçamento e nas discussões econômicas do País."

O ex-presidente afirmou que "não tem como pagar o que esse povo da vigília fez por mim", sobre os acampados na porta da carceragem da Polícia Federal. "É muita grandiosidade." Lula ainda disse: "Do coração, eu vou trabalhar o resto da minha vida para pagar a vocês com gratidão, com amor, com trabalho, e retribuir, a cada um, o que vocês merecem. É para vocês e para o povo brasileiro que um governante tem que trabalhar. Um governante sério não fica governando com base em fake news e com base na mentira. Um governante sério fala com o povo e fala em emprego, em desenvolvimento e distribuição de renda, coisa que a gente não ouve falar."

Lula concluiu: "Vamos à luta até a vitória final".

PSDB fala em aumento da intolerância

O PSDB emitiu nesta sexta-feira, 8, uma nota classificando a soltura do ex-presidente Lula como um fato que pode alimentar "mais um clima de intolerância na sociedade brasileira, no qual polos extremos preferem se hostilizar ao invés de dialogar".

Assinado pelo presidente do PSDB, Bruno Araújo, o documento ataca a esquerda do País e diz que os partidos neste espectro político ficaram em posição cômoda de "não participar do esforço nacional de recuperação das dificuldades criadas ao longo de seus governos para ficarem na confortável posição do grito Lula Livre'".

"Com Lula solto, nova palavra de ordem não basta mais. Será preciso apresentação de soluções para a crise que eles próprios criaram. Retórica vazia não gera emprego nem reduz miséria ou desigualdade", afirmou o texto.

A sigla ressalta que "decisão judicial se respeita". "Cabe a todos os atores políticos serem responsáveis e serenos neste momento de nervos à flor da pele", disse o presidente do PSDB.

Parlamentares reagem à libertação

Na internet, o Twitter brasileiro foi dominado por publicações que repercutem a liberdade do petista. Parlamentares da situação, de centro e da oposição também se engajaram no tema.

"A liberdade de Lula repara apenas parte da trama para tirá-lo do páreo em 2018. Condenado sem provas por um conluio, a justiça só será restabelecida com a anulação da sentença por parcialidade do juiz", escreveu o senador Renan Calheiros (MDB-AL), um dos parlamentares mais críticos da operação Lava Jato.

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) também comemorou a saída do ex-presidente da prisão: "emoção por Lula, pela democracia e pelo Brasil. Gratidão pelas pessoas que ficaram em vigília cada dia desta injusta prisão. A verdade sobre o processo falso de Moro foi desmascarada pela #VazaJato por jornalistas livres. Temos um país pelo qual lutar. Um povo para amar".

Deputados da ala antipetista criticaram o ex-presidente e também o Supremo Tribunal Federal (STF).

"Lula sai da cadeia, discursa e ataca o que chama de 'lado podre' da PF, MPF, PF e judiciário, referindo-se à Lava Jato. É o coice na cara do brasileiro consumado. Valeu STF!", provocou a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP). A deputada Dayane Pimentel (PSL-BA) disse que Lula terá de enfrentar "uma política com uma renovação estrondosa no Congresso Nacional" que mostrará a "Lula e sua corja o que é patriotismo e compromisso com a população: leis, manifestações, discursos, reflexões... Lula, você ouviu falar de nós, agora vai ter que nos enfrentar", publicou.

Kim Kataguiri (DEM-SP), criticou o PT pela militância contra o fim da prisão após condenação em segunda instância: "Cunha livre, Eduardo Azeredo livre e Sérgio Cabral livre. Parabéns, petistada, soltaram o ladrão de vocês (que não vai servir de nada porque está com os direitos políticos cassados) e ainda fizeram a alegria dos corruptos dos outros partidos. Golaço!"

Líderes internacionais comemoram

Líderes de esquerda de diferentes países comemoraram, pelas redes sociais, a libertação do ex-presidente.

O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, escreveu em sua conta oficial no Twitter que o processo judicial que levou a condenação de Lula foi "arbitrário" e que "comove a força de Lula para enfrentar essa perseguição". "Sua força demonstra não só o compromisso mas também a imensidão desse homem", acrescentou o peronista, que chegou a pedir a liberdade do ex-presidente brasileiro no dia da eleição presidencial argentina, em 27 de outubro.

A ex-presidente argentina Cristina Kirchner, eleita vice-presidente na chapa de Fernández, também celebrou. "Termina hoje uma das maiores aberrações de Lawfare na América Latina: a privação ilegítima da liberdade do ex-presidente da República Federativa do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva", tuitou Kirchner.

O senador dos Estados Unidos Bernie Sanders, pré-candidato a presidente pelo Partido Democrata, compartilhou em sua conta oficial do Twitter uma notícia sobre a soltura do ex-presidente e acrescentou que "Lula fez mais que qualquer um para reduzir a pobreza no Brasil e defender os trabalhadores". "Eu estou encantado que ele tenha saído da prisão, já que nunca deveria ter acontecido em primeiro lugar", completou o americano sobre o fato de Lula ter ido parar na cadeia.

O Ministério das Relações Exteriores da Venezuela afirmou, via Twitter, que Nicolás Maduro "celebra a liberação" de Lula. Em sua conta oficial, Maduro escreveu que "a verdade triunfou no Brasil". "Em nome do povo da Venezuela, expresso minha mais profunda alegria pela liberação de meu irmão e amigo Lula, que estará novamente nas ruas para liderar as causas justas dos brasileiros e brasileiras", acrescentou Maduro.

Já o ex-presidente do Paraguai Fernando Lugo, que sofreu impeachment em 2012, chamou Lula de "querido companheiro" e tuitou que "um julgamento político vergonhoso e 580 dias na prisão não puderam dobrar uma polegada de sua coragem e sua dignidade para continuar de pé ao lado de seu povo". "O abraço de todos os povos latino-americanos para você e todos aqueles que lutam ao seu lado", escreveu Lugo.

*Com Agência Brasil e Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Mercado de trabalho

Emprego informal recorde derruba produtividade da economia brasileira

O crescimento do trabalho informal tem afetado os índices de produtividade da economia do país, de acordo com cálculos da Fundação Getulio Vargas

Shake it off

Taylor Swift, o grupo de investimentos Carlyle e uma briga feia no mundo da música pop

O Carlyle está no centro de uma discussão envolvendo Taylor Swift e sua antiga gravadora, a Big Machine Records, que estão disputando os direitos autorais da obra da cantora pop

Seu Dinheiro no sábado

MAIS LIDAS: O jovem bilionário do Facebook

20 de janeiro de 2010: essa é a data da minha primeira postagem no Facebook. Nada muito inspirador, eu estava só reclamando do clima chuvoso. Nos meses seguintes, todas as minhas interações tratavam de joguinhos on-line — aparentemente, eu era um grande fã de FarmVille. Acessar o túnel do tempo das redes sociais é revelador. […]

Fim das atividades

Braskem encerra extração de sal-gema em Alagoas, alvo de ações de R$ 40 bi

Após supostos prejuízos causados a ruas e casas em Maceió (AL), a petroquímica Braskem decidiu encerrar as atividades de extração de sal-gema cidade

Ultrapassou Jeff Bezos

O maior bilionário: Bill Gates volta a ser o homem mais rico do mundo

Com uma fortuna avaliada em US$ 110 bilhões, o fundador da Microsoft, Bill Gates, ultrapassou Jeff Bezos na disputa pelo posto de maior bilionário do mundo

O segundo passo

Binance e Bittrex, duas exchanges estrangeiras de criptomoedas para chamar de sua

Entenda por que vale a pena abrir conta em uma corretora de fora e veja quais são as principais diferenças entre as duas casas sugeridas por especialistas com grande experiência no mercado

Dicas do Fausto Botelho

Bitcoin e outras criptomoedas que estão com tendência de alta

Neste vídeo, o analista gráfico faz projeções para o Bitcoin e muitas outras criptomoedas, além de fazer comentários sobre a tendência do S&P

Abertura de capital

XP Investimentos dá a largada para o IPO e apresenta documentos à CVM americana

A XP Investimentos protocolou os documentos referentes ao seu processo de abertura de capital nos EUA. A operação será feita na Nasdaq, com ofertas primárias e secundárias

Tensão nos ares

Crise na Boeing: sindicatos de companhias aéreas temem a liberação do 737 Max

Com a possibilidade de as aeronaves 737 Max da Boeing serem liberadas novamente para voar, os sindicatos das companhias aéreas mostram-se preocupados

Protestos no país

Banco Central do Chile anuncia novas medidas para conter a queda do peso

A autoridade monetária do Chile irá adotar mais ferramentas para frear a trajetória de desvalorização da moeda do país, em meio à onda de protestos sociais vistos nos últimos dias

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements