Menu
2019-03-11T09:25:54+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Agenda econômica

Governo articula PEC para mudar pacto federativo, segundo ministro da Economia

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, o ministro Paulo Guedes afirmou que a Proposta de Emenda Constitucional busca acabar com as despesas obrigatórias e as vinculações orçamentárias

11 de março de 2019
8:03 - atualizado às 9:25
O ministro da Economia, Paulo Guedes
O ministro da Economia, Paulo Guedes - Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil

Ao ser entrevistado pelo jornal O Estado de S.Paulo no último domingo (10), o ministro da Economia, Paulo Guedes, relatou que vai encaminhar "o mais rápido possível" para o Senado uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para mudar o chamado pacto federativo. Durante a entrevista, o ministro destacou que a ideia da proposta é que os políticos voltem a assumir o controle orçamentário e que ela não deve prejudicar a aprovação da reforma da Previdência.

"É a desvinculação, a desindexação, a desobrigação e a descentralização dos recursos das receitas e das despesas. Isso chegou até a ser veiculado como plano B, caso não fosse aprovada a reforma da Previdência, lá atrás, mas são dois projetos diferentes", disse Guedes.

O ministro detalhou que quer a desvinculação total das despesas obrigatórias e disse que o pacto federativo deve ter duas dimensões importantes.

"Uma é de curto prazo, sim. Tem de vir um balão de oxigênio, mas ele é condicionado às reformas em nível estadual e municipal. Estamos chamando de Plano Mansueto (em referência ao secretário do Tesouro, Mansueto Almeida), que é um especialista nisso. É uma antecipação de receitas para quem fizer o ajuste", disse o ministro.

Previdência

Guedes também foi claro com relação à Previdência e enfatizou que, se o Congresso desidratar a reforma, isso vai derrubar toda a pauta positiva. Além disso, ele falou que terá muita dificuldade para lançar a capitalização (sistema de previdência em que cada trabalhador poupa para sua própria aposentadoria).

Mas, no geral, o ministro se mostrou otimista com a tramitação da reforma e disse que, nas contas do ministro Onyx Lorenzoni, há explicitamente 160 votos a favor e mais 100 que dizem que estão ao lado do governo (nos bastidores). Logo, faltariam 48 votos para a aprovação.

Privatizações

Ao ser questionado sobre diminuir a participação do Estado na economia, Guedes disse que mandou uma mensagem para Joaquim Levy, que comanda o BNDES. "A mensagem é que ele tem de despedalar e ir para uma atuação qualitativa. Ele vai ajudar o Programa de Parcerias de Investimento (PPI), refazendo a infraestrutura nacional com empréstimos internacionais e investimentos privados. O Levy vai ajudar também as privatizações e a reestruturar Estados e municípios com a venda de estatais".

E sobre a lista de privatizações, o ministro disse que gostaria de "vender tudo e reduzir dívida, mas que quem tem voto é o presidente e não ele. Aí ele diz: “Não vai vender a Petrobrás, não vai vender o Banco do Brasil...”.

Com relação aos Correios e a Eletrobras, Guedes falou que não sabia ainda se as empresas seriam privatizadas, apesar de o secretário especial de desestatização e desinvestimento, Salim Mattar, já ter afirmado que vai capitalizar a gigante do setor elétrico.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

preço da violência

Ataque à Aramco, na Arábia Saudita, pode afetar 5% da produção mundial de petróleo

Ataques à Aramco ocorrem em meio à escalada das tensões entre os rebeldes houthis, aliados do Irã, com a Arábia Saudita, apoiada pelos EUA

Proteção para a sua carteira

Ao escalar sua seleção de ações, pense duas vezes antes de colocar Vale e Suzano na defesa

As ações das exportadoras Vale e Suzano, clássicas opções defensivas para um cenário de dólar forte, acumulam desempenho negativo no ano, pressionadas pelos preços do minério e da celulose em baixa. Se esses papéis já não têm mais o mesmo apelo defensivo de antes, quais ativos da bolsa podem ocupar o miolo da zaga do seu portfólio?

quem disse que tá ruim?

Novatas de tecnologia na bolsa americana têm desempenho acima do S&P 500 – mesmo levando em conta Uber e Lyft

Levantamento feito por publicação americana leva em conta 13 IPOs de tecnologia deste ano nas bolsas e mostram que os papéis, juntos, valorizaram mais que o S&P 500

tensão

Drones atacam instalações de petroleira na Arábia Saudita

Reivindicado pelos rebeldes houthis que combatem a intervenção saudita no vizinho Iêmen, ataque atingiu duas refinarias da Aramco

oportunidades à vista

Brasil consegue abertura do mercado egípcio para lácteos e Bolsonaro comemora

Produtores brasileiros poderão exportar, já a partir de outubro, produtos como leite em pó e queijos para o mercado egípcio

unicórnio vai à bolsa

Startup de escritórios compartilhados WeWork reduz poderes do CEO

Prestes a estrear na bolsa, a WeWork enfrenta a preocupações de investidores por conta de seu modelo de negócio.

olha a dupla aí

Com IPO da C&A e avanço da Amazon, mercado espera aceleração de investimentos no varejo

Especialistas avaliam a oferta pública inicial de ações da rede de lojas de vestuário e a escalada da varejista fundada por Jeff Bezos

novela com o bilionário

Executivo das criptomoedas pagou US$ 4,6 milhões por almoço com Warren Buffett – mas encontro pode não acontecer

CEO da Tron, Justin Sun, venceu leilão beneficente que promove um encontro com o lendário investidor, mas história teve desdobramentos inesperados

olhos lá na frente

Mineradora tem projeto de R$ 9,1 bi com megabarragem no Norte de MG

Projeto prevê uma das maiores barragens de rejeitos do País, mas é condenado por entidades como o Movimento dos Atingidos por Barragens; empresa afirma que o modelo é seguro

o melhor do seu dinheiro

MAIS LIDAS: Uma empresa que vale zero?

Mais lida da semana, matéria conta as duras críticas de um analista quanto ao negócio da Tesla, do bilionário Elon Musk. Veja outras notícias que bombaram no Seu Dinheiro nos últimos sete dias.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements