Menu
2019-04-20T15:24:33+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Toma-lá-dá-cá

Eduardo Guardia e Paulo Guedes decidem deixar cessão onerosa para 2019

Segundo fontes do “Broadcast Político”, Guedes quer trazer assunto à tona no começo do ano que vem junto a um pacote de outras medidas econômicas

5 de dezembro de 2018
7:34 - atualizado às 15:24
Paulo Guedes
Ministro da economia, Paulo Guedes - Imagem: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, e o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiram deixar para 2019 as negociações em torno do projeto de revisão da cessão onerosa da Petrobras.

Os dois teriam decidido sobre o assunto nessa terça-feira, 4. A informação é do "Broadcast Político", do Estadão".

Mesmo em meio à pressão de governadores interessados na partilha do bônus, os dois se comprometeram a encerrar as conversas sobre uma solução para garantir o repasse da verba de assinatura do contrato para Estados e municípios, apurou a reportagem.

Guardia conversou diretamente com alguns líderes de bancadas do Senado para avisar da decisão, e o anúncio foi repassado para senadores no fim da tarde.

Um dos senadores envolvido nas discussões disse ao Broadcast, em condição de anonimato, que a ideia de Guedes seria trazer o assunto à tona novamente no início do ano que vem, junto de um pacote com outras medidas econômicas.

Mais cedo, governadores fizeram um périplo pela Câmara e pelo Senado, com o objetivo de garantir que as propostas fossem apreciadas antes do recesso de fim de ano. Ainda assim, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (RR), chegou a admitir que é "possível" que a discussão não avance neste ano. Jucá disse que o texto não pode ser colocado em votação prematuramente.

*Com Estadão Conteúdo 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

olho nas eleições

Bolsonaro provoca Doria e fala em 2022

Ao comentar as negociações para a transferência das provas da Fórmula 1 para o Rio de Janeiro, Bolsonaro afirmou que o governador de São Paulo, João Doria, deveria “pensar no País”

no tribunal

CVM retoma nesta terça-feira, 25, julgamento de processos contra Eike Batista

O empresário já recebeu veredito de dois processos; no primeiro, foi condenado a pagar uma multa de R$ 536 milhões por insider trading; no segundo, foi absolvido

Lava Jato

Gilmar Mendes recua e adia julgamento sobre Moro

Decisão de Gilmar Mendes de não devolver o processo para julgamento nesta terça se deu após a pauta da Segunda Turma ser “inchada” com outros casos

Novas regras

Anac ouvirá aéreas sobre distribuição de voos da Avianca

Ontem, a Anac suspendeu cautelarmente a concessão da Avianca Brasil para exploração do serviço de transporte aéreo. Os voos da empresa já estavam suspensos por questão de segurança desde maio

abrindo o mercado

Conselho aprova diretrizes para quebra de monopólio da Petrobras no gás

Apesar do monopólio ter sido quebrado na legislação em 1997, a Petrobrás ainda detém o controle tanto da produção como da distribuição do gás no país

no diálogo

China e EUA concordam em manter comunicações sobre comércio, diz agência

Durante um telefonema, o vice-premiê chinês Liu He falou com o representante comercial americano, Robert Lighthizer, e com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin

negócio fechado

Transpetro firma com TAG contrato de apoio a transporte de gás de R$ 5,46 bi

O contrato de apoio técnico firmado entre as duas empresas inclui uma série de cláusulas de desempenho, que, caso não seja atingido, pode gerar ônus à subsidiária estatal

A Bula do Mercado

Agenda cheia movimenta mercados

Discurso do presidente do Fed, Jerome Powell, ata do Copom e IPCA-15 estão entre os destaques

Análise

Primeiro-ministro e rainha da Inglaterra: nova relação de Maia e Bolsonaro pode ser um avanço

Olhando com alguma boa vontade, episódio pode ser visto como aceno de fortalecimento institucional, mesmo com veto do presidente

Fazendo as contas

Guedes: preço do gás pode cair 40% e PIB industrial crescer 8,46%

Ministro afirmou que a quebra do monopólio do gás é um movimento de mercado, mas o governo federal não vai socorrer os Estados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements