🔴 MELHORES MOMENTOS DO MACRO SUMMIT BRASIL 2024 – ASSISTA AQUI

Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
momento diferente

Lucro do Bradesco em 2023 pode ficar até 40% abaixo do Itaú; ações BBDC4 desabam após balanço do 4T22

Resultado do 4T22 do Bradesco foi considerado fraco, e analistas ficaram preocupados com guidance de provisões contra devedores duvidosos

Flavia Alemi
Flavia Alemi
10 de fevereiro de 2023
13:06 - atualizado às 19:47
Agência do Banco Bradesco (BBDC4) | Dividendos
Banco Bradesco (BBDC4) - Imagem: Estadão Conteúdo/Ricardo Lisboa

O resultado fraco do Bradesco (BBDC4) no último trimestre de 2022, manchado pelas provisões contra calote da Americanas (AMER3), deixou os analistas desanimados com as perspectivas do banco para 2023.

Isto porque as estimativas de crescimento elaboradas pelo próprio Bradesco indicam que a situação deve continuar difícil neste ano, mesmo excluindo o efeito Americanas.

Caso as projeções se concretizem, a diferença do lucro do Bradesco em relação ao do Itaú Unibanco (ITUB4), seu principal concorrente, deve chegar a pelo menos 35%-40%  em 2023, de acordo com os cálculos do BTG Pactual.

Esse seria um aumento relevante da diferença entre os dois - em 2021, o lucro do Itaú ficou apenas 2,5% acima do Bradesco. Isso se traduziria, ainda, numa discrepância maior entre as ações dos dois bancos na bolsa. Como o Seu Dinheiro mostrou nesta reportagem em dezembro, a distância entre os papéis aumentou no último ano.

Nesta sexta-feira (10), o mercado reage negativamente aos resultados do Bradesco, com as ações preferenciais (BBDC4) e ordinárias (BBDC3) caindo mais de 7% pela manhã.

Mais Bradesco:

Bradesco faz mea culpa

Com o Bradesco mostrando queda no lucro e o Itaú publicando um balanço considerado  irretocável pelos analistas, o momento de cada banco é claramente diferente e isso tem a ver com erros cometidos no ciclo de crédito, segundo as principais casas de análise.

Nesta sexta-feira, durante coletiva de imprensa, o CEO do Bradesco, Octavio de Lazari Junior, reconheceu que o banco concedeu mais crédito do que deveria durante a pandemia.

“Vivemos um momento com a pandemia onde experimentamos inadimplência extremamente baixa, que não condizia com a realidade do nosso país. Em função disso, concedemos mais crédito do que deveríamos”, afirmou.

Lazari disse, ainda, que ficou o aprendizado de estar “sempre um ponto antes da curva” para que não veja o crescimento desenfreado de provisões.

“Não devemos esquecer as lições aprendidas e agora vamos arrumar a casa”, prometeu.

Resultado ruim, mesmo sem Americanas

O resultado ruim do Bradesco foi largamente motivado pela provisão de 100% da sua exposição à Americanas, que pediu recuperação judicial em janeiro. Mas não foi só isso que prejudicou os números.

Com o impacto da Americanas, o Bradesco registrou queda de 76% no lucro líquido do quarto trimestre de 2022 em comparação com o mesmo período de 2021, chegando a R$ 1,595 bilhão. Além disso, a rentabilidade despencou para 3,9%, de 17,5% no quarto trimestre de 2021.

Excluindo Americanas da conta, os números ficam mais agradáveis, mas, ainda assim, mostram uma tendência de piora dos resultados. Ao descontar o efeito da varejista, o lucro do Bradesco no quarto trimestre teria sido de R$ 4,3 bilhões, ainda abaixo das projeções do mercado, de R$ 4,6 bilhões.

Mais do que o lucro em si, o ponto de atenção ficou com as provisões contra devedores duvidosos (PDD). Mesmo tirando os efeitos da Americanas, a PDD dobrou do 4T21 para o 4T22 e cresceu 23% na comparação com o período imediatamente anterior. Para completar, a projeção do banco (guidance) para a PDD em 2023 assustou os analistas.

“Isso mostra que a carteira de crédito do Bradesco está deteriorando os resultados mais rapidamente do que no Itaú e mais rapidamente do que a maioria dos analistas acreditava”, afirmou Flavio Conde, da Levante Investimentos.

O Bradesco estima que a PDD expandida deve ficar entre R$ 36,5 bilhões e R$ 39,5 bilhões em 2023. No ano passado, o montante total foi de R$ 32,3 bilhões, mas a conta cai para R$ 27,4 bilhões excluindo a Americanas.

ROE de 18% só ano que vem - ou depois

Considerando os outros indicadores projetados pelo banco para 2023, os analistas concluem que a rentabilidade medida pelo retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) do Bradesco deve encerrar o ano no patamar entre 10% e 15%, ainda longe do objetivo de 18% estipulado por Lazari.

Para a Genial Investimentos, o ROE de 18% só deve aparecer no balanço a partir de 2024 ou talvez 2025.

Compartilhe

VITÓRIA!

Prio (PRIO3) fica com 100% de Wahoo: como a vitória deve aumentar a produção da petroleira; ações sobem na bolsa

12 de abril de 2024 - 13:05

A empresa recebeu uma decisão favorável da Câmara de Comércio Internacional em um processo arbitral relacionado à concessão BM-C-30, no campo de Wahoo

REESTRUTURAÇÃO DE DÍVIDAS

Light (LIGT3) assina acordos com credores, em novo passo em direção ao fim da recuperação judicial; ações caem na B3

12 de abril de 2024 - 11:46

Foram celebrados dois acordos com credores e debenturistas envolvendo as subsidiárias Light Sesa e Light Energia; entenda o que vem pela frente

ENGORDOU O PATRIMÔNIO

CEO da Nvidia fica quase R$ 3 bilhões mais rico em um dia. Conheça o bilionário que quase dobrou de fortuna em 2024

11 de abril de 2024 - 18:03

Jensen Huang é a 19º pessoa mais rica do planeta, de acordo com a revista Forbes, com um patrimônio avaliado em US$ 79,5 bilhões (R$ 404 bilhões)

ENTENDA O CASO

Justiça embarga obras de complexo bilionário da JHSF (JHSF3) no interior de São Paulo

11 de abril de 2024 - 16:01

A decisão aconteceu após pedido do Ministério Público, que afirma que a JHSF e outras duas companhias burlaram regras de licenciamento ambiental

DESISTIU DA BATALHA?

Gafisa (GFSA3): Esh Capital diminui participação após perder disputa sobre assembleia; ações caem 6% na B3

11 de abril de 2024 - 11:24

A gestora de Vladimir Timerman reduziu a participação na Gafisa de 20% para 4% do capital

FOI DADA A LARGADA

Oferta de ações da Boa Safra (SOJA3): companhia pretende levantar até R$ 388 milhões com nova emissão

11 de abril de 2024 - 9:48

Empresa pretende usar os recursos para expandir o negócio de armazenamento; controladores se comprometeram a colocar dinheiro novo na oferta

VOO DE FRANGO?

BRF (BRFS3) volta a ser empresa “de dono” e mais que dobra de valor na B3. O que está por trás da disparada — e o que esperar das ações

11 de abril de 2024 - 6:13

Agora “oficialmente” sob controle da Marfrig, BRF acumula alta de mais de 170% em 12 meses na B3; saiba o que os analistas pensam da empresa de proteínas

DINHEIRO NO BOLSO

Santander (SANB11) vai depositar R$ 1,5 bilhão na conta dos acionistas; saiba mais sobre os proventos anunciados pelo banco

10 de abril de 2024 - 18:37

Terá direito ao provento quem estiver na base de investidores do banco ao final do pregão de 19 de abril

PISOU NO ACELERADOR

Cury (CURY3) inicia o ano lançando quase R$ 2 bilhões e executivo diz por que a construtora foi na contramão do mercado

10 de abril de 2024 - 18:24

De acordo com Leonardo Mesquita, vice-presidente comercial da construtora, a decisão de lançar mais no início do ano já é adotada há alguns anos e tem um propósito

CHIPS DE IA

Após prejuízo bilionário, Intel promete lançamento de chip “mais rápido que o da Nvidia” para acirrar disputa em inteligência artificial

10 de abril de 2024 - 18:17

A companhia lançou nesta semana um novo semicondutor voltado para IA que promete oferecer “melhorias significativas de desempenho para tarefas de treinamento”

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies