🔴 AÇÃO QUE JÁ DISPAROU 1.200% E AINDA ESTÁ BARATA – VEJA QUAL

Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
Tombo grande

Lucro do Bradesco despenca 76% com provisões contra calote da Americanas

Bradesco provisionou 100% de sua exposição à Americanas, que entrou com pedido de recuperação judicial em janeiro

Flavia Alemi
Flavia Alemi
9 de fevereiro de 2023
18:52 - atualizado às 19:43
Logo do Bradesco
Logo do Bradesco - Imagem: Shutterstock

Um dos principais credores da Americanas (AMER3), o Bradesco (BBDC4) se viu obrigado a provisionar 100% de sua exposição à varejista para mitigar o impacto de um possível calote. O montante impactou o lucro do banco no quarto trimestre de 2022, que despencou 76% em relação ao mesmo período de 2021, para R$ 1,595 bilhão.

O desastre era anunciado: com o início da recuperação judicial da Americanas (AMER3) em janeiro, os bancos teriam de antecipar um possível calote em suas demonstrações financeiras, ainda que o caso tenha eclodido depois do fechamento do trimestre.

"Com os recentes eventos envolvendo um cliente Large Corporate específico, ocorridos no início de 2023, a Administração reavaliou os riscos inerentes e, de forma prudencial, provisionou 100% da operação, afetando o lucro do 4T22", disse o Bradesco.

No caso do Bradesco, a dívida da Americanas com o banco chega a R$ 4,8 bilhões, a maior com uma instituição financeira, de acordo com a planilha de credores divulgada pela varejista. (Tecnicamente, a maior dívida seria com o Deutsche Bank, mas o banco alemão já informou que não tem exposição ao caso, pois é agente fiduciário de dois títulos de dívida que a Americanas emitiu no exterior).

Outros bancos que já divulgaram seus balanços também aumentaram as provisões. O Santander provisionou apenas 30% da dívida que tem com a varejista, o que deve afetar os resultados deste ano. Já o Itaú decidiu provisionar 100% da sua exposição, assim como o Bradesco, deixando o ano de 2023 "limpo" desse impacto.

Segundo o CEO do Bradesco, Octavio de Lazari Junior, o resultado 2023 será ainda impactado por maiores provisões. “No segmento massificado o crescimento de provisões acompanhará a expansão da carteira, e, no atacado, teremos provisões normalizadas”, disse em nota.

A queda no lucro do Bradesco foi além do esperado por analistas da Bloomberg, que projetavam recuo de apenas 30% na comparação com o mesmo período de 2021. No total do ano de 2022, o Bradesco somou lucro líquido recorrente de R$ 20,7 bilhões, queda de 21,1% em relação a 2021.

Leia mais:

Rentabilidade também foi afetada

A rentabilidade medida pelo retorno anualizado sobre patrimônio líquido Médio (ROAE) também sofreu no período e chegou a 3,9%, um tombo de 9,1 pontos percentuais em relação ao terceiro trimestre de 2022. De acordo com o Bradesco, o índice teria chegado a 10,3% se não fosse o impacto da Americanas. No acumulado do ano, o ROAE ficou em 13,1%.

Já a margem financeira com clientes anotou uma leve queda de 0,3% no trimestre, mas expandiu 18,3% em relação ao mesmo período de 2021. A margem com o mercado, por sua vez, mostrou alguma recuperação no trimestre, apesar de ainda estar negativa. Isso se deve ao impacto negativo do aumento da Selic.

Bradesco vê inadimplência aumentar novamente

As dívidas vencidas há mais de 90 dias voltaram a se expandir no quarto trimestre, levando o índice a se deteriorar 0,4 ponto percentual em relação ao período anterior, para 4,3%. Na comparação com dezembro de 2021, a inadimplência cresceu 1,5 ponto percentual.

Também houve piora no índice que mede as dívidas vencidas entre 15 e 90 dias, que passaram de 3,6% no terceiro trimestre para 4,1%.

"Nossa inadimplência está concentrada no portfólio massificado de Pessoas Físicas, Micro e Pequenas Empresas, segmentos que naturalmente sofrem mais em cenários adversos de inflação e juros altos, contexto este que foi fortemente agravado pela pandemia e que tem se estendido, gerando maiores impactos nestes públicos", disse o Bradesco.

Vale notar que a carteira de Grandes Empresas, por sua vez, está no menor nível de inadimplência da série histórica, em apenas 0,1%.

O aumento dos índices de inadimplência é parcialmente explicado pelo crescimento da carteira de crédito, que aumento 9,8% em 12 meses e 1,5% no trimestre, com destaque para as pessoas físicas, especialmente em operações com cartões de crédito.

Guidance do Bradesco para 2023

Junto com o balanço consolidado de 2022, o Bradesco aproveitou para revelar suas projeções de crescimento (guidance) para este ano. Confira:

Compartilhe

BOM OU MAL?

Oncoclínicas (ONCO3) fará aumento de capital de R$ 1,5 bilhão — e executivos já ‘garantiram’ R$ 1 bilhão; ações sobem quase 20%

23 de maio de 2024 - 10:09

A empresa afirma que os recursos levantados com o aumento de capital serão destinados à melhora da posição em caixa e redução da alavancagem financeira da companhia

MAIS DINHEIRO NO BOLSO

Nvidia anuncia alta de 150% nos dividendos e desdobramento de ações após trimestre com recorde de receita e salto no lucro

22 de maio de 2024 - 18:13

Os proventos passarão de US$ 0,04 por ação para R$ 0,10 por papel ordinário. Mas, como a companhia fará um desdobramento de ações, esse valor ainda será ajustado

GIGANTE DA IA

Lucro da Nvidia salta mais de 600%, receita bate recorde e ações disparam; confira os destaques do balanço da empresa

22 de maio de 2024 - 17:36

A gigante da Inteligência Artificial conseguiu ultrapassar as projeções já elevadas dos analistas e entregou números acima do previsto

DEDO GORDO

Citigroup é multado em mais de R$ 400 milhões — e tudo por causa do potencial erro de digitação de um trader de ações 

22 de maio de 2024 - 15:27

Os reguladores do Reino Unido aplicaram uma multa combinada de 62 milhões de libras por falhas nos sistemas de negociação em maio de 2022

PRETENDENTE INSISTENTE

BHP eleva oferta de megafusão com a Anglo American para quase US$ 50 bilhões — mas proposta é rejeitada de novo

22 de maio de 2024 - 14:39

Menos de duas semanas após a segunda tentativa, a BHP aumentou a proposta de aquisição em cerca de 17%, para US$ 49,87 bilhões

NOVOS TERMOS

Petrobras (PETR4) recebe sinal verde do Cade para cancelar vendas e manter cinco refinarias no portfólio

22 de maio de 2024 - 14:16

O acordo põe fim a obrigação de alienação de oito refinarias — incluindo três unidades já vendidas — que havia sido acertada entre o Cade e a Petrobras durante a gestão de Jair Bolsonaro

FABRICANTE DE CHIPS

É hoje! Veja o que analistas esperam do balanço da Nvidia: crescimento da gigante da Inteligência Artificial perdeu vapor?

22 de maio de 2024 - 11:02

Dados consensuais da Bloomberg apontam para uma expectativa de crescimento de 400% do lucros em comparação ao trimestre imediatamente anterior

O boi Subiu no telhado?

Sinal vermelho para a Minerva (BEEF3): autoridade uruguaia barra compra de plantas de abate da Marfrig (MRFG3) no país

21 de maio de 2024 - 18:38

O negócio faz parte de uma transação de R$ 7,5 bilhões anunciada em agosto do ano passado; Minerva deve recorrer da decisão

LUCHA LIBRE DAS FINTECHS

Como o Mercado Livre (MELI34) pretende enfrentar o Nubank em disputa pelo mercado do México

21 de maio de 2024 - 17:26

O Mercado Pago está em busca de uma licença bancária para se estabelecer como “o maior banco digital do México”, em uma briga direta com o Nu

FICOU BARATA?

Ação da Suzano não para de cair na B3 — e esse bancão vê dois futuros possíveis para SUZB3. É hora de abocanhar os papéis?

21 de maio de 2024 - 12:28

O BTG Pactual acredita que a intensa desvalorização recente abriu uma oportunidade de se tornar sócio da companhia a preços muito baixos — mas há riscos no radar

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar