🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-06-24T11:16:05-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
O BARATO PODE SAIR CARO

Por que a queda de 80% das ações do Magazine Luiza (MGLU3) não é oportunidade de compra, segundo a XP Investimentos

Para a corretora, não é hora de investir em ações como a do Magalu por conta do cenário macro desafiador e do aumento da concorrência

18 de junho de 2022
13:19 - atualizado às 11:16
magazine luiza queda ações bolsa mglu3
Imagem: Shutterstock/Montagem Julia Shikota

Em apenas 12 meses, as ações de Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e Americanas (AMER3) foram do céu ao inferno. 

A mudança no humor do mercado financeiro e o desafiador cenário macroeconômico fizeram com que as empresas de e-commerce fossem de grandes vencedoras da pandemia a maiores perdedoras. Com isso, em apenas um ano as gigantes do setor acumulam queda superior a 80% – só em junho, o recuo foi de 30%, tirando Luiza Trajano da lista de bilionários da Forbes.

Os patamares baixos chamam a atenção e alguns caçadores de barganhas podem até aproveitar o momento para encher a carteira, mas os analistas da XP Investimentos não acreditam que seja hora de comprar os papéis do setor. 

São quatro principais fatores que fazem a corretora não apostar no e-commerce no momento – a deterioração macroeconômica, o aumento do custo de capital, aumento de competição e mudança de foco do mercado. 

Por que não comprar Magalu (MGLU3)

A guerra entre a Rússia e a Ucrânia e a dificuldade da China de lidar com o coronavírus seguem pressionando a inflação, o que obriga os bancos centrais a adotarem um aperto monetário mais forte, reduzindo ainda mais o poder de compra das famílias. Esse cenário pressiona a aquisição de bens duráveis, penalizando principalmente Magazine Luiza e Via. 

Com a Selic em alta, a 13,25% ao ano, o custo de capital se amplia, impactando as empresas de crescimento negativamente – e o e-commerce se enquadra nesta categoria. A nova realidade pressiona o valor das companhias, já que parte da expectativa está depositada nos fluxos de caixa mais longos. 

O crescimento de empresas estrangeiras como Amazon e Shopee também virou uma pedra no sapato das varejistas locais. “Ainda há desafios de rentabilidade por conta do aumento de competição por marketing, além de impulsionar a necessidade de investimentos em melhorar a oferta de serviços para o cliente (como frete grátis, programas de fidelidade, cashback, entre outros)”. 

Com a dificuldade macroeconômica persistente, os investidores parecem estar mudando o foco de suas carteiras, optando por priorizar a lucratividade, a geração de caixa e o crescimento. 

Ou seja: a inflação elevada deve continuar reduzindo as vendas, a taxa de juros em patamares mais altos prejudica o fluxo de caixa das companhias e a alta capitalização e capacidade de investimento das principais concorrentes (como Amazon e Shopee) pressionam as margens de crescimento para o setor. 

A expectativa da XP Investimentos é que os balanços dos próximos trimestres sigam mostrando números fracos. 

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Oportunidade de lucros de aproximadamente 5% em swing trade com a B3 (B3SA3); confira a recomendação

6 de julho de 2022

Identifiquei uma oportunidade de swing trade – compra dos papéis da B3 (B3SA3). Veja a análise

O melhor do Seu Dinheiro

Uma patinação desgraciosa sobre o gelo fino dos mercados financeiros; confira a história do dia e outras notícias que mexem com os seus investimentos hoje

6 de julho de 2022

Com a oscilação das bolsas internacionais, é importante saber onde investir seu dinheiro. Confira recomendações em renda fixa e em fundos imobiliários

FII DO MÊS

Fundos de papel retornam ao topo da preferência dos analistas; veja quais são os FIIs favoritos para julho

6 de julho de 2022

Em meio ao temor de recessão global, as corretoras consultadas pelo Seu DInheiro voltaram-se novamente para a proteção do papel

ESQUENTA DOS MERCADOS

Bolsas estrangeiras patinam à espera da ata do Fed e dos dados de desemprego nos Estados Unidos

6 de julho de 2022

Investidores preparam-se para a divulgação da ata do Fed na tentativa de prever os próximos passos da política monetária norte-americana

Especiais SD

Onde investir no 2º semestre: Renda fixa, nós gostamos de você! Com juros altos, ativos mais rentáveis do ano continuam atraentes

6 de julho de 2022

No difícil primeiro semestre de 2022, ativos de renda fixa foram os únicos a se salvarem, especialmente aqueles que se beneficiam da alta dos juros; para o resto do ano, esses investimentos permanecem interessantes, e investidor não precisa correr muito risco para ganhar dinheiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies