O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-05T14:22:12-03:00
Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
Queridinha

A Renner (LREN3) vai completando o seu quebra-cabeças do e-commerce — e os analistas estão gostando do resultado

Varejista anunciou aquisição da empresa de logística Uello, que já prestava serviços para a Renner. Objetivo é melhorar tempo de entrega

5 de abril de 2022
14:15 - atualizado às 14:22
Fachada de unidade da Lojas Renner (LREN3)
Imagem: Divulgação

Quando fez uma oferta subsequente de ações no ano passado (follow-on), a Lojas Renner (LREN3) gerou expectativas de que grandes aquisições estariam no futuro da companhia. Afinal, a empresa colocou cerca de R$ 4 bilhões em caixa e houve até quem especulasse a compra da rival C&A. 

Mas quase um ano se passou e nenhuma movimentação nesse sentido foi feita. Isso não significa, no entanto, que a Renner ficou parada. Ontem (4) foi anunciada a aquisição da empresa de logística Uello, que já prestava serviços para a companhia.

Sem divulgar quanto desembolsou, os executivos da Renner disseram que a escolheram entre outras 15 e que a aquisição é “essencial” para seu ecossistema.

A aposta da Renner na Uello está na plataforma que faz a gestão de rotas de entrega e rastreamento de pedidos, ou o Software as a Service (SaaS). Nesse modelo, o fornecedor da ferramenta - neste caso, a Uello -, se responsabiliza pela estrutura e o cliente utiliza o software. 

Mesmo com a aquisição pela Renner, a Uello irá continuar operando de forma independente. A empresa opera nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais e atende nomes como Arezzo (ARZZ3), Enjoei (ENJU3) e Alpargatas (ALPA4). A ideia é continuar em expansão, mas com uma separação das operações com a Renner. 

“A gente espera acelerar essa plataforma da SaaS da Uello para outros clientes corporativos. Estamos vendo um potencial de criação de valor muito bacana para o ecossistema e para a Uello como um negócio autossuficiente”, disse o diretor de supply chain da Renner, Pedro Pereira, em vídeo divulgado no site de Relações com Investidores.

Mas o que será que os analistas que cobrem a companhia acharam da aquisição? De forma geral, parece haver concordância de que a aquisição está em linha com os objetivos da Renner.

LREN3: O que dizem os analistas

Para os analistas do Santander, a compra da Uello é um exemplo do que devemos esperar para o futuro das aquisições e fusões da Renner: pequenas empresas que viabilizem diferentes recursos na plataforma. Ou seja, por ora, é melhor deixar de lado a ideia de comprar a C&A.

“Os recursos da Uello nas operações de ‘última milha’ devem ajudar a Renner a melhorar a experiência do consumidor, com entregas mais rápidas e uma experiência de logística reversa melhorada”, disse o Santander em relatório.

Juntando a aquisição ao novo centro de distribuição de Cabreúva-SP, a expectativa do Santander é que haja reflexo de 3 pontos percentuais na margem bruta do e-commerce até 2023.

A Renner está com classificação Outperform, que, no conceito do Santander, significa que espera-se que a empresa supere o benchmark do mercado local em mais de 10%. O banco estipulou o preço-alvo em R$ 40, o que indica potencial de valorização de 36% em relação ao fechamento de ontem (4).

Para o J.P. Morgan, a aquisição se encaixa na estratégia da Renner de desenvolver seu marketplace em torno das categorias principais (moda e casa). O banco identifica duas sinergias principais da aquisição: 

  1. A integração e compartilhamento das estruturas de entrega, que devem ajudar a Uello a elevar sua escala a nível nacional
  2. Desenvolvimento tecnológico, já que a equipe de gestão da Uello deve permanecer na empresa

A revisão mais atualizada da Renner pelo J.P. Morgan colocou o preço-alvo em R$ 36, ou seja, potencial de alta de 22,5%.

LEIA TAMBÉM:

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies