O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-05-12T00:15:34-03:00
Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
Balanço

Lucro do Itaú (ITUB4) sobe 15% no 1T22; veja o que fez o resultado superar a previsão do mercado

Melhora no lucro se estendeu à rentabilidade sobre o patrimônio líquido (ROAE, na sigla em inglês) do Itaú, que atingiu 20,4% no período

9 de maio de 2022
7:01 - atualizado às 0:15
Itaú Unibanco
Imagem: Divulgação

Seguindo a fila de divulgação dos balanços do primeiro trimestre, o Itaú Unibanco (ITUB4) registrou lucro líquido recorrente de R$ 7,361 bilhões entre janeiro e março de 2022.

O resultado representa um avanço de 15% na comparação com o mesmo período do ano passado e ficou acima do esperado pelo consenso da Bloomberg, que estimava um lucro de R$ 7,240 bilhões.

De acordo com o Itaú, entre os fatores que mais influenciaram os resultados está o crescimento da margem financeira com clientes, que subiu 23,9% em relação ao primeiro trimestre de 2021 e chegou a R$ 20,039 bilhões.

Em comunicado, o banco afirma que o número "foi impulsionado pelo maior volume de crédito e pela mudança de mix de produtos, com maior crescimento relativo de produtos com melhores spreads e crescimento das receitas com cartões, devido a maior faturamento."

A melhora no lucro se estendeu à rentabilidade sobre o patrimônio líquido (ROAE, na sigla em inglês) do Itaú, que atingiu 20,4% no período. O índice é maior que o registrado tanto no mesmo período do ano passado quanto no trimestre anterior, que marcaram 18,5% e 20,2%, respectivamente.

"Depois de um 2021 de importante recuperação, reunimos todas as condições para atravessar 2022 mantendo um balanço extremamente robusto, graças a um provisionamento adequado e compromisso com uma gestão focada em eficiência e a entrega do melhor atendimento aos nossos clientes”, afirmou em nota o diretor financeiro do Itaú, Alexsandro Broedel.

Leia também:

Despesas com provisões aumentam

De acordo com o Itaú, houve um salto no custo do crédito, que totalizou R$ 6,968 bilhões no primeiro trimestre, alta de 69,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

O banco informou que esse aumento ocorreu devido à alta de 57,8% das despesas de provisão para créditos de liquidação duvidosa (PDD), em razão da expansão da carteira de crédito de varejo ao longo do período.

A carteira de crédito total do Itaú, por sua vez, encerrou o primeiro trimestre com avanço de 13,9% em relação ao mesmo período de 2022, somando R$ 1,032 trilhão. O número também é 0,5% maior que o registrado no quarto trimestre.

Vale notar que a carteira de crédito imobiliário avançou 5,4%, mas o Itaú frisa que o crescimento já apresentou desaceleração em função do cenário de elevada taxa básica de juros.

Por outro lado, a inadimplência total também subiu no período, mas a um ritmo mais fraco do que o observado nos concorrentes. No total, as dívidas vencidas há mais de 90 dias chegaram a 2,6%, ou seja, 0,3 ponto percentual que no primeiro trimestre de 2021 e apenas 0,1 ponto percentual em relação ao quarto trimestre.

Receita com serviços segue pressionada no Itaú

Como vem sendo registrado nos últimos trimestres, a receita do Itaú com serviços de conta corrente continua pressionada. Houve queda de 3,5% em relação ao quarto trimestre, chegando a R$ 1,901 bilhão.

Comparando com o primeiro trimestre de 2021, porém, o banco teve alta de 5%. De acordo com o Itaú, a alta se deve ao início da tarifação do Pix nos pacotes PJ a partir de agosto do ano passado. Além disso, houve também cobrança do Pix avulso e aumento da base de clientes.

Na linha que inclui prestação de serviços e resultado de seguros, houve queda de 2,6% na comparação com o trimestre anterior. Segundo o Itaú, o recuo está ligado a receitas mais baixas com cartões, que são sazonalmente menores no primeiro trimestre.

Já na comparação com o mesmo período de 2021, a mesma linha cresceu 9,6%. Curiosamente, o destaque ficou justamente com o que penalizou o número na comparação trimestral: as receitas com cartões. Houve alta de 18,6% na receita com cartões devido a maior faturamento, tanto em emissão quanto em adquirência (intermediação dos pagamentos realizados com cartões de crédito e de débito).

Itaú mantém guidance para 2022

O banco manteve suas estimativas (guidance) para o desempenho operacional de 2022. Confira abaixo:

Consolidado
Carteira de crédito total9% a 12%
Margem financeira com clientes20,5% a 23,5%
Margem financeira com o mercadoR$ 1 bi a R$ 3 bi
Custo do créditoR$ 25 bi a R$ 29 bi
Receita de prestação de serviços e resultado de seguros3,5% a 6,5%
Despesas não recorrentes de juros3% a 7%
Alíquota efetiva de IR/CS30% a 33%
Fonte: Itaú Unibanco
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

CEO do JP Morgan leva cartão vermelho de acionistas e pode ficar sem bônus milionário, entenda a decisão rara

A desaprovação foi a primeira desde que o conselho do banco norte-americano enfrentou um voto negativo sobre compensações desde que as regras foram introduzidas, há mais de uma década

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Hapvida, Magazine Luiza e Nubank tombam, mas Ibovespa fecha o dia no azul; confira os destaques desta terça-feira

O maior apetite ao risco e a expectativa de manutenção no ritmo de alta no juro nos Estados Unidos ajudou o Ibovespa, que teve um dia de ganho

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa sustenta alta após susto inicial com Powell; dólar cai abaixo dos R$ 5

O Ibovespa fechou o dia longe das mínimas, mas o dólar caiu 2% com o apetite por risco no exterior

onda vendedora

Nubank (NUBR33) perde US$ 1,2 bi em valor de mercado e já vale menos que o Banco do Brasil (BBAS3)

As ações do Nubank, negociadas na bolsa de Nova York (Nyse), encerraram o pregão em queda de 6,21%, a US$ 4,08

COMPRA NA "BAIXA"

Warren Buffett compra papéis do Citigroup: confira as ações que o megainvestidor colocou na carteira após a queda das bolsa em NY

Warren Buffett segue a “velha economia” e compra ações de grandes financeiras durante a queda do índice S&P 500

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies