O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-05-11T17:39:35-03:00
Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
Dívidas

Bradesco (BBDC4) prevê que inadimplência para de subir no segundo semestre; banco anuncia recompra de ações

Índice de inadimplência do Bradesco terminou o 1T22 atingindo 3,2% da carteira de crédito. No 4T21, o índice estava em 2,8%

6 de maio de 2022
10:58 - atualizado às 17:39
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco - Imagem: Divulgação/Bradesco

Num Brasil que convive hoje com alto endividamento das famílias, os bancos poderiam facilmente perder o sono com a inadimplência dos clientes. No Bradesco (BBDC4), no entanto, o aumento das dívidas em atraso há mais de 90 dias não assusta. Mais que isso, é possível dizer que o banco está até relativamente otimista com o cenário para o resto do ano.

De acordo com o CEO do Bradesco, Octávio de Lazari, a expectativa é de que a inadimplência suba mais um pouco no segundo trimestre e, de julho em diante, mantenha-se estável até o fim do ano.

O índice de inadimplência terminou o primeiro trimestre atingindo 3,2% da carteira de crédito. No quarto trimestre, o índice estava em 2,8% e no mesmo período do ano passado em 2,5%.

Em teleconferência com jornalistas para comentar o balanço divulgado ontem à noite, Lazari afirmou que as estimativas do Bradesco trabalham com um aumento entre 10 e 20 pontos base no segundo trimestre.

"Isso é uma perspectiva devido ao que vem acontecendo na economia brasileira, mas não é uma segurança absoluta", reforçou o executivo.

Ainda que a inadimplência tenha subido no primeiro trimestre, o índice está longe dos níveis de 2016, quando o total de calotes chegou a 5,5% da carteira.

Nesta manhã, o mercado reage à publicação do balanço. A ação do Bradesco (BBDC4) abriu em alta e, por volta das 11h, sustentava ganhos modestos de 0,41%, cotada a R$ 14,62.

Bradesco fará recompra de ações

Logo após a publicação do balanço, o Bradesco informou ao mercado que fará um novo programa de recompra de ações para permanência em tesouraria e posterior cancelamento, sem redução do capital social. 

De acordo com o banco, a operação possibilita maior retorno financeiro aos acionistas devido ao aumento proporcional dos dividendos distribuídos por ação.

A quantidade de ações que serão adquiridas é de até 106.584.880, sendo até 53.413.506 ordinárias e até 53.171.375 preferenciais. A aquisição utilizará preço de mercado e o prazo máximo para liquidação das operações é de 18 meses, de 6 de maio de 2022 até 6 de novembro de 2023.

Leia também:

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

MADE IN CHINA

Shopee, Shein e AliExpress livre de taxas? Bolsonaro diz que sim e Guedes diz que não!

Chefe do Executivo volta a contrariar o ministro da Economia, Paulo Guedes, que na última semana defendeu o digitax — um imposto que seria aplicado em compras online de fornecedores estrangeiros

BYE BYE GOVERNO!

Privatização vem aí: conselho do PPI altera regras da capitalização da Eletrobras (ELET3); saiba por que mudou

O TCU aprovou na sessão de quarta-feira (18) o processo de privatização da companhia — a proposta do relator venceu por 7 votos a favor e 1 contra

NOVO SHAPE

Da academia pra carteira: Smart Fit (SMFT3) tem potencial de alta de 34%, diz Itaú BBA — saiba se é hora de comprar

Depois do confinamento provocado pela covid-19, a indústria fitness enfrenta agora um cenário desafiador, com inflação alta, segundo o banco de investimentos

SEM LIMITE

STF nega impor prazo a Lira para análise de pedidos de impeachment de Bolsonaro

O chefe do Executivo é alvo de mais de 140 solicitações de impedimento; entenda a decisão da corte máxima

VAI TER DISNEY?

Dólar acumula desvalorização de 12,59% frente ao real no ano — veja o que mexe com o mercado de câmbio

A moeda norte-americana teve o pior desempenho semanal em quase dois meses, quando levou um tombo de mais de 5%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies