O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-26T11:12:31-03:00
Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
Balanço

Santander (SANB11) tem lucro de R$ 4 bilhões no 1T22, em linha com as expectativas, mas inadimplência dispara

Lucro líquido gerencial do Santander no primeiro trimestre de 2022 representa alta de 1,3% em relação ao mesmo período do ano passado

26 de abril de 2022
7:14 - atualizado às 11:12
Sede do Santander Brasil em São Paulo
Sede do Santander Brasil em São Paulo - Imagem: Divulgação

O primeiro balanço trimestral do Santander Brasil (SANB11) sem Sérgio Rial no comando veio em linha com o esperado pelo mercado, com o lucro líquido gerencial do banco chegando a R$ 4,005 bilhões no primeiro trimestre de 2022. O valor desconsidera as despesas de amortização do ágio e o efeito do hedge cambial.

O lucro representa alta de 1,3% em relação ao mesmo período do ano passado. O consenso do mercado era de um lucro de R$ 4,087 bilhões.

Ao mesmo tempo, a rentabilidade do Santander subiu ligeiramente, tanto na comparação com o trimestre anterior quanto com o mesmo período do ano passado, e foi para 20,7%.

Santander vê inadimplência crescer

Por outro lado, a inadimplência de pessoa física subiu no trimestre a um ritmo mais forte do que o observado nos trimestres passados e retomou os níveis de março de 2020, início da pandemia. O índice de inadimplência superior a 90 dias subiu 0,9 p.p. no ano, para 4%.

Já o índice total de inadimplência superior a 90 dias aumentou 0,77 p.p. no ano e atingiu 2,9% em março de 2022.

De acordo com o Santander, o aumento da inadimplência está alinhado com a expansão da carteira de crédito, do mix de produtos e do cenário macro.

Chama atenção, ainda, a disparada da inadimplência entre 15 e 90 dias, que saltou de um trimestre para o outro. De dezembro de 2021 para março de 2022, esse índice passou de 3,5% para 4,2%. Na pessoa física, foi de 5% para 5,9%.

Dessa forma, o Santander teve de elevar o saldo de provisões para créditos de liquidação duvidosa, que chegou a R$ 28,4 bilhões, alta de 10,4% na comparação com o primeiro trimestre de 2021.

Margem financeira em alta

A margem financeira bruta, ou seja, a diferença entre o custo de captação e a taxa dos empréstimos, atingiu R$ 13,938 bilhões no 1T22, o que representa alta de 3,8% em doze meses.

De acordo com o Santander, a boa performance se deve à margem com clientes, que cresceu 29,6% no ano, influenciada principalmente por maiores volumes e spreads em captações.

Os spreads, aliás, subiram para 11,3%, de 10% no 1T21, acompanhando a elevação da Selic.

Receitas com cartões se destacam

Dentre as receitas do Santander, as com cartões tiveram crescimento anual mais expressivo, subindo 27,7% no 1T22 em comparação ao mesmo período de 2021, para R$ 1,3 bilhões. De acordo com o banco, o crescimento se deve ao aumento do faturamento de crédito e à expansão da base de clientes com cartões.

As receitas de serviços de conta corrente ficaram praticamente estáveis em relação ao ano anterior, chegando a R$ 958 milhões.

Confira esse conteúdo também em vídeo. No nosso canal (clique aqui para se inscrever) você acompanha notícias que impactam suas finanças, insights de investimentos, alertas da bolsa e dicas de carreira e empreendedorismo. Assista abaixo:

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies