O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-08T14:43:29-03:00
Carolina Gama
DANÇA DAS CADEIRAS

Novela entre brMalls (BRML3) e Aliansce Sonae (ALSO3) ganha novo capítulo com redução de fatia de acionista importante; veja detalhes

Reposicionamento acontece dentro de um processo de fusão que era para ser entre iguais, mas que se transformou em uma briga de rivais entre duas das principais operadoras de shoppings do Brasil

8 de abril de 2022
14:43
brMalls BRML3
brMalls - Imagem: Divulgação

Em briga de marido e mulher ninguém mete a colher. Essa máxima caiu em desuso para os casais, mas ainda vale para as empresas. Em meio ao imbróglio que se tornou a proposta de união com a Aliansce Sonae (ALSO3), um acionista com participação relevante na brMalls (BRML3) resolveu não mergulhar ainda mais a sua colher nessa história. 

A gestora norte-americana Capital International informou  que reduziu a participação na empresa. 

Agora, a Capital detém uma participação de 9,238% do capital da brMalls, o equivalente a 76.518.699 das ações ordinárias. Até então, a fatia detida pelo fundo era de 10,0%. 

“A Aliansce ainda tem que superar algumas barreiras colocadas pelos executivos da brMalls. Estamos lidando com um processo longo, por isso, a base acionária deve ser alterada à medida que esse processo avança”, disse Caio Araújo, analista e especialista em fundos imobiliários da Empiricus. 

No pregão desta sexta-feira, por volta de 14h30, as ações da brMalls (BRML3) eram negociadas com queda de 3,64%, a R$ 8,73 e as da Aliansce Sonae (ALSO3) com baixa de 2,17%, a R$ 22,05. 

Dança das cadeiras na brMalls

Com a redução da participação, a Capital International perde a terceira posição no quadro de maiores acionistas da brMalls para a gestora carioca Squadra, que detém cerca de 9,5% da fatia da empresa.

Abaixo, a tabela do site de relações com investidores da brMalls com seu quadro de acionistas depois da mudança de posição da Capital Internacional:

União entre iguais vira briga

O que era para ser uma fusão de iguais entre duas das principais operadoras de shoppings do Brasil, se transformou em uma briga de rivais. 

Sem aceitar os termos propostos pela Aliansce Sonae, a brMalls (BRML3) acionou no mês passado o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para tentar frear as investidas da concorrente.

Na superfície, o caso parece apenas uma simples negociação de valores: de um lado, a Aliansce refez sua proposta inicial e aumentou o valor atribuído à competidora; do outro, a brMalls diz que os termos ainda são insuficientes, subavaliando a companhia. Uma simples — e dura — negociação.

Mas, nos bastidores, a Aliansce tem mexido os seus pauzinhos: junto do CCPIB, um de seus acionistas majoritários, a companhia tem comprado ações da brMalls. A ideia é formar um bloco relevante o suficiente para convocar uma assembleia e, quem sabe, aprovar a fusão 'na marra'.

E foi justamente por causa desse movimento que a brMalls recorreu ao Cade: a empresa pede que as compras feitas pela Aliansce e pelo CCPIB sejam investigadas — e que, até que uma decisão seja tomada, o grupo não possa exercer seus direitos de acionista.

Abaixo, a carta da Capital Internacional para a BrMalls:

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

NOITE CRIPTO

Não durou muito: bitcoin (BTC) opera em queda e volta a ficar abaixo do nível de US$ 30 mil; veja a performance das outras criptomoedas

O peso da perda de confiança do mercado é um dos pontos que mais afastam o investidor do mercado de criptomoedas atualmente

DISTRIBUINDO MAIS DO QUE COMBUSTÍVEIS

Dividendos e JPC: Vibra Energia (VBBR3) anuncia o pagamento de R$ 131 milhões em proventos; confira prazos

Ao todo, a distribuidora de combustíveis já pagou R$ 663 milhões em dividendos e juros sobre capital próprio no exercício de 2021

CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CSNA3) vão recomprar até 164 milhões de ações; veja o que muda para os acionistas

As duas companhias aproveitam o momento descontado na B3 para encerrar os programas atuais e iniciar novas operações com duração de um ano

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Inflação derruba bolsas, Hapvida vai às compras e a varejista que ameaça o Magalu; confira os destaques do dia

Depois de um dia de animação, preocupações com o movimento dos preços e a atividade econômica pelo mundo estragaram o humor dos investidores

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana come margem de grandes empresas e derruba bolsas globais; Ibovespa cai mais de 2% e dólar cola em R$ 5

Com inflação pressionando e China voltando a fechar cidades, o Ibovespa caiu menos que as bolsas em Wall Street, mas ainda assim amargou fortes perdas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies