O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-05-11T10:21:54-03:00
Liliane de Lima
É repórter do Seu Dinheiro. Jornalista formada pela PUC-SP.
A CULPA É DO DIESEL?

Bento Albuquerque é a mais nova vítima da ira de Bolsonaro contra o aumento de combustíveis: o preço vai mudar?

Assume o ex-secretário do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida. A recente alta do diesel é um dos motivo para saída de Bento Albuquerque

11 de maio de 2022
10:12 - atualizado às 10:21
Bento Albuquerque MME
Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque - Imagem: Fabio Rodrigues/Pozzebom/Agência Brasil

A quarta-feira amanheceu agitada no Palácio do Planalto. O ministro de Minas e Energia (MME), Bento Albuquerque, foi exonerado da pasta, conforme publicado no Diário Oficial da União (DOU).

A saída de Alburquerque acontece logo após o reajuste do preço do diesel, anunciado pela Petrobras na última segunda-feira (9). Apesar das críticas do presidente da República, Jair Bolsonaro, a estatal já afirmou que deve fazer novos ajustes nos preços dos combustíveis, “quando necessário”.

No lugar, entra Adolfo Sachsida, ex-chefe da Assessoria Especial do Ministério da Economia e próximo do ministro da Economia, Paulo Guedes.

O que está por trás da decisão?

A exoneração de Bento Albuquerque é uma das respostas do presidente Jair Bolsonaro (PL) contra o aumento dos preços dos combustíveis, já que a troca de presidentes na estatal parece não ter cumprido o desejo do chefe do Executivo.

Em abril, Bolsonaro exonerou o general Silva e Luna, que estava na presidência da Petrobras, por desentendimento sobre a política de preços e reajustes de combustíveis nos últimos meses. No lugar, indicou José Mauro Ferreira Coelho, ex-secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), que atuou ao lado de Bento Albuquerque.

O então ministro discordava do chefe do Executivo em pressionar a estatal para segurar a alta de preço dos combustíveis. Na live semanal, na última quinta-feira (5), Jair Bolsonaro criticou nominalmente Albuquerque e Coelho.

É importante ressaltar que essa foi a primeira troca de ministros no Ministério de Minas e Energia, ao contrário do que aconteceu em outros ministérios como o da Educação e da Saúde. Durante a gestão de Albuquerque, o país vivenciou a alta nos preços das contas de luz, devido à crise hídrica, e apagões na região Norte.

Leia também

Como fica o preço dos combustíveis?

Mesmo com a mudança de presidente da estatal e ministro de Minas e Energia, não há sinalização da Petrobras, ao menos, de que haverá mudança na política de preços dos combustíveis.

Na última sexta-feira (6), o presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, afirmou que a empresa não pode “se desviar da prática do mercado”, que no momento registra altas na cotação do barril de petróleo tipo brent. A fala aconteceu após a divulgação do balanço do primeiro trimestre deste ano, que registrou um lucro recorde de mais de R$ 44 bilhões.

Sendo assim, no início desta semana, a companhia anunciou um reajuste de 8,87% no preço do diesel para as distribuidoras, após 60 dias sem aumentos nas refinarias. A decisão resultou em um acréscimo de R$ 0,40 por litro do combustível.

Além disso, vale ressaltar que a alta do diesel afeta diretamente os caminhoneiros, que representam parte do eleitorado de Jair Bolsonaro (PL). A categoria cogita uma nova paralisação a partir de 21 de maio, segundo a Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava).

*Com informações de Estadão Conteúdo e Agência Brasil

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

PRESSÃO INFLACIONÁRIA

Pãozinho mais caro? Veja como a suspensão das exportações de trigo pela Índia pode encarecer ainda mais o seu café da manhã

Diante da guerra entre Rússia e Ucrânia, o Brasil vinha mirando na produção de trigo da Índia para suprir a demanda interna pela commodity

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Exterior pesa e Ibovespa abre em queda; dólar vai a R$ 4,99 com juros estáveis

RESUMO DO DIA: Após o rali da última terça-feira (17), as bolsas amanheceram com leves perdas, em um movimento de ajuste cauteloso. A inflação na Europa preocupa, enquanto o Federal Reserve dá sinais mistos sobre o aperto monetário. Por aqui, o Ibovespa acompanha a privatização da Eletrobras (ELET3) e falas de Roberto Campos Neto e […]

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Oportunidade de swing trade: compra de ações da Suzano (SUZB3) e lucro de 5,3% no bolso com Wiz (WIZS3)

Identifiquei uma oportunidade de swing trade – compra dos papéis da Suzano (SUZB3), com entrada em R$ 52,74; confira a análise

O melhor do Seu Dinheiro

As stablecoins são o Real dos anos 1990? Confira a notícia do dia e outras sete histórias que mexem com os seus investimentos

Manter a paridade com o dólar não é tarefa simples, e o novíssimo mercado das criptomoedas experimentou esse travo amargo na semana passada; entenda a crise das stablecoins

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas lá fora tentam emplacar terceiro dia de alta, limitadas por dados inflacionários; Ibovespa mira Eletrobras (ELET3) e briga entre poderes

Ainda hoje, os investidores acompanham o presidente do BC, Roberto Campos Neto, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, em evento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies