🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-02-11T16:11:21-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
SEMANA EM CRIPTO

Bitcoin (BTC) deve fechar semana com 5% de alta após ameaça da Rússia à Ucrânia, novos celulares com suporte para criptomoedas e outros destaques dos últimos dias

O mercado de criptomoedas viu uma entrada cada vez maior dos investidores institucionais e uma facilidade para acessar ativos digitais

11 de fevereiro de 2022
10:59 - atualizado às 16:11
bitcoin (BTC) registra alta na semana e impulsiona mercado de criptomoedas
Confira o que foi destaque para o bitcoin (BTC) e as demais criptomoedas do mercado esta semana.Imagem: Shutterstock

A segunda semana de fevereiro caminha para o fim e, enquanto os foliões brasileiros aguardam o carnaval, quem comemora são os investidores em criptomoedas: o bitcoin (BTC) caminha para fechar os últimos sete dias em alta de mais de 5%. 

Apesar da pressão inflacionária dos Estados Unidos alertar para um aumento de juros da economia americana, as demais criptomoedas do mundo permanecem no campo positivo nos últimos sete dias (atualizado às 16h):

#NomePreço24h %7d %
1Bitcoin (BTC)US$ 42.752,07-5,27%5,79%
2Ethereum (ETH)US$ 3.019,07-5,09%2,42%
3Tether (USDT)US$ 1,000,00%0,03%
4BNB (BNB)US$ 408,02-4,36%3,95%
5USD Coin (USDC)US$ 0,9994-0,03%0,01%
6XRP (XRP)US$ 0,7936-8,04%24,47%
7Cardano (ADA)US$ 1,13-4,96%2,85%
8Solana (SOL)US$ 101,94-7,33%-6,45%
9Terra (LUNA)US$ 53,42-3,88%3,52%
10Avalanche (AVAX)US$ 86,29-6,37%13,31%

A ameaça de invasão da Rússia piorou o sentimento dos investidores em ativos de risco de modo geral. Enquanto as bolsas de Nova York operavam majoritariamente em queda, o barril de petróleo Brent disparava mais de 4%, atingindo o patamar de US$ 95.

A piora do sentimento geral dos investidores desacelerou a alta dos fundos de índice (ETF, em inglês) em criptomoedas da bolsa brasileira. Você pode clicar aqui para saber mais sobre cada um deles. 

Confira os ETFs em criptomoeda da bolsa brasileira e o acumulado da semana até o momento (atualizado 16h): 

TickerGestoraPreçoVariação (24h%)Variação (7d%)
HASH11HashdexR$ 40,38-4,29%-4,76%
ETHE11HashdexR$ 46,61-2,90%-6,74%
BITH11HashdexR$ 53,21-4,30%-4,30%
QBTC11QR CapitalR$ 14,07-4,48%-1,61%
QETH11QR CapitalR$ 11,52-2,70%-4,40%
QDF11QR CapitalR$ 9,19-0,42%-4,37%
Fonte: TradeMap e Google Finance

O bitcoin permaneceu acima dos US$ 40 mil esta semana, após passar meses na faixa dos US$ 33 mil e US$ 39 mil. Na máxima dos últimos sete dias, o BTC tocou os US$ 45 mil e praticamente reverteu as perdas de janeiro. 

Contudo, a maior criptomoeda do mundo acumula alta de 12% em fevereiro contra uma queda de 16% em janeiro. No acumulado até o momento, o BTC perdeu 6,33% do seu valor. 

O que esperar da próxima semana?

Ainda esta semana era esperado que o bitcoin ultrapassasse os US$ 46 mil, o que não aconteceu, apesar da alta até os US$ 45.500. Entretanto, a manutenção do patamar de US$ 40 mil é considerada positiva para os analistas. 

O momento é de cautela para a consolidação de preço do bitcoin. Enquanto diversas propostas transitam no Congresso americano para regular criptomoedas, a perspectiva de alta de juros do Federal Reserve permanece como um empecilho do mercado. 

Os juros do título do Tesouro americano atingiram as máximas desde 2019 nesta semana, o que retira recursos de ativos de risco como ações e criptomoedas. Agora, os próximos passos do Fed devem ser acompanhados pelos investidores de perto. 

E o que foi destaque para o bitcoin e as criptomoedas esta semana

Perdeu alguma notícia? Relaxa que aqui a gente faz um resumo para você!

E não se esqueça: sexta-feira é dia de space no Twitter do Seu Dinheiro. Nós comentamos os principais movimentos do mercado em formato de áudio e fica gravado para você ouvir depois. Ative as notificações para não perder nenhum comentário.

Agora sim, vamos aos destaques da semana: 

Bitcoin americanizado

A correlação entre o BTC e as bolsas americanas está cada vez maior. Os investidores mostram uma tendência de preferir os horários de negociação do pregão em Nova York, mesmo em finais de semana e feriados por lá. 

Não apenas isso: o bitcoin tem acompanhado os movimentos do S&P 500 e do Nasdaq — quem pode se esquecer da queda do Facebook na semana passada? 

Essa relação pode ser explicada pela entrada de investidores institucionais no mercado de criptomoedas, o que torna a influência de um sobre o outro cada vez maior. 

Criptomoedas dentro da lei

Três propostas tramitam no Congresso americano para regular o mercado de criptomoedas.

Entre elas, estão medidas para reduzir o poder dos reguladores sobre o mercado de ativos digitais e redução no imposto de renda para negociações de cripto até US$ 200 (cerca de US$ 1 mil). 

Essas medidas não devem atingir o mercado em um primeiro momento, mas podem indicar os próximos passos da regulação nos EUA.

Gigantes investem em cripto

De olho na Web 3.0, grandes companhias de investimento como Sequoia Capital India, Softbank e Tiger Global anunciaram um aporte de US$ 450 milhões em uma criptomoeda promissora. 

A Polygon (MATIC) é um protocolo que  busca resolver o problema de altas taxas de rede (gas fees, em inglês), além de melhorar a experiência do usuário na negociação de  certificados digitais (NFTs) e finanças descentralizadas (DeFis).

Esse é um projeto chamado de resolução de segunda camada (layer 2 ou L2), assim como a Solana (SOL) e o próprio ethereum, que tem potencial de se tornar o “tijolo” da web 3.0.

Novos ETFs de DeFis

A bolsa brasileira terá dois novos ETFs listados neste mês, ambos com exposição às finanças descentralizadas, as DeFis

O primeiro deles começou a ser negociado na última terça-feira (08) e é oferecido pela QR Capital, que já possui outros dois ETFs com exposição ao bitcoin e ao ethereum.

Com o ticker QDFI11, esse será o primeiro fundo com exposição total a protocolos de finanças descentralizadas. O outro, que deve começar a ser negociado ainda em fevereiro pela Hashdex, terá o ticker DEFI11. 

XRP nas alturas

A novidade no caso entre a SEC e a Ripple, que emite a criptomoeda XRP (XRP), animou o mercado esta semana. A notícia foi suficiente para fazer o XRP disparar 40,20% em sete dias em um determinado ponto dos últimos dias. 

Mas não se engane: essa criptomoeda não é considerada um bom investimento.

Bitcoin: para um lado, para o outro

Dois estudos para prever o preço do bitcoin até o final do ano foram divulgados na última quarta-feira (09).

Enquanto a divisão Fsinsight da empresa de research Fundstrat acredita que a maior criptomoeda do mundo pode chegar até os US$ 200 mil, o JP Morgan prevê que o BTC deve voltar aos US$ 38 mil no segundo semestre

Gigantes dos celulares

Seu celular terá suporte para pagamento em criptomoedas. Isso, claro, se você for usuário de um smartphone Samsung ou iPhone, as duas maiores marcas do mundo. 

Juntas, elas correspondem a cerca de 40% do mercado global de celulares. Em evento no metaverso, Samsung anunciou que o novo celular terá suporte (wallet) para armazenar criptomoedas “e outros ativos digitais”.

A Apple também não ficou de fora e anunciou que o sistema de pagamento da maçã, o Apple Pay, passará a ter suporte para criptomoedas

Criptomoedas na maior gestora do mundo

Por fim, BlackRock, maior gestora do mundo, se prepara para aceitar bitcoin (BTC) e outros criptoativos como garantia de seus empréstimos.

A empresa com sede em Nova York, que administra mais de US$ 10 trilhões em ativos para instituições, planeja entrar no setor de criptomoedas com “suporte ao cliente para negociação e depois com sua própria linha de crédito”, de acordo com fontes ouvidas pela CoinDesk.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Fraqueza nos números

Entrega de veículos da Tesla (TSLA34) recua no segundo trimestre e vem abaixo da expectativa do mercado

Apesar do crescimento das vendas na comparação anual, houve uma queda em relação ao trimestre anterior

Mais uma vítima

Após tomar calote do 3AC, exchange Voyager Digital suspende saques, depósitos e negociações de clientes

Corretora de criptomoedas tomou calote de mais de US$ 670 milhões, mas, apesar de ter tomado empréstimos, precisou paralisar atividades

Bancões na área

Vão sobrar uns cinco ou dez bancos digitais, e o Next está entre eles, diz CEO do banco digital do Bradesco

Renato Ejnisman diz ainda que Next visa a mais aquisições e pensa ainda em internacionalização

No vermelho

Magazine Luiza (MGLU3) é a ação com o pior desempenho do Ibovespa no primeiro semestre de 2022; outras varejistas e techs também sofreram no período

Com queda acumulada de quase 70% no ano, ações do Magalu são as piores do Ibovespa no semestre que acaba de terminar

Proteção

Qual título público comprar no Tesouro Direto? Santander recomenda papel indexado à inflação para o mês de julho; veja qual

Recomendação do banco para o Tesouro Direto visa proteção contra a inflação e possibilidade de valorização

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies