Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-11-24T11:02:01-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Rumo à Web 3.0

Por que o Ethereum (e não o bitcoin) é a grande aposta em criptomoedas de uma das principais gestoras de fundos do mercado

Com R$ 56 bilhões sob gestão, a Kinea destaca o potencial do ethereum (ETH) como base de todo o sistema de validação na próxima geração da internet, a Web 3.0

24 de novembro de 2021
6:45 - atualizado às 11:02
ethereum desponta como projeto em web 3.0, de acordo com essa gestora
Solana? Cardano? Polkadot? Não, a criptomoeda da web 3.0 é o ethereum (ETH)Imagem: Divulgação / Kinea

A ideia de propriedade é simples quando falamos do mundo físico. Uma Ferrari, um original de Da Vinci ou algo mais simples como uma caneca são seus a partir do momento da compra. Mas o que dizer do conteúdo produzido na internet? E o que isso tem a ver com o universo das criptomoedas, como o bitcoin e o ethereum

No futuro — talvez um pouco distante ainda — essa pergunta pode ser respondida com facilidade: uma postagem no Facebook pertence ao usuário da conta, que pode até cobrar por ela. É o que propõe um estudo inédito da Kinea, gestora de fundos ligada ao Itaú Unibanco.

Com um total de R$ 56,5 bilhões sob gestão, a tradicional empresa do mercado financeiro se embrenhou no universo das criptomoedas e destaca o potencial do ethereum (ETH) como base de todo o sistema de validação na próxima geração da internet, a Web 3.0.

Ethereum como base da web 3.0

Quem conduziu a pesquisa foi Rodrigo Zobaran, analista de pesquisas quantitativas da Kinea, focado em criptoativos, modelagem macroeconômica e dinâmicas de mercado.

Ele afirma que o ethereum — e não o bitcoin — é a melhor moeda digital para se apostar porque ela reúne características que outras criptomoedas ainda não conseguiram atingir.

Em um mundo cada vez mais digital, a economia da terceira geração da internet, a chamada Web 3.0, é focada na experiência do usuário e do produtor de conteúdo. Mas exatamente o que isso quer dizer?

Recapitulando rapidamente: a primeira geração da internet era basicamente uma fonte de consulta, sem interação do usuário. Já a segunda fase da web (onde surgiram as redes sociais) focou na experiência do usuário.

Fonte: Kinea

“Na web 3.0 o usuário pode manter seu conteúdo em uma blockchain e escolher postar ou não. No futuro, a plataforma pode até te pagar para você fazer uma postagem”, afirma Zobaran.

O metaverso, tendência que o Facebook pretende explorar, é uma das vertentes dos projetos em web 3.0. Para garantir que o conteúdo é de propriedade do usuário, uma tecnologia conhecida do mundo das criptomoedas e começou para validar obras de arte começa a tomar outras formas: os NFTs, sigla em inglês para non fungible token, ou certificados digitais.

Aliás, antes de entender por que o Ethereum é a moeda da vez, é importante entender o que está acontecendo no mercado macro. Assim, explicamos por que uma queda maior do bitcoin até o final do ano não está descartada, segundo o analista Tassio Lago.

Confira abaixo e aproveite para nos seguir no Instagram (basta clicar aqui). Lá entregamos aos leitores análises de investimentos, notícias relevantes para o seu patrimônio, oportunidades de compra na bolsa, insights sobre carreira, empreendedorismo e muito mais.

Por que o Ethereum?

Feito esse preâmbulo tecnológico, vamos ao que interessa: por que a Kinea aposta no ethereum (ETH) como a tecnologia que vai viabilizar a web 3.0?

O ETH foi o primeiro protocolo que criou os certificados digitais, os NFTs. E por ser a mais antiga da segunda geração de criptomoedas, que foram criadas com o intuito de virarem plataformas de criação de projetos, o ethereum já passou por diversos testes de estresse e atualizações, o que o coloca na frente de outras moedas digitais, como Solana (SOL) e Polkadot (DOT), segundo o especialista da Kinea.

“O ethereum já sofreu testes de estresse muito mais vezes do que outros projetos”, comenta Zobaran, “e é muito improvável que o ethereum saia do ar, como aconteceu com a Solana, que ficou 24h offline”.

Vantagens do ethereum sobre o bitcoin

O bitcoin (BTC) foi a primeira moeda digital do mundo, e inaugurou a primeira geração de criptomoedas. Essa blockchain (rede) é um projeto mais estático e que sofre menos atualizações — como foi o caso recente do Taproot, que demorou quatro anos para ser instalado.

Em contrapartida, o ethereum (ETH) e a segunda geração de criptomoedas possuem uma comunidade mais engajada e o próprio desenho das blockchains permite que alterações e soluções de problemas sejam feitas de maneira mais dinâmica.

“Em um mundo cada vez mais focado em ESG [sigla para boas práticas socioambientais e de governança], uma mudança de paradigma do proof-of-work do bitcoin em relação ao proof-of-stake do ethereum é fundamental para a adequação a esse novo cenário”, diz Zobaran.

O proof-of-work é um método utilizado na mineração de criptomoedas que consome muita energia e tem sido duramente criticado como uma forma pouco ecológica de manutenção da rede do bitcoin. Você pode entender mais sobre mineração de criptomoedas  clicando aqui.

O proof-of-stake é considerado uma forma de manutenção de rede que consome menos energia, o que é visto com bons olhos pela comunidade internacional interessada em criptomoedas. Essa tecnologia já é utilizada em outras moedas do mercado, como Cardano (ADA) e Chanlink (LINK).

Tradição e modernidade

Ouvir o profissional de uma gestora tradicional do mercado falar em termos técnicos do mundo das criptomoedas ainda é pouco comum.

A Kinea foi uma das primeiras casas a abrir uma parcela, ainda que pequena, nas moedas digitais em meio ao portfólio composto por ações, renda fixa e outros ativos.

Zobaran não especificou o quanto da carteira a gestora detém em cripto, mas disse que a Kinea possui investimento em ethereum e uma posição estratégica em bitcoin para momentos de estresse do mercado.

Um banho de água fria

Apesar do otimismo com o mercado de criptomoedas e com todo ambiente digital, o analista da Kinea destaca que é importante manter uma carteira equilibrada e ressalta que os investimentos em ativos digitais são altamente voláteis.

Além disso, Zobaran destaca dois empecilhos para o crescimento desse mercado: uma regulamentação pesada dos Estados Unidos sobre ativos digitais, que já tem pressionado o mercado de criptomoedas na última semana, e o tempo que o mercado pode demorar para fazer esses ativos decolarem.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

BC aumenta a Selic, Nubank conclui IPO e mercado reage bem à PEC dos precatórios; veja o que marcou esta quarta-feira

Conforme esperado pelos economistas após dados recentes mais fracos da atividade econômica brasileira, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros em 1,5 ponto percentual, a 9,25% ao ano, em sua última reunião do ano. Se em muitos momentos ao longo de 2021 o mercado acionário reagiu ao […]

2022 MAIS GORDO

Dividendos e JCP: Copel (CPLE6) engrossa a lista de pagamentos milionários aos acionistas; não fique fora dessa

Data da remuneração ainda não foi definida pela empresa, mas valerá para aqueles com posição até 30 de dezembro deste ano

FECHAMENTO DO DIA

Investidores tentam equilibrar noticiário e Ibovespa emplaca mais um dia de alta; dólar tem queda firme com ômicron no radar

Com o avanço da PEC dos precatórios, a pandemia se torna um dos únicos gatilhos negativos a rondar o Ibovespa,

DOBRANDO A ESQUINA

Lucro das empresas com ações na bolsa deve cair 6,3% em 2022, diz BTG Pactual

Mesmo assim ainda é possível encontrar setores em que o cenário é positivo; saiba quem é quem

Bateu o martelo

IPO do Nubank sai no topo da faixa indicativa, a US$ 9 por ação; banco ultrapassa Itaú (ITUB4) e é a instituição financeira mais valiosa da América Latina

Com isso, os BDRs, que serão negociados por aqui a partir da próxima quinta-feira (09), saem valendo R$ 8,38

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies