Menu
2021-04-26T18:45:59-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Além do bitcoin

HASH11, o primeiro ETF de criptomoedas negociado na B3, estreia em forte alta

O HASH11 replica o desempenho de um índice desenvolvido pela gestora brasileira Hashdex em parceria com a Nasdaq

26 de abril de 2021
12:48 - atualizado às 18:45
bitcoin bolsa
Imagem: Shutterstock

O primeiro fundo de índice (ETF, na sigla em inglês) de criptomoedas negociado na bolsa brasileira tem uma estreia em grande estilo no pregão da B3. O HASH11 fechou hoje em alta de 12,26%, a R$ 53,10.

O HASH11 replica o desempenho de um índice desenvolvido pela gestora brasileira Hashdex em parceria com a Nasdaq. O ETF segue a variação do Nasdaq Crypto Index (NCI), indicador que busca refletir o movimento do mercado de criptoativos, e não só do bitcoin. O índice conta com seis criptoativos na carteira:

  • Bitcoin (80,37%)
  • Ethereum (16,35%)
  • Litecoin (1,19%)
  • Chainlink (0,94%)
  • Bitcoin Cash (0,64%)
  • Stellar Lumens (0,50%)

Palavra do CEO

Para o CEO da Hashdex, Marcelo Sampaio, a estreia do ETF na bolsa foi um sucesso. Durante nossa conversa, o fundo HASH11 chegou a ficar em segundo lugar entre os mais negociados da B3. “Isso mostra um mercado reprimido, que carece de uma diversidade maior de produtos para esse tipo de investimento”, comenta ele. 

Sampaio conta que a ideia de um fundo de investimento em índice de cripto veio para facilitar a entrada de pessoas no universo crescente das criptomoedas e diminuir as oscilações de preço dos ativos. “A forma é um fundo que tira o risco operacional e tem governança, regulamentação, etc. Mas o conteúdo é criptomoeda”, afirma ele.

Apesar de reduzir o risco, os criptoativos ainda são investimentos muito voláteis. Mesmo com uma cesta de moedas consideradas sólidas no mercado, altas expressivas e quedas bruscas acompanharão os investidores por um bom tempo.

Foi o caso do bitcoin. Há duas semanas, a principal criptomoeda do mercado registrou seu valor mais alto, atingindo US$ 65 mil. Após sete dias, o preço caiu 22% aos US$ 47 mil. Nesta segunda-feira (26), o bitcoin registra alta de 6,98%, aos US$ 53.502,99.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Setor em crescimento

Produção de petróleo e gás no Brasil sobe 4,5% em abril, revela ANP

Volume chegou a 3,798 milhões de barris no mês passado, e pré-sal responde por 72,7% do total produzido

queda na produção

Zona do euro entra em 2ª recessão técnica em um ano

Ambas as variações confirmaram estimativas preliminares do fim de abril e vieram em linha com as expectativas de analistas consultados pelo The Wall Street Journal

reduzindo participação

Participação da Petrobras em investimentos no PIB caiu para 3,8% em 2020, mostra levantamento

Em 2014, a participação na FBCF da estatal era de 7,6%, passando para 3,8% em 2020, segundo levantamento do economista Cloviomar Caranine

Operação confirmada

CSN protocola pedido de registro de IPO de sua unidade de cimentos

A oferta inicial da CSN Cimentos havia sido aprovada pelo conselho de administração no final de abril. Intervalo de preço por ação ainda será definido

MAIS PERTO DO CÉU

Ibovespa segue flertando com topo histórico, mas manter ‘otimismo cauteloso’ nunca é demais

Em dia de agenda fraca e exterior positivo, CPI da pandemia é o principal risco de água no chopp da B3

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies